Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 31 de outubro de 2020

Cultura

Espetáculo será encenado por crianças no São João de Caruaru

Cerca de 60 crianças e adolescentes atendidos por projetos sociais participam do espetáculo dentro da programação de São João do município

Postado em 09/06/2018 2018 13:52 , Cultura, Presente no Interior. Atualizado em 19/06/2018 17:03

Registro do Pátio de eventos onde ocorrerá a apresentação. Foto: divulgação/prefeitura de caruaru

Na próxima terça-feira (12), data em que no calendário se comemora a véspera de Santo Antônio, é também celebrado o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. Diante disso, o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) realiza uma intervenção artística no palco do Parque de Eventos Luiz Lua Gonzaga, como parte da programação do São João 2018. Trata-se da apresentação do, que será encenado por cerca de 60 crianças e adolescentes atendidos pelo serviço, a partir das 18h.

Espetáculo destaca e importância dos  direitos das crianças e jovens

O evento faz parte das ações de assistência social da festa que vêm sendo realizadas pela Prefeitura de Caruaru, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SDSDH). “É uma maneira de gerarmos consciência sobre os direitos das crianças e adolescentes, de forma lúdica e educativa. Como também, de mostrarmos o talento e o universo de possibilidades, das crianças e adolescentes, fomentadas pelas atividades de educação social, cultural e esportivas”, destacou o coordenador Municipal do SCFV, Fabio Silva.

Leia também:

»Alceu Valença divulga agenda de shows no São João 2018
»Arcoverde divulga alguns detalhes da programação junina

O espetáculo terá como pano de fundo brincadeiras populares da Região Nordeste para alertar sobre a importância da garantia dos direitos das crianças e adolescentes. O elenco será formado por usuários das oficinas de ballet e teatro dos CRAS Taquara, Salgado, Maria Auxiliadora e Rendeiras. A montagem da peça conta com várias coreografias e textos produzidos com a colaboração dos oficineiros e educadores sociais desses espaços, sob a orientação e supervisão da coordenação geral do SCFV.