facebook jornal do sertão twitter jornal do sertaolinkedin jornal do sertaowhatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 22 de fevereiro de 2020

Novembro Azul

Saúde é “coisa de homem”!

Dr. Breno Ferraz urologista explica um pouco mais sobre as causas consequências e tabus do câncer de próstata

Postado em 07/11/2018 2018 12:12 , Novembro Azul. Atualizado em 07/11/2018 12:23

Os exames preventivos ainda são a melhor opção

Que o mês de novembro tem ganhado grande destaque quanto à prevenção do câncer de próstata, todo mundo já sabe, mas o que pouco se fala é que a campanha tem sido uma das principais responsáveis por desmitificar alguns preconceitos antigos quanto aos cuidados determinantes para a obtenção da vitória para a doença. Há quase 20 anos, o mundo se veste de azul e foca sua atenção para um alerta contra o câncer de próstata, sendo chamado de Novembro Azul e ajudando a salvar milhares de vidas.

Por ano, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 1,2 milhão de novos casos do câncer de próstata surgem, o que ocasiona uma expectativa de cerca de 335 mil óbitos nesse mesmo período. Trazendo esses dados para o Brasil, a Sociedade de Urologia afirma que surgem cerca de 60mil novos casos por ano, matando aproximadamente 20 mil homens. E, ainda de acordo com a instituição, um a cada seis homens terá a doença, sendo que um a cada 36 morrerá em decorrência dela. O que faz do câncer de próstata a doença que mais causa a morte entre os homens, ficando atrás apenas do câncer de pulmão. Mas a boa notícia, é que, graças à campanha do Novembro Azul, junto ao apoio de instituições públicas e privadas, a população se mostra cada vez mais informada e consciente em relação à profilaxia da doença, apesar de ainda ser notória o tabu cultural que se instalou ao longo dos anos.

 

Para explicar um pouco mais sobre as causas, consequências e tabus do câncer de próstata, tivemos  uma conversa com o médico urologista e oncologista Breno Ferraz.

Jornal do Sertão: Hoje, é notório que o tabu criado em volta do exame tem sido quebrado e os homens realmente têm procurado um especialista para prevenção? O que causa essa dificuldade ainda existente?

  1. Breno Ferraz: Diversos fatores impedem o homem a procurar o médico no intuito de realizar a sua prevenção em saúde, sendo esse aspecto cultural mundial – não apenas do sertão nordestino, pois pesquisas realizadas no México, por exemplo, mostram o homem com os mesmos conceitos que o sertanejo. Os conceitos que mais impedem o homem de cuidar da saúde são ligados ao imaginário desses homens, que acreditam que são menos frágeis que as mulheres e ir ao médico está relacionado à perda da “masculinidade”. Ao contrário disso, estudos científicos evidenciam que o homem é mais vulnerável a adoecer.

JS: Qual o perfil dos homens que procuram mais cuidados com a saúde?

BF: Uma pesquisa realizada pela Kaiser Associates, com 1.130 homens de todas as classes sociais, evidenciou que, apesar das campanhas realizadas anualmente surtirem certo efeito na conscientização para as doenças, apenas 10% dos homens procuraram o urologista, com 17% deles na faixa etária acima de 60 anos, mostrando que a realização de exames de detecção é feita tardiamente e que ainda não alcança a maioria da população. Também se observou que a maioria dos homens que procuravam mais cuidados com a saúde tinham plano de saúde e que os indivíduos de classes sociais mais baixas faziam exames com menos frequência. Isso é motivo de preocupação e de pensar em mudanças na forma de atrair os homens para se cuidar.

JS: Qual a idade ideal para que sejam realizados os exames preventivos regularmente?

BF: A Sociedade Brasileira de Urologia mantém sua recomendação de que homens, a partir de 50 anos, devem procurar um profissional especializado, para avaliação individualizada. Aqueles da raça negra ou com parentes de primeiro grau com câncer de próstata, devem começar aos 45 anos. O rastreamento deverá ser realizado após ampla discussão de riscos e potenciais benefícios. Após os 75 anos poderá ser realizado apenas para aqueles com expectativa de vida acima de 10 anos.

JS: Em que momento o homem deve ficar em alerta e procurar um médico o quanto antes?

BF: A grande maioria dos tumores prostáticos identificados na atualidade ocorrem antes da percepção de sintomas. Também não existem sintomas com características exclusivas para o câncer de próstata, isso evidencia a importância da realização dos exames de rotina, independente do aparecimento de sinais de alerta.

JS: Quais métodos podem ser adotados pelas unidades de saúde para que se quebre essa resistência que ainda existe entre os homens?

BF: Uma das queixas frequentes e que dificultam os homens a procurar os serviços médicos é o horário de atendimento ocorrer no mesmo que eles trabalham. Horários diferenciados à noite poderiam aumentar o número de atendimentos. Também há uma reclamação de que as unidades de saúde apresentam um ambiente muito feminino ou focado nas crianças, tornando o local de atendimento pouco atrativo aos homens, que percebem, também, pouco preparo para atendimento específico das demanda masculinas.

JS: Quais cuidados o homem pode ter para prevenir o câncer?

BF: Segundo o hospital do Câncer de Barretos – atualmente chamado de Hospital do Amor -, estas são as principais indicações para se prevenir o Câncer de Próstata:

  •      Dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menos gordura;
  •     Consumir tomate;
  •     Pelo menos 30 minutos diários de atividade física;
  •     Manter o peso adequado à altura;
  •     Diminuir o consumo de álcool;
  •     Não fumar;
  •     Homens a partir dos 40 anos devem realizar exames de rotina;
  •   Quem tem histórico familiar da doença deve avisar o médico, que indicará os exames necessários.