facebook jornal do sertão twitter jornal do sertaolinkedin jornal do sertaowhatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 29 de setembro de 2020

Cultura

A lei da Polaridade e do Ritmo

CULTURA

Postado em 04/09/2019 2019 21:14 , Cultura. Atualizado em 07/09/2019 09:30

WAGNER MIRANDA

Hermes Trismegisto viveu há aproximadamente três mil anos no antigo Egito, sendo acima de tudo um proeminente sábio, cujos escritos serviram de base para a filosofia grega e praticamente todas as religiões conhecidas. Porque então ele não é popularmente conhecido ? Durante os períodos de ignorância da humanidade, quando os dogmas queimaram livros e pessoas vivas, os mestres antigos ocultaram esses conhecimentos, pois eram cientes do poder que continham. Tanto que a palavra ‘hermético’, hoje significa ‘completamente fechado’. Contudo veio a era da informação e qualquer busca encontrará essa joia e a possibilidade de utilizá-la para o auto conhecimento e entendimento do que nos rodeia. Diante da vastidão do que ele deixou, separo aqui, oportunamente, um livro que concatenou as ideias da obra ‘A †ábua da Esmeralda’. Trata-se do Caibalion, publicado em 1908, assinado pelo nome de Os Três Iniciados, que explica os sete princípios do universo.

REPRODUÇÃO NET

São espécie de leis que regem tudo. Desde um ínfimo átomo às galáxias, desde acontecimentos, situações a pensamentos e atitudes. Simplesmente tudo. Em virtude do momento atual, de ânimos exaltados, recomenda-se o entendimento da quarta lei: A Lei da Polaridade. Ela diz que “Tudo é duplo; tudo tem polos; tudo tem seu oposto; o igual e o desigual são a mesma coisa; os opostos são idênticos em natureza, mas diferentes em graus; extremos se tocam; todas as verdades são meias-verdades; todos os paradoxos podem ser reconciliados.” Não é a toa que tanto o fogo quanto o frio queimam. São opostos e o que diferencia um do outro é a intensidade, o grau. Isso explica o atual momento de tensão político ideológica, que por excesso está nos levando ao desequilíbrio perigoso. Há também a Lei do Ritmo, que diz: “Tudo flui, para fora e para dentro; tudo tem suas marés; todas as coisas se levantam e caem; a oscilação do pêndulo se manifesta em tudo; a medida da oscilação à direita é a medida da oscilação à esquerda; o ritmo compensa.” Juntando os dois princípios chegamos a conclusão que os extremos se alternam, bem como a calmaria do equilíbrio central. O conhecimento do hermetismo nos leva a plenitude do entendimento, do pensamento e da atitude. Sirvam-se.

 

Wagner Miranda Lima

Escritor, músico, compositor e cineasta Fundador do grupo Matingueiros matingueiros@gmail.com