facebook jornal do sertão twitter jornal do sertaolinkedin jornal do sertaowhatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 26 de maio de 2020

Economia

Anúncio do Banco Central anima cooperativismo do Vale do São Francisco

A declaração teve uma repercussão bastante positiva em Petrolina e região, onde o Sicredi Vale do São Francisco teve um crescimento no ano passado da ordem de 23% com um aumento dos ativos.

Postado em 19/02/2020 2020 11:43 , Economia, Últimas Notícias. Atualizado em 19/02/2020 11:43

O diretor de Fiscalização do Banco Central, Paulo Souza, anunciou na última segunda – feira (17), em entrevista ao UOL, que espera que as cooperativas de crédito de todo País dobrem o número de empréstimos para reduzir juros alcançando R$ 545 bilhões em ativos até 2022.

A declaração teve uma repercussão bastante positiva em Petrolina e região, onde o Sicredi Vale do São Francisco teve um crescimento no ano passado da ordem de 23% com um aumento dos ativos, de R$ 106 milhões em 2018 para R$ 130 milhões em dezembro de 2019.

De acordo com o presidente do Sicredi VSF, Antônio Vinícius Ramalho Leite, a notícia anima todo o cooperativismo nacional. “Recebemos com boas expectativas a informação de que o governo quer aumentar de 9% para 20%, até 2022, a participação de mercado das cooperativas nas linhas de crédito (crédito pessoal não consignado, crédito rural e capital de giro para empresas)”, ressaltou.

Revelando que a medida vai aumentar a concorrência com bancos e diminuir os juros para empresas e o consumidor final, o dirigente cooperativista regional também recebeu com entusiasmo a declaração do BC, de que vai adotar medidas para que os cooperados aumentem o volume de crédito tomado nas cooperativas. “Atualmente, 24% das operações de crédito dos cooperados são feitas nas cooperativas e o restante em bancos tradicionais”.

Ainda no anúncio, o diretor de Fiscalização do Banco Central, Paulo Souza, declarou que também é intenção da instituição, aumentar o tamanho das cooperativas de crédito no sistema financeiro, “o BC quer mudar o perfil de renda dos cooperados e atender mais pessoas com menos renda. Se as cooperativas fossem uma única instituição financeira, já seriam o sexto maior banco do Brasil. Atualmente, representam 5% dos depósitos de todo o sistema financeiro. Na França, são 60% e, na Holanda, 39%. Há espaço para crescer no Brasil”, disse.

O Brasil possui 916 cooperativas de crédito e 10,1 milhões de cooperados.

CLAS Comunicação & Marketing