Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de maio de 2024

Cidades

Projeto deve consolidar Serra Talhada na rota dos voos de Asa delta e Parapente

Iniciativa bebe na fonte da sabedoria e da tradição do inventor autodidata serratalhadense Evangelista Inácio de Oliveira, considerado o pioneiro da asa delta no Brasil

Postado em 17/08/2020 2020 16:38 , Cidades, Últimas Notícias. Atualizado em 17/08/2020 17:13

Pilotos sobrevoando a região da Serra Talhada com asa delta e parapente – Foto: (Paulo Esteves)

O município de Serra Talhada, localizado no Sertão do Pajeú, não deve ser reconhecido apenas por ser a Terra da Xaxado e por seu filho ilustre, Lampião, o Rei do Cangaço. Dentre muitas outras atrações, a cidade conta com uma estrutura cada vez mais sólida para a realização de voos livres de asa delta e parapente. A prática vem se consolidando por meio do projeto Voo Livre, que mapeou no município, com o auxílio de um especialista, pontos para realização de voos , capacitou pilotos e deu início a construção de quatro rampas de voo. Uma dessas rampas, a Sul, localizada em um ponto da Serra Talhada, será inaugurada entre os dias 4 e 7 de setembro, no encontro de pilotos, promovido pelo projeto, que pretende reunir profissionais das regiões Agreste e Sertão.

“O projeto irá oferecer formação oficial para quem deseja praticar o voo livre, voos duplos, com equipamento seguro e suporte profissional habilitado, para aquelas pessoas que desejam viver a experiência. É uma iniciativa para consolidar a presença de Serra Talhada na rota do voo livre, bem como gerar renda, atrair turistas e movimentar a cidade”, explica o coordenador do Projeto, Paulo Esteves.

Equipe do projeto Voo Livre e profissional mapeando pontos de voo em Serra Talhada – Foto: (Paulo Esteves)

A história da prática do voo livre em Serra Talhada não é de hoje. Tudo começou nos anos 1960, quando o inventor autodidata serratalhadense, Evangelista Inácio de Oliveira, cujo nome de guerra era Chapadão Turbinado Banda Larga ou simplesmente Vanja, se consagrou pioneiro no Brasil ao construir, com as próprias mãos, um asa delta e tentar realizar um voo do alto da Serra que dá nome à cidade. A experiência não aconteceu, pois um tenente da Polícia Militar impediu e apreendeu o equipamento. Desgostoso, seu Evangelista vendeu o equipamento, na época por 14 mil réis, para um piloto do Rio de Janeiro. A história teve tanta repercussão, que seu Evangelista foi parar no Programa do Jô, convidado como Pioneiro do Asa delta no Brasil. Quase 40 depois, o revolucionário inventor conseguiu realizar o sonho de voar. Nos anos 2000, realizou um voo acompanhado, no Rio de Janeiro. A história virou tema do filme O Gigantesco Imã, produzido por cineastas da região. Seu Vanja partiu no dia 1º de março deste ano, deixando um legado para o município de Serra Talhada e região.

Pilotos preparam-se para alçarem voo em Serra Talhada – Foto: (Paulo Esteves)

“O projeto Voo Livre bebeu dessa fonte de seu Evangelista. Para dar continuidade a essa história, tocamos o projeto, inserindo diversas ações sociais. Sempre que sobrevoamos a cidade, lançamos um olhar atento sobre os pontos de desmatamento e degradação no local e comunicamos à Secretaria de Meio Ambiente para que sejam tomadas as devidas providências. Nosso projeto também dedica-se à mobilização de jovens em situação de vulnerabilidade social ,” conclui Esteves.