Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 16 de junho de 2024

Ciência e Tecnologia

A transformação Digital chega ao Sertão de Pernambuco

Delivery e e-commerce, um caminho sem volta também no  Sertão

Postado em 17/11/2020 2020 17:23 , Ciência e Tecnologia, Economia. Atualizado em 11/03/2021 18:14

Aloísio Sotero,  Professor de Finanças Corporativas pela Escola BAEX

Frente às revolucionárias mudanças  impostas pela pandemia e às necessárias readequações a esse  fascinante mundo digital, de constantes transformações trazemos  entrevista realizada pela   correspondente especial do Jornal do Sertão, a jornalista Luciana Leão, com  Aloísio Sotero, professor de Finanças Corporativas pela Escola BAEX  Internacional e cofundador e primeiro diretor financeiro da Wine, o maior e-commerce de vinhos do Brasil,  com exclusividade para os leitores do JS.

 Delivery e e-commerce, um caminho sem volta também no  Sertão

O distanciamento social provocado pela pandemia do coronavírus acelerou a digitalização dos negócios, ou seja, tudo pode chegar à casa das pessoas. Em outras palavras, o negócio é “deliverar”. Esta  tendência pode maximizar os negócios no sertão pernambucano e conecta-los outras regiões do Brasil e outros países nos quatro cantos do mundo

JS: Em que momento o senhor avalia que o empreendedor deva tomar a decisão de mudar a forma de lidar com seu cliente, em tempos de pandemia?

Aloisio Sotero: Sempre defendi ao longo de minha vida profissional, desde quando fui o primeiro diretor financeiro (CFO) da Wine, maior  comércio eletrônico de vinhos no Brasil, que o e-commerce seria um forte indutor de negócios tanto para os pequenos, médios e grandes comerciantes, quanto para o setor de serviços, entre outros. E, pelo que constatamos, nesta pandemia, tudo deliverou. Ou seja, não espere que o cliente bata à sua porta. Seja rápido e vá até ele. Os negócios ampliaram a sua abrangência e eficiência.

JS: Quais setores o senhor identificaria como promissores nesse cenário?

Aloisio Sotero: Desde as escolas com ensino a distância digital; os consultórios médicos; ; os restaurantes viraram delivery de comidas e alguns deles se transformaram nas famosas “dark kitchen”, que servem os pratos nas casas sem salão com mesas; os shows de artistas viraram as lives; os bancos cresceram com os home Banks chamados de Fintech e agora o famoso pix que são links para pagamentos 24 horas por dia. Só para citar alguns exemplos. Vive-se um mundo que se diz #figital, um híbrido de físico e digital.

JS: Para alguns segmentos a mudança pode parecer algo complicado. Qual conselho daria para quem está começando a impor o e-commerce no seu negócio?

Aloisio Sotero:  Essa é uma pergunta importante, porque a tarefa de fazer chegar os pedidos e os produtos de forma correta na mão do consumidor, a famosa logística de entrega a domicílio pode ser um forte diferencial em seu negócio. Não estamos falando aqui de apenas ter entregadores no tempo certo e em quantidade suficiente resolveria o problema, pois os pedidos são feitos em múltiplas plataformas via WhatsApp, e-commerce, Instagram, Facebook. O verdadeiro X da questão é quanto custa entregar e em quanto tempo. Pedidos na palma da mão. Logística de entrega é o grande desafio no Brasil.

JS: O senhor teria algum case de sucesso para nos apresentar em Pernambuco e na região sertaneja?

Aloisio Sotero: Nesse ponto relacionado à logística de entregas temos um case de sucesso: A SODE, Soldados de Entrega, uma plataforma inovadora em delivery. Há cinco anos agrega valor a grandes redes em todo o Brasil. Funciona como um Hub para todos os canais de vendas, seguindo um modelo lógico. Em nosso Sertão, estou entusiasmado com o Arcoverde Delivery, que já atende vários clientes por meio de uma plataforma no smartphone diretamente do comércio local para os consumidores, ou seja, a “last mile” ou a entrega da última milha também chegou ao sertão.

JS: A inovação local também vem sendo estimulada no sertão como o app Serve Local & Delivery. Como incrementar ainda mais o desenvolvimento de tais aplicativos na região?

Aloisio Sotero: Pois é.Encontramos outras iniciativas no Sertão, na cidade de Serra Talhada. Três jovens, respectivamente, Jonadabe de Castro Lustosa, Romerito Nogueira e Thiago Severo graduados em Sistema de Informação pela Universidade Federal Rural de Pernambuco desenvolveram um novo sistema que reúne ofertas atrativas e delivery. Sensacional. Acredito que os governos municipais e as universidades possam ser fortes parceiros nessa empreitada e estimular mais jovens a desenvolver plataformas que facilitem a vida de consumidores e empreendedores.

JS: O senhor diria que a tendência veio para ficar?

Aloisio Sotero: Sim.Com certeza. Assim como em outras regiões do mundo, do nosso País e Estado, o Sertão nos traz exemplos de modernidade, atualização e inovação na economia digital. Fantástico o poder criativo e inovador! Que venham novos aplicativos feitos no nosso Sertão para os setores de crédito e finanças. São avenidas cheias de oportunidades.

JS: Em Petrolina, temos informações que já não existem mais motocicletas para pronta entrega nas concessionárias. Esse movimento poderia ser um reflexo do boom do comércio eletrônico também em Petrolina?

Aloisio Sotero : Certamente. O próprio diretor executivo do Clube de Diretores Lojistas de Petrolina (CDL) afirmou isso em recente entrevista ao Jornal do Sertão. Com a pandemia e o aumento da demanda por compras via aplicativos digitais e agora com a facilidade do pagamento via PIX , que são pagamentos instantâneos, as vendas cresceram e falta motos nas concessionárias. Ou seja, os negócios ampliaram sua abrangência e os consumidores estão se adaptando. Com certeza o Sertão pernambucano deliverou.