Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de maio de 2024

Saúde

Cresce contaminação da Covid no Sertão

A pandemia não acabou e novos  casos contaminação começam a se multiplicar, não dê chance ao perigo, previna-se obedecendo às normas de segurança da Organização Mundial de Saúde (OMS)

Postado em 24/11/2020 2020 11:01 , Saúde, Últimas Notícias. Atualizado em 24/11/2020 12:22

Imagem: Divulgação

Segundo o  Professor João Ricardo, um responsáveis pelo relatório, as primeiras semanas de novembro foram constatados  2.312 novos em Petrolina PE e Juazeiro/BA. Se for feita uma comparação com o mesmo período de outubro, que teve 1.409 novos casos, isto indica um crescimento de 64%, portanto crescem a contaminações.

A análise do avanço do Covid-19 no Vale do São Francisco realizada pelos professores João Ricardo F. de Lima (Doutor em Economia), Maria do Socorro Coelho Macedo (Doutora em Desenvolvimento Regional), Caliane Borges Ferreira (Doutoranda em Economia), todos do colegiado do curso de Economia da FACAPE (Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina) mostram que os casos de contaminação avançam no Vale do São Francisco .

No entanto, os números de óbitos permanecem estáveis, com um aumento  de crescimento menor, foram 20 óbitos nas primeiras semanas de novembro, contra 22 óbitos no mesmo período de outubro, assinala o professor.

O que explicaria, então, este forte crescimento de novos casos desconsiderando o efeito do isolamento e das testagens como residual? O mais provável é a mudança no comportamento de parte da população, que relaxaram nas medidas de prevenção e principalmente  entre os mais jovens e de classes sociais mais altas, que parecem não ter mais medo da pandemia. Considerando os últimos 60 dias, em Petrolina/PE, ocorreram 34 óbitos, sendo que a idade média das pessoas que faleceram foi de 68 anos. Destes, 74% foram homens e 62% tinham histórico de outras comorbidades. Assim, ao que parece, estes mais jovens passam a reduzir suas preocupações e se aglomerarem em festas, bares e casas noturnas observa os professores do colegiado dos cursos de economia do FACAPE.

É um cenário de grande perigo, pois caso se contaminem, podem ser assintomáticos, mas levar o vírus para dentro de suas residências e, com isso, contaminar os pais, avós e outros familiares que tem uma maior probabilidade de ter sérios problemas,  alerta  João Ricardo .

Estes dados reforçam a Campanha do Jornal do Sertão, a pandemia não acabou, não dê chances ao perigo.

JS Saúde

#Nãodêchandeaoperigo

#Sertãounidocontracovid