Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 19 de maio de 2024

Agronegócios

A Indústria de Polpa do Ceará busca compra Direta com Agricultores de Petrolina

Indústria de polpas de frutas do Ceará por meio do Sindicato da Industria de Alimentos promove encontro em Petrolina com o Sindicato dos Agricultores Familiares do município para implantarem um sistema de comercialização direta entre agricultores e indústria.

Postado em 01/03/2021 2021 13:20 , Agronegócios. Atualizado em 01/03/2021 15:15

Pomar de Manga. Foto: Divulgação.

A presidente do Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina, Sintraf, Isália Damacena, confirmou que o Sindicato das Indústrias de Alimentos do Ceará demonstrou o interesse de criar uma maior aproximação, entre os produtores da região e, a indústria cearenses de polpas de frutas. Segundo Isália Damascena, o objetivo dessa  iniciativa, é acabar com a “figura do atravessador”, por meio da compra e venda direta entre os agricultores familiares e, a indústria de polpa de frutas. 

Presidentes do Sintraf Isalia Damascena e do Sindialimentos André Siqueira. Foto: Divulgação.

Comercialização Direta: Uma janela de oportunidades para agricultores e indústria 

De acordo com o presidente do Sindicato das Indústrias de Alimentos do Ceará, Sindalimentos, André Siqueira – “apenas no Ceará existem 30 empresas de polpa de frutas interessadas na comercialização direta com os agricultores petrolinenses. E mais, a nossa vinda à Petrolina foi para abrir essa possibilidade de encurtar o contato entre o agricultores e a indústria, para comprar melhor e o agricultor vender melhor também.” 

Uma verdadeira parceria ganha a ganha 

Por meio uma relação de agricultores serão identificados os tipos de culturas, volumes e disponibilidade de acordo com as épocas de colheita , num trabalho coordenado pelo Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina encaminhado diretamente  ao entregue Sindialimentos do Ceará. Aqui começa,  segundo os  presidentes de ambos os Sindicatos, “uma verdadeira parceria ganha a ganha”, cada um contribuirá lado a lado para o sucesso dessa  iniciativa pioneira e inovadora, na gestão de comercialização direta, sem intermediários, com a organização das compras e a logística de transporte interestadual.

“Essa parceria tem potencial para melhorar, não só a compra e venda, mas também,  a logística e o valor agregado, para todos, seja agricultor ou empresário”, comenta a presidente do Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina, Isália Damacena.

“Até porque nós produzimos praticamente todas as frutas que as indústrias do Ceará estão demandando: a manga, acerola, uva, goiaba, caju e maracujá”.

JS Agro