Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de outubro de 2021

Economia

O Sertão dos aplicativos “deliverou” nesta pandemia

Aplicativos de Delivery levam o sertão além de suas fronteiras e revolucionam comércio online de Petrolina , Arcorverde, Serra Talhada ,Afogados da Ingazeira,  e Sertânia. O sertão deliverou e as entregas online foram uma nova porta de compras e vendas para o comércio local .Muito além dos aplicativos, a exemplo do Ifood, Ubereats e 99food, presentes nas grandes cidades brasileiras, é no interior do País que novas iniciativas têm se destacado no comércio on-line.  Esse movimento ganhou mercado na pandemia por meio das redes sociais, especialmente o Instagram, Facebook e Whatsapp e aplicativos das grandes lojas de varejo e dos bancos. A pandemia mudou para sempre as compras online em todo o planeta, um aumento sem precedentes, especialmente no delivery. De acordo com pesquisa da Ipsos Brasil , os Shoppings Durante a Pandemia , 47% dos brasileiros têm feito mais compras online do que antes. Esse crescimento ultrapassa as fronteiras da desigualdade social no mundo inteiro. Globalmente, os grupos de baixa renda atingiram um aumento de 37%; e classe média, 43%.  As compras online cresceram para ficar .

 

Postado em 22/03/2021 2021 04:23 , Economia, Últimas Notícias. Atualizado em 22/03/2021 04:33

O aplicativo de delivery  que leva Petrolina além de suas Fronteiras

E, no sertão pernambucano essa realidade digital não seria diferente. Ao contrário. Desde 2017, com a  fundação do aplicativo pede.aí  os sertanejos já haviam aderido ao novo comportamento de compras. Agora, em tempos de isolamento social e lockdown, o aplicativo idealizado por cinco estudantes da Universidade do Vale do São Francisco (Univasf) ganhou o mercado nacional.

Presente em mais de 170 cidades e 18 estados brasileiros, o pede.ai já atingiu grandes números, batendo a marca de 800 mil aplicativos baixados e mais de 8 mil estabelecimentos cadastrados. A estratégia do pede.aí foi ampliar para cidades entre 20 mil a 200 mil habitantes, até então, desassistidos pela praticidade do delivery.

Foto Reprodução

Arcoverde também aderiu ao delivery

Em Arcoverde, outro app de entregas ganhou mercado: o Arcoverde Delivery, presente desde entregas de alimentos, supermercados, lojas de roupas e acessórios, pet shows, eletrônicos, um app para comércio local direto dos estabelecimentos aos consumidores. O app coleta os dados de lojas, restaurantes e lanchonetes que estão com o serviço de entrega em residências, para facilitar a utilização dos internautas e usuários de smartphone do município. Além disso, para os taxistas e mototaxistas, o cadastro também auxilia na divulgação de contatos telefônicos, quando alguém necessitar a solicitação de qualquer ponto de Arcoverde.

Serra Talhada investe no mercado local online

Na capital do xaxado, uma ideia de três jovens mudou o serviço de entregas para o comércio local. Jonadabe de Castro Lustosa, de 26 anos, Romerito Nogueira, 29 anos, e Thiago Severo, 26 anos, graduados em Sistema de Informação pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE-UAST) desenvolveram um aplicativo de delivery 100% prata da casa, ou seja, reúne estabelecimentos comerciais do município.

O aplicativo reúne ofertas tanto para os donos de estabelecimentos que ofertam entrega de seus produtos, quanto para os usuários e clientes dos bares, restaurantes, mercadinhos e demais serviços. Com o Serve, é possível realizar seu pedido antes mesmo que chegar ao local e acompanhar digitalmente sua solicitação.

Afogados da Ingazeira  inova no Comércio Online

Em Afogados da Ingazeira, Sertão do Pajeú, Sara Pacheco começou a vender guloseimas na década passada. “No começo, em 2010, nós chamávamos Doce Sabor e só vendíamos bolos tradicionais da época junina (Pé de moleque, bolo de tapioca, bolo de macaxeira..) “, disse. Mas foi em 2012 , quando Sara saiu de seu trabalho como secretária, que o sentimento de empreendedorismo conquistou seu espaço e ela começou a vender para fora sob outra marca “Gordices”.

Sara Pacheco

Da rua para o comércio online sem fronteiras

A confeiteira do “Gordices” viu nas redes sociais um meio de alavancar seu negócio. “Após esse processo de vender na rua percebi que poderia facilitar as vendas através do mundo digital. Criei uma página no Facebook e Instagram. Virou nossa confeitaria online. Todo nosso trabalho está no @gordicescakesecia, as vendas aumentaram e hoje é minha renda”, destaca. Com mais visibilidade e aumento da clientela”.

Pelo whatsapp, ampliou a variedade de produtos. Hoje disponibiliza diversos bolos vulcões e decorados, saborosas tortas, cookies crocantes, brownies, bombons, trufas e um cardápio especial em datas festivas. Além de Afogados, a confeitaria Gordices tem clientes em Carnaíba, Sertânia, Tabira, Quixaba e Iguaracy.

O mercado online de  Fitness no Pajeú

A diversidade de empreendimentos agrada todos os públicos sertanejos. Pensando em alimentações mais leves, Ângela Maria e seu esposo Adilson, naturais da cidade paraibana Monteiro, resolveram investir no segmento fitness em Afogados da Ingazeira através das redes sociais, especialmente o Whatsapp e desenvolveram o App Vida Leve. “O Vida Leve é um serviço feito no modo delivery e existe há 1 ano e 6 meses. Foi uma direção dada por Deus. Uso o whatsapp e é minha ferramenta de divulgação”, destaca a empreendedora.

Um dos cardápios Vida leve.

Com um cardápio atualizado diariamente, Ângela oferece refeições para o café da manhã, almoço e jantar com um preço bem acessível para todos. O horário de atendimento é de segunda a sábado de 7h às 22h.

Das lojas de rua para o online em Sertânia

Com as medidas impostas pelas autoridades de saúde para conter a proliferação da Covid-19, a empresária Aliciane Barboza, da Andare Shoes, em Sertânia precisou fechar sua loja física devido à pandemia, em menos de um ano de sua abertura.  Segundo a empresária, o período foi muito difícil pois além de ser uma loja nova, a marca era desconhecida. Foi quando decidiu investir no instagram e blogueiras, para tornar os produtos mais conhecidos.

Foto da loja Andare Shoes fechada em Sertânia.

“Investimos mais no instagram @andare_sertania e em blogueiras, que tem muitos seguidores. Para realizar vendas e desenvolver nossa marca nesse período. Foi mais ou menos assim que a gente conseguiu sobreviver durante a pandemia, não foi fácil mas a marca ficou, pelo menos.

Jornalista Carol Souza e Anderson Santana 

Editora Luciana Leão e Antônio José