Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de outubro de 2021

Saúde

Confirmada a presença da perigosa variante amazônica da Covid-19 em Petrolina

Secretário de Saúde de Pernambuco, o médico André Longo, confirmou que a variante amazônica já domina a pandemia em Pernambuco. Das 90 amostras aleatórias, cinco confirmaram a presença da nova cepa. Um dos pacientes é de Petrolina, no Sertão do Estado. Essas pessoas foram infectadas entre os meses de janeiro e março deste ano. O Governo vai estender o monitoramento dessa variante do vírus em outras regiões do Estado de Pernambuco. Anteriormente, o secretário destacou que a variante P1 é de 2,5 a 5 vezes mais transmissível do que a cepa original e ela pode ocasionar reinfecções em até 6,9% dos casos.

Postado em 25/03/2021 2021 20:55 , Saúde. Atualizado em 25/03/2021 20:55

Jornalista , Editor Antônio José em Saúde

Nova variante. Foto: BlackJack3D/Getty Images

Durante coletiva de imprensa, o secretário Estadual de Saúde, André Longo confirmou que após análise do sequenciamento genético, realizada pelo Instituto Aggeu Magalhães (IAM/Fiocruz PE), confirmou que cinco amostras biológicas de pernambucanos confirmados para a Covid-19 apresentaram a variante P.1 da doença. Uma dessas é de um paciente do Sertão, mais precisamente em Petrolina.

Detalhes dos casos confirmados

Os pacientes contaminados com a variante amazônica são:  quatro mulheres e um homem, com idades entre 21 e 70 anos. Três são moradores da capital Recife, um de Jaboatão dos Guararapes e outro em Petrolina, maior cidade do Sertão. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), essas cinco pessoas foram infectadas entre os meses de janeiro e março deste ano. 

Como foi o processo de análise?

A SES-PE encaminhou para a FioCruz 90 amostras escolhidas de forma aleatória e contemplando todas as regiões do Estado. No entanto, apenas 45 tiveram condições para finalizar o processo.

“Esse é um achado científico que já esperávamos, pela circulação da variante em diversos Estados e a constante circulação de pessoas no nosso território. (…) Nas últimas semanas, estamos vendo uma crescente de casos em todas as regiões do Estado e um aumento expressivo nas solicitações de leitos”, pontuou o secretário e médico, André Longo.



A variante Amazonics  já domina pandemia em Pernambuco

O resultado confirma que a variante P.1 também denominada variante Amazônica é a que domina a pandemia em Pernambuco. “Até o momento, analisamos poucas sequências dos meses de fevereiro e março, porém esse trabalho prossegue e aumentará o volume de informações disponíveis”, destaca o pesquisador da Fiocruz PE Gabriel Wallau.  

Em fevereiro, o Instituto Aggeu Magalhães já tinha encontrado a variante P.1 do novo coronavírus nas amostras biológicas de dois pacientes de Manaus que vieram receber atendimento hospitalar no Estado. Na época, o órgão de pesquisa analisou 44 amostras biológicas que tinham confirmação para a Covid-19. Desse total, quatro eram de pacientes do Amazonas (e duas foram confirmadas com a nova variante). 

Expectativa para novas confirmações da variante no Estado

O Lacen-PE continuará encaminhando para a Fiocruz amostras biológicas de pacientes positivos para a Covid-19 com o intuito de monitorar a circulação do vírus no Estado. Esse será um trabalho periódico e feito por amostragem de diversas regiões e municípios do Estado.

Cepa amazônica, mais transmissível e ocasiona reinfecções 

No dia 11 de março, também em coletiva de imprensa, o médico André Longo destacou a periculosidade dessa nova cepa. “É muito possível que nós já tenhamos a circulação, em especial, da variante P1 amazônica por todos os Estados brasileiros. E é provável também que ela esteja implicada nesta nova aceleração da pandemia aqui no Estado”, afirmou.

Ainda segundo o secretário, a variante P1 é de 2,5 a 5 vezes mais transmissível do que a cepa original e ela pode ocasionar reinfecções em até 6,9% dos casos.