Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de julho de 2021

Viagens e Turismo

Passaporte de Vacinação e Bolhas de viagens? Nada será como antes! Por Marília Paes

Hoje, Marília fala sobre as mudanças no mercado das viagens e do turismo e dos novos protocolos adotados, e também sobre os Passaportes de Vacinação, que pretende ser um documento unificado, para ser aceito em vários países.

Postado em 26/03/2021 2021 12:35 , Viagens e Turismo. Atualizado em 26/03/2021 12:38

Colunista

Marília Paes Turismóloga Especialista em Planejamento e Gestão do Turismo

As viagens não começaram poucos anos atrás. Remonta há centenas de anos a necessidade de deslocamento das pessoas e consequentemente a maneira como elas são acolhidas nos locais aonde chegam tem tido muita relevância para entender a relação dos Seres Humanos com as viagens.

De acordo com dois pesquisadores brasileiros, Figueiredo e Ruschmann (2004), compreender o homem por meio do estudo das viagens ou buscar as razões que levam o homem a viajar e descobrir como as viagens influenciam na vida e no comportamento são questões importantes.

Por isso, sempre é tempo de tentar entender o que leva uma pessoa a viajar, quais os anseios dela quando viaja. Ela quer fugir de uma realidade ou simplesmente buscar algo novo, inusitado, diferente do que tem em seu local de residência?

A busca por alimentos, a necessidade de conquistar novos territórios ou a intenção de participar de jogos entre em povos eram grandes motivadores dos deslocamentos na antiguidade. Porém, nada disso tinha ainda a conotação de viagens a lazer ou a passeio. As viagens para descobrir novas terras, como as grandes navegações, que levam a Europa, principalmente Portugal e Espanha, à “expansão ultramarina”, são modelos já um pouco mais organizados e estruturados, embora a intenção não tenha sido ainda a de fazer turismo ou passear, como conhecemos hoje.

E assim, percebemos que as viagens de forma organizada, estruturada e com a intenção de evasão e retorno ao seu local de origem é um pouco mais recente. Ou seja, o que mudou foi a forma como a mesma é pensada e planejada. E assim, vemos que a realidade das viagens e do turismo foi sendo modificada ao longo dos tempos. 



E hoje, não é diferente. Quem tinha oportunidade, vontade e costumava viajar antes da pandemia que estamos vivendo, vai perceber, quando tudo isso passar (e vai passar!), que o mercado das viagens e do turismo terá mudado muito. Aliás, já sabemos que mudou. Muito são os novos protocolos adotados; os países que têm lidado melhor com a pandemia já começaram a adotar as chamadas bolhas sociais, que são nada mais que uma área de controle e segurança entre poucas pessoas de convívio próximo, para evitar a propagação de possíveis casos do Covid-19. (BBC News Brasil).

Essas bolhas têm sido pensadas em maiores proporções, entre países que tem adotado as mesmas medidas e protocolos e sabem das suas situações sanitárias, de cuidados e vacinação. Sendo assim, alguns países, como por exemplo, Nova Zelândia e Austrália pensam em estimular as chamadas bolhas de viagens entre esses países, uma vez que têm cuidados semelhantes e também pela sua localização e pela geografia insular, conseguem um maior isolamento dos outros países. Outros exemplos foram pensados na Europa, entre os países bálticos Letônia, Estônia e Lituânia, pois esses países tinham protocolos sanitários semelhantes e iriam assim permitir a circulação de seus habitantes. 

Por outro lado, os viajantes de uma maneira geral, muito provavelmente terão que ter os, por agora chamados – Passaportes de Vacinação, que pretende ser um documento unificado, para ser aceito em vários países que mostraria a situação de saúde e vacinação do passageiro.  

Alguns testes já vêm sendo feitos, tais como o IATA Travel Pass (que envolveria diversas empresas aéreas), ou o Health Protect que seria um aplicativo para compartilhar informações de exames de saúde ou vacinas, emitindo alertas ao passageiro sobre os requisitos que devem ser cumpridos no aeroporto para o qual o viajante se destina, por exemplo. E ainda, o Digital Health Pass, que estaria sendo desenvolvido pela IBM, como um cadastro digital com as informações de saúde dos passageiros. (BBC News Brasil)

Com tudo isso e muito mais que vem por aí, em termos de protocolos sanitários e abertura e fechamento de fronteira entre países, sabemos, sem querer ser clichê e já sendo, que nada será como antes. E que todos nós precisamos nos cuidar e pensar que enquanto o nosso país também não aderir a esses protocolos mais rígidos estará um pouco distante, para todos nós, a possibilidade de viajar, até mesmo para os países vizinhos, ou ainda, temos que pensar que não seremos um país que estará no topo da lista dos mais procurados por aqueles que querem fazer uma viagem segura.  

Sendo assim, vale a pena pensar, o que queremos, em termos das viagens e turismo daqui pra frente para o nosso Brasil?

Quem é Marília Paes:  Mestre em Geografia Urbana (UFPE), Especialista em Planejamento e Gestão do Turismo (UPE/FCAP), Bacharel em Turismo (UFPE).  Turismóloga  (UFPE), mestre (UFPE) e doutoranda (UFRN) em Turismo, idealizadora da Qualiconsulte onde atua como consultora de hospitalidade e qualidade em serviços.