Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 15 de abril de 2021

Cultura

“O Clã do Velho Chico. O Despertar da Serpente” chega à livraria internacional Amazon Kindle

  “O clã do Velho Chico. O Despertar da Serpente”, do professor Bruno Alexandre da Silva, de Petrolina, conta lendas do sertão e tem como personagem principal a serpente da ilha do fogo, do Vale do São Francisco. Segundo a lenda, uma grande cobra foi presa embaixo da ilha por três fios de cabelo de Nossa Senhora das Grotas, mas dois desses fios já se soltaram e agora só resta um. Na história do professor, a serpente se solta e uma família do sertão descobre um mundo de mistérios. A ideia surgiu após o professor postar um vídeo no aplicativo TikTok contando a lenda, que viralizou. Hoje a obra está disponível na maior empresa de livros digitais da atualidade, a Amazon Kindle

Postado em 27/03/2021 2021 12:58 , Cultura, Últimas Notícias. Atualizado em 27/03/2021 14:03

Bruno Alexandre Autor do livro O Clã do Velho Chico. O Despertar da Serpente Foto: Arquivo Pessoal

O sertão é um local rico em histórias que são passadas de geração a geração e mexem com o imaginário de crianças e adolescentes: são as lendas. Foi para incentivar esse costume que Bruno Alexandre da Silva, petrolinense, decidiu escrever um livro com algumas dessas lendas, e que tem como personagem principal a serpente da ilha do fogo, do Vale do São Francisco.

“Eu queria resgatar essa tradição de contar lendas, que na minha época era muito mais forte. Geralmente a gente do sertão, quando é criança, não tem muita referência daqui, mas sim de fora, de São Paulo, da Inglaterra. Eu queria trazer esse senso de pertencimento para cá, para que as crianças daqui vejam que também pode ter magia no sertão”, conta Bruno.

Foto: Arquivo Pessoal

Lenda da serpente da Ilha do Fogo

A história conta que, há muito tempo atrás, uma menina muito bonita, moradora da cidade de Juazeiro, permaneceu por muito tempo admirando seu próprio reflexo às margens do Rio São Francisco. A moça acabou perdendo a noção do tempo e, na badalada das 18h, se transformou numa serpente gigante.

Até hoje, moradores do local dizem que a cobra foi presa por três fios de cabelo de Nossa Senhora das Grotas, padroeira de Juazeiro, embaixo da Ilha do Fogo, e que dois desses fios já se romperam por conta dos pecados cometidos pela população. Se um dia o último fio se partir, Petrolina e Juazeiro serão inundadas.

No livro de Bruno a serpente se solta, e uma família de Petrolina descobre um mundo de magia e segredos enquanto tenta se salvar.



A força das redes sociais

Bruno conta que a ideia do livro surgiu depois que começou a postar vídeos de humor e brincadeiras na rede social TikTok, a mais usada pelos jovens na atualidade. Lá, decidiu contar a lenda da serpente para seus seguidores, e fez muito sucesso entre pessoas do sertão e de fora dele. A partir disso, resolveu dar início à obra e continua postando conteúdo de humor e curiosidades em suas redes sociais, muitas vezes sobre o sertão.

“A internet é muito positiva no sentido de que eu tenho a oportunidade de conhecer pessoas de vários lugares do Brasil e de ser ouvido pelo mundo. Você posta uma coisa e chega em muita gente em segundos, então eu fico muito feliz”, afirma.

O impacto das lendas entre o público infantojuvenil

“Espero que o livro seja positivo para crianças e jovens na questão da identificação. Quero que leiam e percebam onde vivem, que passem em uma rua da cidade e falem: ‘então foi aqui onde estou passando que aconteceu aquela cena’”, explica Bruno, que é professor de ciências e trabalha com o público infantojuventil. Ele afirma que sua profissão influenciou na escrita da obra, porque costuma observar, durante suas aulas, como seus alunos se comportam, do que gostam e o que costumam consumir.

O sertão para além das fronteiras

“O clã do Velho Chico: o despertar da serpente” está disponível no site da Amazon no formato e-book e pretende ter uma continuação. “Vai ter parte dois. Os leitores vão conhecer um novo mundo de mistério em Petrolina. Quero que meus livros se passem todos aqui no sertão, com histórias de diversos formatos: mistério, aventura e romance”, afirma o autor.