Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de junho de 2021

Bem Estar

Psicóloga do Sertão dá dicas e orientações para controlar a ansiedade na pandemia

O Jornal do Sertão convidou a coordenadora do curso de Psicologia da Uninassau, a psicóloga Samara Oliveira , para dar orientações e dicas de como lidar com a ansiedade nesse momento que vivemos: A pandemia do novo coronavírus, que já dura há mais de um ano, trouxe um contexto delicado à tona, de ansiedade diante das incertezas e inseguranças do período. Por isso, cuidar da saúde mental é essencial para alcançar o equilíbrio.

Postado em 13/04/2021 2021 20:32 , Bem Estar. Atualizado em 13/04/2021 20:32

Jornalista , Editor Antônio José em Bem Estar

Foto: Reprodução Internet

No contexto delicado da pandemia do novo coronavírus, a ansiedade tem surgido como companheira de muitas pessoas. “A nossa sociedade em si já é ansiosa  e perdemos muitos aspectos que permitiam o gerenciamento da ansiedade, como atividades físicas mais amplas, reforços positivos como atividades de lazer e encontros. Com essa situação  que ninguém imaginou passar na modernidade,  preocupações reais de usar máscara, álcool em gel, perda de entes, medo do Covid-19 e ao mesmo tempo ficar isolado, menos contato social, intensidade de aulas remotas, do home office a ansiedade pode vir à tona”,  diz a psicóloga Samara Oliveira.  

Dicas para lidar com a ansiedade na pandemia

“Com a quantidade de informações, é necessário fazer uma triagem, não consumir todo tipo de notícia, apenas o suficiente para se manter informado . Escolher um veículo confiável, fugir de fake news que sempre intensificam as notícias; tentar manter a rotina o mais próximo de uma rotina natural também é importante, mesmo em casa, com a família; reduzir o tempo de telas, não ficar o dia inteiro conectado; tentar fazer uma atividade física, mesmo em casa, movimentar o corpo, são algumas das dicas para diminuir a ansiedade” ressalta. 

Psicóloga Samara Oliveira. Foto: Arquivo Pessoal

Quando atrapalha a vida cotidiana, é hora de procurar ajuda 

A profissional do campus Petrolina explica ainda que a anisedade, em si, não é maléfica, uma vez que ela nos ajuda a nos proteger. O problema é quando ela não tem  relação com a realidade e passa a ser patológica, atrapalhando a vida cotidiana.  ” Daí é necessário que a pessoa tenha ajuda profissional, como psicólogo e uma psicoterapia,  em muitos casos fazer uso de medicação para controlar essa patologia”, explica.