Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 19 de junho de 2021

Educação

Escola Técnica Profissional em São José Egito lidera o Ensino a Distância além das fronteiras do Sertão

Em tempos de pandemia, o ensino no sertão também enfrentou grandes desafios.
A metodologia de Ensino a Distância implantada pela Escola Técnica Célia Siqueira em São José do Egito foi considerada exemplar pela Secretaria Estadual de Educação de Pernambuco . A Escola atende com ensino remoto a 12 municípios, sendo seis em Pernambuco, São José do Egito, Tuparetama, Santa Terezinha, Tabira, Itapetim e Brejinho e mais na Paraíba , Prata, Ouro Velho, Amparo, Teixeira, Matureia e Estevão.
A escola teve 96% de participação dos alunos nas aulas remotas e 98% obtiveram engajamento, ou seja, fizeram as atividades propostas pelos professores. Um resultado exemplar liderado pelo diretor da Escola Prof Nieldson do Nascimento Amaral.

Postado em 15/04/2021 2021 09:37 , Educação. Atualizado em 15/04/2021 09:40

Jornalista , Editor Antônio José em Educação

Foto: Divulgação

As perguntas sem respostas, inicialmente, que acompanharam a equipe de gestão e o corpo docente composto por 27 professores, liderados pelo diretor Nieldson do Nascimento Amaral tornaram-se combustíveis para inovação e motivação de todos.

Como afirma o diretor da escola, como bons sertanejos, não existem desafios que não possam ser superados.

Era o momento de buscar soluções rápidas, criativas e inovadoras. Com ajuda da tecnologia, o grupo gestor, em menos de cinco dias, escolheu a plataforma de ensino a ser ministrada as aulas: Google sala de aula (google classroom) e que seriam transmitidas pelo aplicativo Meet, todos gratuitos.

Orientação para professores, alunos e pais

Com a tecnologia definida, o segundo passo foi o de orientar os professores como lidar com o ensino remoto e EaD. “Não foi fácil. Existiram muitas dificuldades. Mas superamos. Oferecemos cursos técnicos aos professores em parceria com a Universidade Federal do Ceará, onde os professores puderam ter acesso ao conhecimento”, disse Niedson.

O outro passo seria explicar aos familiares e estudantes de como se daria a mudança que chegou tempestivamente, sem avisar. A conscientização de que o momento não era de férias e sim de suspensão de aulas presenciais foi importante, segundo o diretor da ETE Célia Siqueira. “Fizemos um vídeo tutorial no Youtube e várias reuniões online com os pais e estudantes para informar passo a passo das mudanças”.

Foto: Divulgação

As aulas e a metodologia

O modelo de aulas ao vivo pelo Google classroom transmitido via plataforma Meet do também do google foi bem recebido pelos alunos e familiares, tanto que a escola teve 96% de participação dos alunos nas aulas remotas e 98% obtiveram engajamento, ou seja, fizeram as atividades propostas pelos professores. Para aqueles estudantes sem acesso à internet foram entregues resumos específicos de conteúdos aos seus familiares. “Mas, alguns entregamos pessoalmente. Um grupo de 12 não teve acesso às atividades on line”.

Foto: Divulgação

A metodologia implantada pela ETE Célia Siqueira foi considerada exemplar pela Secretaria Estadual de Educação. A escola atende a 12 municípios, sendo seis em Pernambuco (São José do Egito, Tuparetama, Santa Terezinha, Tabira, Itapetim e Brejinho) e mais na Paraíba (Prata, Ouro Velho, Amparo, Teixeira, Matureia e Estevão). “O trabalho constante e semanal de monitorar como estava o aprendizado foi importante para sinalizar onde precisávamos fazer ajustes. Tivemos várias palestras motivacionais on-line  para professores, familiares e estudantes. Tais ações somaram positivamente”, avaliou o gestor.

Qualificação dos professores e segurança

Em paralelo ao novo modelo de ensino, a qualificação dos professores se fez necessária, já que muitos tinham dificuldades em lidar com as novas ferramentas. A ETE deu início ao projeto “Ação colaborativa entre os docentes”, onde cada semana tinha um professor-colaborador que replicava conhecimento aos seus colegas. “A ideia é juntar e construir conhecimento e levar para nossos alunos”, explicou Nieldson. Ao mesmo tempo, os professores estão fazendo um curso com 180 horas especializado em ensino híbrido (aulas remotas e presenciais ), em parceria com a Universidade Federal do Ceará.

“Todas as ações desenvolvidas são importantes para transmitir aos familiares e alunos confiança no modelo educacional implantado. Por exemplo, quando as aulas presenciais retornaram agora em fevereiro, instituímos protocolos específicos. Para quem optou no ensino híbrido (remoto e presencial) não houve mais intervalos para lanche, assim como distanciamento respeitado e menor número de alunos por turma”.