Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 20 de junho de 2021

Agronegócios

A Caatinga será o grande empreendimento do sertão. É só aguardar. Por Geraldo Eugênio

Esta semana comemoramos o Dia Nacional da Caatinga. O que essa região representa para cada um sertanejo. Durante muito tempo fomos nos acostumando com a percepção falsa construída sobre ela de ser uma região sem futuro, problema para a nação e fonte de uma mão de obra pobre.
Vamos transformar a vida que habita a Caatinga em riqueza para seu povo, os gravetos e os troncos mortos em arte, joias, móveis, moda, calçados e adereços. Vamos aproveitar melhor a água que cai sobre nós ano a ano e agregar valor a nossa produção agrícola e pecuária.

Postado em 29/04/2021 2021 13:45 , Agronegócios. Atualizado em 29/04/2021 13:48

Colunista

Geraldo Eugênio Eng. Agrônomo e pesquisador do IPA

O dia nacional da Caatinga

Esta semana se comemorou o dia nacional da Caatinga, 28 de abril. Dentre tantas datas comemorativas, nada mais justo do que lembrarmos de enaltecer um dos mais importantes biomas brasileiros, seu valor ambiental, cultural, social e econômico. Afinal, a caatinga representa ao redor de 80% do semiárido, que, por sua vez tem uma extensão de 960.000 quilômetros quadrados e onde se vive mais de 22 milhões de irmãos. Para que se tenha uma melhor ideia, Pernambuco conta com 98.000 quilômetros quadrados. Não é uma paisagem uniforme, embora algumas espécies de plantas sejam endêmicas podendo ser vistas na maioria dos locais onde se vá realçando uma identidade forjada à sol e seca.

 

O que ela representa para cada um sertanejo

Trata-se de uma região mágica, cortada por dois grandes rios, o São Francisco e o Parnaíba, além de dezenas outros cursos de água que permeiam a alma, o ego e o território nordestino. Dela saíram personagens míticas como Antônio Conselheiro, Padre Cícero, Lampião e Maria Bonita, Luiz Gonzaga, Raquel de Queiroz e Graciliano. Durante muito tempo fomos nos acostumando com a percepção falsa construída sobre ela de ser uma região sem futuro, problema para a nação e fonte de uma mão de obra pobre, desqualificada e miserável. Chegou o momento de enterrar este conceito e aqueles que dele usufruem.

Foto Alvaro Severo

 

Seu potencial

A caatinga tem tesouros imensuráveis a serem descobertos, genes únicos, embricados em suas plantas, microrganismos e animais, e que serão de amplo uso nas tecnologias contra as secas, tolerância à altas temperaturas, precocidade e rusticidade para a agricultura do futuro. Há ainda uma outra carga genética as ser explorada na farmacologia, na perfumaria e na cosmética. A humanidade se deparará com outros desafios e pandemias e a Caatinga estará apta a ajudar na superação de problemas que trarão ameaças à nossa sobrevivência.

 

Do potencial à riqueza

Muito temos falado sobre a riqueza escondida, tal qual uma botija. Vamos dar um passo à frente e ser atores importantes das mudanças à vista. Chegou a hora da academia, dos empresários, dos jovens, dos líderes mostrar o que têm de melhor. Aproveitar os investimentos em novas unidades de ensino e pesquisa, laboratórios atualizados, professores e alunos com gana e desejo de avançar e sairmos ao campo como os caçadores da arca perdida. Vamos transformar a vida que habita a Caatinga em riqueza para seu povo, os gravetos e os troncos mortos em arte, joias, móveis, moda, calçados e adereços. Vamos aproveitar melhor a água que cai sobre nós ano a ano e agregar valor a nossa produção agrícola e pecuária. Sertanejos! Chegou o momento de deixarmos de ser considerados o primo pobre e pegajoso e passarmos a ser o orgulho da nação e um exemplo para o mundo. Outros já fizeram sua parte. Façamos a nossa.