Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de junho de 2021

Bem Estar

Inércia Existencial  Por Antônio José

O comportamento repetitivo é um fator condicionante, que nos  conduz por um caminho, como se  estivéssemos sendo guiados por um  piloto automático, que  dificulta  a tomada de novas direções. 

Postado em 01/05/2021 2021 19:00 , Bem Estar. Atualizado em 01/05/2021 18:38

Antônio José Jornalista e Editor do Jornal do Sertão

Como criatura humana que somos, funcionamos como  seres dotados, à tendência de ter hábitos repetitivos e condicionamentos, que na maioria das vezes, funciona como  um processo de atrofia, impedindo a inovação, porque esse é um fruto gerado pela repetitividade de ações inadequadas, frente à solução  de problemas, impedindo assim, a realização do desejo almejado. Ou seja, quando se repete o mesmo processo, já usado anteriormente só porque deu certo, não significa que ele servirá para solucionar todos os problemas que aparecerem. 

 

Repetição de Atitudes

Temos  a tendência de repetir uma ação considerada de sucesso, ou que deu certo em um determinado momento, para resolver todos os problemas que nos aparece, independente da situação ou do que seja, sempre utilizando os mesmos métodos.  isso é uma realidade que se repete como se fosse normal. Sendo repetitivo, usando um modelo que deu certo em outra situação, o sucesso esperado não acontece.  Não acontece porque o elemento de mudança se foi, desapareceu.  Tendemos continuar praticando os mesmos padrões, condicionados, só porque ele é o nosso conhecido e já nos é familiar, e pelo medo de enfrentar o novo, o desconhecido, achando que o risco de errar é mais delituoso que o risco da repetição fracassada, já conhecida. 

 

Reprodução Net

 

A Força da Inércia 

A inércia, aparentemente pode ser cômoda e até mesmo familiar, mas ela tem um caráter enganador, ela cria em nós, um sistema de acomodação, ou seja, a tendência de que um corpo parado deve permanecer parado,  ou de um corpo que se movimenta em linha reta,  permaneça se movendo em linha reta    a menos que uma força externa atue sobre ele e mude a sua direção.   Em geral, tratamos    a inércia como uma força estável que nos ajuda a prosseguir em um determinado caminho que escolheram para nossa caminhada. Uma atitude, que apesar de parecer confortável e segura, é fruto da própria inércia mental, que diante da impossibilidade de uma atitude inovadora, se repete, levada pela acomodação do condicionamento, que sempre nos leva na mesma direção de sempre. A força da inércia é enganosa, por isso, nociva   na solução dos dramas da vida.  Inclusive, ela já matou mais criaturas humanas do que se poderia imaginar,  por falta de uma nova atitude, coerente,  em um  momento adequado.   

 

A Inércia impede o movimento da vida

A inércia age como uma força impeditiva do movimento da vida, dificultando que ela flua e, vá adiante.  Para muitas pessoas, sair da inércia é algo assustador, isso ocorre pelo desconhecimento da sua nocividade e pelo receio momentâneo, de dar esse passo decisivo e importante, que funcionará como um        capacitador no enfrentamento dos dramas da vida.  É preciso ter coragem e determinação e usá-la para   sair da inércia como uma grande decisão e, oportunidade, para    começar a escrever o próprio roteiro de vida. É claro que a natureza humana, já acostumada com a inércia, inicialmente vai lhe questionar: Qual o melhor caminho? Qual é o caminho mais rápido?  Qual é o caminho que representa o melhor roteiro?   Nesse processo de decisão responderemos à própria natureza, que no caminho escolhido, não há curvas erradas. Mesmo que no momento da decisão peguemos um caminho mais longo, é porque temos algo a aprender, e que sem ele não aprenderíamos.