Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 28 de setembro de 2021

Economia

Malha aérea do Sertão impulsiona o desenvolvimento econômico da região

Com operações diárias de voos da Azul e GOL, os aeroportos de Serra Talhada/Santa Magalhães, ou simplesmente Aeroporto Regional do Pajeú, e o Internacional Petrolina/Nilo Coelho contribuem para novas oportunidades de negócios e competitividade no Sertão pernambucano. Nesta pandemia, Serra Talhada e Petrolina se mantêm com rotas da Azul, enquanto a GOL, que planeja retomar a operação regular a partir de junho, teve redução em suas rotas no período.

 

Postado em 04/05/2021 2021 18:39 , Economia. Atualizado em 04/05/2021 20:33

Jornalista , Editor Antônio José em Economia

Foto Divulgação

Instrumentos cruciais para o desenvolvimento de uma região, os aeroportos instalados no Sertão pernambucano continuam, mesmo diante da crise provocada pela pandemia da Covid-19, essenciais para comprovar a vocação econômica do espaço aéreo da região srtaneja.

Enquanto o aeroporto de Serra Talhada, em operação há menos de um ano, tem uma vocação para atender as demandas interna de transporte, visto seu raio de abrangência com cerca de 26 cidades de Pernambuco,  suprindo as demandas de passagiros dos polos médicos e educacionais  da região do Pajeú, considerados de grande impotância para o desenvolvimento,   o de Petrolina abrange além das demandas interna, demandas internacionais de voos,  com um  fluxo bastante impulsionado pela Região do  Vale do São Francisco, maior exportador de frutas do Brasil.



Diante desse verdadeiro turbilhão de oportunidades oriundas do Sertão, não à toa, empresas do porte da Azul, a maior companhia aérea do país em número de voos diários e destinos atendidos; e a GOL Linhas Aéreas, operam na região.

 

Serra Talhada e Petrolina se mantém com rotas da Azul mesmo na pandemia

A Azul, por exemplo, revela que mesmo com a pandemia, não deixou de atuar na aviação regional, mantendo a conectividade do Brasil por via aérea. Só em Pernambuco, por exemplo, operam voos em cinco bases. “Na capital Recife, nas cidades de Petrolina, Serra Talhada e Caruaru e na ilha de Fernando de Noronha, conectando o estado à malha doméstica e internacional da companhia”, afirma a companhia.

Ainda de acordo com a empresa, a operação em Serra Talhada teve início em novembro de 2020 e, atualmente, conta com dois voos diários, de segunda a sexta-feira. Já em Petrolina, cidade que a empresa opera desde 2012, são duas operações por dia para Recife e Campinas. “Vale ressaltar que essa atuação regional da companhia estimula o progresso das regiões, pois impulsionam a economia local com o surgimento de novas oportunidades de turismo e negócios”, destaca a Azul.

 

Pandemia reduz fluxo da GOL no Sertão

Com concentração de sua base operacional no Sertão situada no Aeroporto de Petrolina, a GOL Linhas Aéreas precisou readequar seu fluxo de voos nesse período de restrições.

Foto Reprodução

 

De acordo com a empresa, que opera normalmente de Petrolina com dois voos diários sem escalas para São Paulo e um voo diário sem escalas para Salvador, este último em operação com a parceira VOEPASS, esse tráfego sofreu alterações. “Em razão das restrições recentes geradas pela pandemia da covid-19, a oferta foi readequada e atualmente a GOL está com um voo diário para São Paulo e sem voos para Salvador”, explicou, por nota, a Companhia.

Contudo, a GOL atua com a expectativa de retomar a operação regular a partir de junho deste ano, conforme evolução da demanda.