Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 04 de agosto de 2021

Bem Estar

O Pensador Por Antônio José

Existe uma definição excepcionalmente clara sobre o homem, que diz:  “O homem é aquele ser onde o espírito mais elevado e a matéria mais baixa se unem pela inteligência”.

Postado em 12/06/2021 2021 16:00 , Bem Estar. Atualizado em 12/06/2021 12:31

Antônio José Jornalista e Editor do Jornal do Sertão

Esse é o ponto de encontro de todas as três linhas de evolução do homem, espírito, matéria e o intelecto, interligando-os   é considerado como aquele que unifica o ser, o não-ser e a relação entre eles, e é visto como o conhecedor, o que é conhecido, e conhecimento. Qual o propósito do intelecto ou do conhecimento? Com certeza adaptar a forma material às necessidades e exigências do espírito que nele habita, certamente habilitar o pensador, dentro do corpo, a utilizá-lo inteligentemente e com algum propósito definido; a fim de que a unidade central energética possa controlar construtivamente seu aspecto negativo. Estamos, todos, entidades, animando uma forma e, através da inteligência, tentando utilizar aquela forma para um objetivo específico que existe dentro da vontade consciente do verdadeiro ser.

1

O morador Interno

Condensando todo esse contexto de realidade humana, a vida se restringe a uma pequena esfera da qual somos o centro. A forma é uma reunião de vidas constituídas nos reinos mineral, vegetal e animal numa grandiosa escada; o ser humano é a sequência lógica de todos esses desenvolvimentos anteriores. Primeiro, a matéria primordial, energia essencialmente inteligente; a seguir, a matéria atómica em toda sua atividade variada, formando uma combinação de elementos; depois a forma, a reunião destes átomos até o habitante dentro da forma, que é não só inteligência ativa, não só atração inerente e amor, mas também uma vontade objetiva. Este “morador interno” apoderou-se da forma quando ela havia alcançado um certo grau de preparação e quando as vidas componentes haviam alcançado uma certa capacidade vibratória; agora ele a está utilizando e repetindo, dentro de sua própria esfera de influência, o trabalho do átomo da matéria; todavia, ele aparece não de uma maneira, mas de duas, ou três.

 

Atributos Divinos

A evolução é fruto de um crescimento gradual; ela é suplementada pela lenta elaboração da qualidade interna subjetiva da vida de Deus e, assim, sua natureza essencial se revela. Primeiro, um aspecto é revelado, depois outro aparece vagarosamente e, finalmente, pode-se ver o terceiro e temos a extraordinária combinação e consumação, o ser humano. Este sintetiza e funde os três aspectos, unindo-os em si próprio. Embora a totalidade dos atributos divinos ainda sejam grandemente embrionários e ele tenha que repetir, dentro de seu ciclo de evolução, os processos que o próprio átomo seguiu. Do mesmo modo que o átomo segue seu próprio curso interno e mais tarde tem de ser levado a incorporar e fundir-se a outros átomos na formação de um grupo, também o átomo humano terá que encontrar, igualmente, seu lugar dentro de uma forma maior. Ser parte integrante de um grande grupo (átomo)   oriundo da funcionalidade de cada célula.