Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 04 de agosto de 2021

Bem Estar

Sem capacidade de se apaixonar pelos dias Por Daniel Lima

É cada vez mais   comum ouvir pessoas dizerem que têm sentido uma espécie de vazio, apatia. Os relatos vão-se multiplicando. Isso não significa que  a pessoa esteja  deprimida, ma, que ela tem uma perturbação psiquiátrica associada, mas também, claramente, não se sente bem.

Postado em 16/06/2021 2021 19:34 , Bem Estar. Atualizado em 17/06/2021 10:05

Colunista

Daniel Lima – Teólogo, Filósofo e Psicanalista/GBPSF/ISFN. @daniellima.pe

Esse é um princípio muito cíclico de irmos nos  fechando como se nos isolássemos  em nós mesmos e até de nós mesmos. Existe um nome técnico para isso: “languishing”. Para esta palavra inglesa,  não existe um equivalente,  óbvio,  em português. “Definhamento” é um termo que pode ajudar a traduzir a realidade, de certa forma. Parece que vivemos os dias sem destino, como se olhássemos para a vida através de um nevoeiro. Uma  sensação de estagnação e vazio. A maneira que estamos vivendo desde que a covid-19 chegou,  tem sido muito propícia para a multiplicação destas situações.

Todavia, o conceito não nasceu com a pandemia — foi introduzido pelo sociólogo norte-americano Corey Keyes, na sequência de investigações realizadas nos anos 90 do século XX —, mas quem  tem se sentido assim nos últimos meses reconhecerá os sintomas. É aquela procrastinação, que vamos adiando as tarefas,  até as últimas instâncias e, vivendo esse adiar com uma espécie de angústia culposa. 

 

Desmotivação e Incapacidade de Projeção

A pessoa vive uma desmotivação que se entranha. Além da incapacidade de nos projetarmos no futuro. Porém se não fizermos nada, isto não passa,  porque isso não é uma coisa que o tempo resolva. Pelo contrário,  se mantivermos a inércia, vamos continuar a definhar. A investigação científica diz que o languishing é um fator de risco para futuras situações de doença mental. Então, é muito importante identificar o que está se passando conosco. Estarmos atentos aos nossos pensamentos, emoções e comportamento. Entretanto, essa positividade tóxica que nos força a termos de estar sempre otimistas não ajuda em nada. Tudo bem não está bem o tempo todo.

 

Reforço das Sensações e Controles de Metas

Ter uma vida ativa, manter uma certa rotina. Criar momentos sem interrupções. Hoje um dos fatores mais importantes para a motivação e alegria diárias é a sensação de progresso, então, definir objetivos realistas e curtos, para reforçar a sensação de controle e de cumprimento de metas. Também existe a ajuda profissional especializada e daí surge a pergunta para um milhão de dólares: qual é o momento em que se percebe que essa ajuda é necessária? Como não há uma resposta universal, isso vai de acordo com a singularidade de cada caso. Para isto é preciso perceber o nível de desconforto que a situação provoca. Se começa a condicionar a vida da pessoa, a provocar um sofrimento intenso e com significado, a pessoa deve procurar ajuda. A conversa com uma escuta qualificada (psicólogo e psicanalista) é bastante organizadora e dá algum significado àquilo que a pessoa está sentindo. Também ajuda-a a compreender um pouco melhor o que está acontecendo. Afinal de contas, não deprimidos não significa que não estão com dificuldades ou em algum sofrimento psíquico. Não esgotados não quer dizer que estejamos cheios de energia. Ao reconhecermos que tantos de nós estamos num processo de languishing, podemos dar voz a uma angústia silenciosa e encontrar um caminho para sair do vazio.

 

Quem é Daniel Lima Gonçalves: Psicanalista, Filósofo e Teólogo.
Membro do Grupo Brasileiro de Pesquisas Sándor Ferenczi – GBPSF; Membro da International Sándor Ferenczi Network – ISFN; Membro Emérito – Sociedade Pernambucana de Estudos Psicanalíticos – SPEP; Estudo Permanente em Psicanálise no Instituto Nebulosa Marginal – INM; Especialista em Psicanálise e Teoria Analítica – FATIN; Especialista em Filosofia e Autoconhecimento – PUCRS; Extensão em Certificação Profissional em Neurociências – PUCRS; Pós-graduando em Ciências Humanas – PUCRS; Cursando Formação na clínica psicanalítica com adultos – CPPLRecife.
@daniellima.pe    daniellimagoncalves.pe@gmail.com