Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 04 de agosto de 2021

Cultura

Causo: Lobisomem em Araripina? Por Bruno Alexandre

Já dizia Zé Ramalho: impérios de um lobisomem. Enquanto a luz da lua cheia ilumina as ruas das cidades sertanejas, uma fera percorre sem rumo esse sertão de meu Deus. A história de hoje veio diretamente da terra do gesso: Araripina. 

Postado em 18/06/2021 2021 16:43 , Cultura. Atualizado em 18/06/2021 12:41

Jornalista , Editor Antônio José em Cultura

Sempre que minha vó reunia os netos na calçada, durante as noites quentes do verão sertanejo, era de se esperar que hora ou outra surgissem histórias de lobisomens. Segundo ela, o meu avô já tinha topado com uma dessas feras, enquanto voltava do trabalho na fábrica, acompanhado pelo silêncio sombrio das madrugadas. E foi assim, que desde muito cedo, histórias de homens lobos começaram a fazer parte do meu imaginário, como uma das criaturas sobrenaturais mais horripilantes que se podia ter relato. Bom, pelo menos para uma criança de 8 anos. O fato é que, felizmente, ou não, o causo de hoje não se passa em Petrolina, cidade onde cresci ouvindo histórias de visagens e assombrações, mas veio de outra terra muito importante no sertão de Pernambuco: a terra do gesso, Araripina.

 

Lobisomem em Araripina?

Em meados de março de 2020, logo no começo da pandemia, o site Araripina em Foco publicou uma matéria no mínimo curiosa acerca de um lobisomem que andou visitando a cidade. Segundo a matéria, a presença do tal homem lobo deixou os moradores assombrados, evitando até que alguns cogitassem sair de casa durante à noite. 

 

Há quem jure de pé junto que viu o bicho

Ainda segundo a publicação, alguns moradores relataram contato pessoal com a fera. Há quem diga que a sua versão humana visitou sua casa para pedir água durante o dia. Já outros, não tiveram a mesma sorte e toparam com o bicho já transformado, mas felizmente saíram ilesos da situação. 

 

Que fim levou?

Bem, até hoje não se sabe o paradeiro do tal lobisomem, e muito menos,  se fez alguma vítima. O que se sabe é que, segundo o próprio blog, o lobisomem passou por outras cidades antes de sumir do mapa. Agora, toda vez que o brilho da lua cheia ilumina as ruas das cidades sertanejas, há sempre de se lembrar que a fera continua solta por, caminhando sem rumo nesse sertão de meu Deus.

 

Bruno Alexandre. Licenciado em química e professor de ciências no ensino fundamental II, em Petrolina. Conta lendas, causos e histórias sobre o sertão no tik tok e no Instagram.