Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 08 de dezembro de 2021

Cultura

A magia do São João Por Bruno Alexandre

Muito se fala sobre a magia do natal e o quanto ele é encantador. Não me levem a mal, eu também adoro as festas de fim de ano, mas vocês já pararam para observar o quanto o São João, pelo menos no Nordeste, é uma época tão encantadora quanto?

Postado em 25/06/2021 2021 17:23 , Cultura. Atualizado em 25/06/2021 17:25

Jornalista ,

Bruno Alexandre
Professor e Escritor
Colunista do Jornal do Sertão

Grande parte do nosso imaginário sobre a noite feliz foi construída nos filmes americanos que mostram um natal frio, com neve e muitas luzes espalhadas por aí, mas, se a gente parar para pensar bem, a noite de São João é tão mágica quanto. Ruas, escolas e empresas estampam bandeirolas e xadrez por todos os lados, tem comida típica carregada de muito milho e sem falar naquele friozinho típico das noites de inverno sertaneja, que nessa época do ano vem acompanhado de um forrozinho pé de serra para aquecer a alma. E por falar em aquecer  tem um item que é marca do nosso São João, tanto quanto a árvore de natal na noite feliz: a nossa fogueira junina. Mas, de onde será que surgiu tanta tradição?

 

Histórias Por Trás da Noite Feliz no Nordeste

Não existe  um consenso  sobre a origem do São João e de todas as suas tradições. Passando pela Europa, Grécia antiga, até chegar ao cristianismo, muitas histórias tentam explicar como tudo começou. Alguns estudiosos apontam a origem da festa como pagã. Reza a lenda  que os motivos  deram origem às festas juninas, na verdade, eram comemorações  em homenagem aos deuses da natureza e da fertilidade. Os povos antigos celebravam para pedir fartura próximo ao período de colheitas, quando se inicia o verão no hemisfério norte. Ainda segundo a história, como a igreja não conseguiu acabar com a festa, introduziu um caráter religioso aos festejos. 

 

A origem da fogueira 

  Se por um lado existe uma lenda sobre a origem pagã das festas juninas, por outro, existe uma lenda religiosa,  sobre a origem da fogueira. Reza a lenda que Santa Isabel e Santa Maria eram muito amigas e costumavam visitar-se durante a tarde. Em uma dessas visitas, Santa Isabel anunciou que o seu filho estava prestes a nascer. Nossa Senhora, preocupada com a amiga,  lhe perguntou como poderia ficar  sabendo da notícia  do nascimento e,  Santa Isabel,  logo respondeu dizendo que acenderia uma fogueira como símbolo do nascimento da criança. Foi dito e feito. Quando São João, filho de Santa Isabel nasceu, ela logo acendeu uma fogueira anunciando a chegada do menino. Segundo a lenda, o ato deu tão certo, que  se perpetuou até os dias de hoje, virando tradição. Toda vez que as fogueiras são acesas, durante os festejos juninos, é para anunciar o nascimento de João.

 

Bruno Alexandre. Licenciado em química e professor de ciências no ensino fundamental II, em Petrolina. Conta lendas, causos e histórias sobre o sertão no tik tok e no Instagram.