Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 25 de novembro de 2021

Economia

O Avanço da Vacinação e a Mudança no Perfil dos Óbitos por Covid-19 Por João Ricardo

O Colegiado de Economia da FACAPE (Faculdade de Petrolina) realiza diariamente um acompanhamento sobre a evolução da pandemia nas cidades de Petrolina/PE e Juazeiro/BA, no Submédio do Vale do São Francisco, desde o início da pandemia.

Postado em 29/06/2021 2021 17:54 , Economia. Atualizado em 30/06/2021 10:42

Economista João Ricardo de Lima Prof. da Facape de Petrolina, escreve quinzenalmente sobre Economia & Negócios para o JS.

 

Desde o início o entendimento sempre foi que para reduzir o número de óbitos era necessário de um lado melhor estruturar a rede de saúde, com mais UTI, mais respiradores, mais profissionais etc. e, de outro lado, impedir um crescimento mais rápido da quantidade de novos casos, com a população usando máscara, higienizando das mãos e distanciamento social. E que isto iria perdurar até a solução definitiva, que era a vacinação da população. 

 

Mostra Histórica da Pandemia no Vale do São Francisco

Entre o mês de março de 2020 e janeiro de 2021, ou seja, do início da pandemia até o início da vacinação, foi verificado um pico de casos no final de julho começo de agosto, uma estabilidade e a retomada do crescimento dos casos depois de novembro. A taxa de mortalidade no Vale sempre foi mais baixa que a média nacional, regional e estadual, atingindo o piso em 1,2% no mês de janeiro de 2021. Contudo, a partir de março deste ano a velocidade de crescimento de novos casos, devido às novas variantes, mais contagiosas, seguido do relaxamento por parte da população, fez com que os leitos de UTI ocupados chegassem em 100%, exigindo a abertura de novos leitos e levou a um crescimento muito mais rápido de novos óbitos. 



Processo de Vacinação

 

A vacinação teve início no final de janeiro, mas são necessárias duas doses, com um intervalo entre a primeira e a segunda dose e a quantidade de vacinas disponíveis era pequena e ainda não se tem vacinas para todos. Além disso, ainda existem pessoas que, infelizmente, hesitam em se vacinar. Desta forma, os pesquisadores da FACAPE decidiram dividir o total de óbitos de forma que do primeiro óbito até 60 dias após o começo da vacinação em Petrolina/PE fica o primeiro grupo e os demais óbitos formam o segundo grupo. A escolha pela cidade pernambucana ocorre por se ter os dados completos de óbitos por dia, gênero, idade e existência ou não de comorbidades. 

 

Resultados dos Periodos Analisados pela Facape 

Os resultados mostram que houve um aumento na velocidade de novos óbitos dado que no primeiro período (cerca de 10 meses) o total de óbitos foi 238 e no segundo período (apenas 3 meses aproximadamente) já está em 268. Em relação a idade e considerando as pessoas com mais de 70 anos, elas representaram 52,5% dos óbitos na primeira fase e 31,7% no outro período da análise. Assim, se tem uma queda na quantidade de óbitos dos mais idosos. Por outro lado, na faixa de 35 anos ou mais até menos de 60 anos, que totalizaram 22,3% dos óbitos no primeiro período, passou para 41,4% no segundo, ou seja, quase o dobro. A vacinação teve início pelos grupos de pessoas com mais idade, justamente por concentrarem a maior quantidade de óbitos e houve uma redução, assim, nos percentuais nos últimos meses. As faixas de idade que ainda não tiveram a oportunidade de se vacinar, então, passam a concentrar as pessoas que não resistem ao Covid-19. Assim, é fundamental que se tenha mais vacinas para que um público maior possa ter acesso e que as pessoas não escolham vacinas ou tenham receio e que optem por se vacinar. Vacina boa é vacina no braço e ela salva vidas.

 

Quem é João Ricardo Lima: Doutor em Economia Aplicada. Coordenador da Pesquisa sobre a evolução da Pandemia no Vale do São Francisco realizada pelo Colegiado de Economia da Faculdade de Petrolina (FACAPE).