Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 04 de agosto de 2021

Cidades

Dezessete cidades do Sertão apresentam risco de surto de arboviroses

O intervalo entre os meses de janeiro e junho é considerado a época de sazonalidade das arboviroses (dengue, Zika vírus e febre chikungunya), causadas pelo mosquito Aedes aegypti. O Jornal do Sertão fez um levantamento dos municípios sertanejos que apresentaram índices de infestação predial e casos notificados e confirmados de arboviroses, de acordo com dados do 3º LIRAa e do Boletim Epidemiológico de 03 de janeiro a 19 de junho deste ano, divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde. Dezessete cidades apresentam risco de surto, 31 tiveram casos notificados e confirmados de dengue e 12 registraram casos notificados e confirmados de Chikungunya. No período não há registro de notificação de Zika vírus no Sertão.

Postado em 01/07/2021 2021 10:43 , Cidades. Atualizado em 01/07/2021 17:24

Jornalista , Editor Antônio José em Cidades

Foto: SECOM/PMST

De acordo com o último Boletim Epidemiológico das Arboviroses divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde – SES, na semana epidemiológica 24, de 03 de janeiro a 19 de junho de 2021, dezessete cidades sertanejas apresentaram situação de risco de surto de arboviroses: Custódia, Ibimirim, Inajá, Manari, Pedra, Salgueiro, Verdejante, Bodocó, Santa Cruz, Santa Filomena, Trindade, Brejinho, Ingazeira, Tabira, Tuparetama, Serra Talhada e Triunfo.

Foram notificados e confirmados casos de dengue em 31 municípios sertanejos: Arcoverde, Custodia, Inajá, Manari, Belém de São Francisco, Cedro, Mirandiba, Salgueiro, Serrita, Terra Nova, Verdejante, Afrânio, Cabrobó, Petrolina, Araripina, Exu, Ipubi, Parnamirim, Santa Cruz, Afogados da Ingazeira, Brejinho, Igaraci, Itapetim, São José do Egito, Solidão, Tabira, Flores, Itacuruba, São José do Belmonte, Serra Talhada e Triunfo.

E doze municípios sertanejos registraram casos suspeitos e confirmados de Chikungunya no mesmo período: Arcoverde, Buíque, Custódia, Manari, Sertânia, Mirandiba, Serrita, Cabrobó, Petrolina, Exu, Ouricuri e Itacuruba. Não há registro de notificação de Zika vírus no Sertão.

Ação de prevenção contra o Aedes Aegypti em Serra Talhada, no Sertão do Pajeú. Foto: SECOM/PMST

O Jornal do Sertão fez também um levantamento dos índices de infestação predial do Aedes aegypti nas 10 cidades integrantes da XI Geres, com sede em Serra Talhada, no Sertão do Pajeú. Índices abaixo de 1% são considerados satisfatórios, de 1% a 3,9% situação de alerta e acima de 3,9% situação de alto risco.

De acordo com os dados gerais do 3º Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), as cidades de Serra Talhada e Triunfo estão em situação de alto risco para arboviroses, apresentando os maiores Índices de Infestação Predial – IIP, que são referentes ao imóvel positivo para o mosquito, e maiores Índices de Bretor – IB, referentes ao depósito de água positivo para o mosquito.



Levantamento referente ao período de 10/05 a 14/05, mostra Serra Talhada com IIP de 4,6% e IB de 5,1%, já Triunfo apresentava no mesmo período IIP de 4,4% e IB de 5,1%. Em Serra Talhada há 33 notificações de dengue, com 7 casos confirmados, 19 descartados e 7 em investigação.

Outras sete cidades da XI Geres estavam em situação de alerta segundo o 3º LIRa, com índices de infestação predial acima de 1% e abaixo de 3,9%. São elas: Betânia, Calumbi, Carnaubeira da Penha, Floresta, Itacuruba, Santa Cruz da Baixa Verde e São José do Belmonte.

Com cerca de 23 mil habitantes, Flores, no Pajeú, é a única cidade da XI Geres que apresentou índices satisfatórios, com focos de infestação abaixo de 1%. A secretária de Saúde da cidade, Madalena Brito, elencou as principais estratégias utilizadas pela gestão na prevenção das arboviroses. Segundo ela, é feito um acompanhamento diário das ações para garantir índices satisfatórios abaixo de 1%, como preconiza o Ministério da Saúde.

Foto: SECOM/PMST

“O município vem desenvolvendo diversas estratégias de prevenção às arboviroses, através de um programa permanente, que é monitorado todos os dias. Esse programa tem um olhar todo especial da gestão, visto que o Ministério da Saúde preconiza que o índice de infestação predial seja menor que um por cento, e isso a gente ver que são poucos os municípios que conseguem atingir essa meta, e Flores é um exemplo. Em maio nós recebemos uma visita do Estado e fiscalização da XI Geres, onde os técnicos foram para as áreas ver esse trabalho que é desenvolvido pelos agentes de endemias, e realmente eles viram de perto que o trabalho que é executado pelos agentes de endemias diário é eficiente. Além do trabalho diário dos agentes nos domicílios, temos uma equipe de bloqueio e um trabalho bem desenvolvido na zona rural, não deixando faltar equipamentos de proteção individual, fardamentos e insumos necessários, além do compromisso que os agentes de endemias tem, inclusive de trabalhar fora do horário de expediente, quando há necessidade de busca ativa. São estratégias básicas, mas que surtem efeito no município de Flores”, afirmou Madalena Brito.

 

Arboviroses em Pernambuco

De acordo com o último Boletim Epidemiológico das Arboviroses divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde – SES, na semana epidemiológica 24, de 03 de janeiro a 19 de junho de 2021, foram registrados 19.539 casos suspeitos de dengue em 171 municípios do estado, com 101 casos confirmados. Catorze cidades não registraram casos suspeitos.

Segundo o boletim, em 2021 foram registrados 19.539 casos suspeitos de dengue, em 171 municípios, na Semana Epidemiológica (SE) 24, representando um aumento de 3,5 % em relação ao mesmo período de 2020 (Tabela 01), entretanto a IV, V, VI, VII, VIII, IX e X GERES registraram redução.

Em relação à chikungunya foram notificados 10.476 casos em 105 municípios, o que corresponde a um aumento de 335,8 % em relação ao mesmo período de 2020 (Tabela 01). No entanto, as V, VI, VII, VIII e IX Regional registraram redução.

Para zika, até o momento foram notificados 2.291 casos em 73 municípios, caracterizando um aumento de 110,0% em relação ao mesmo período de 2020. No entanto, as IV, V, VI, VII, VIII, IX e XI Regional registraram redução.

Sintomas

Os sintomas da dengue são febre alta, manchas vermelhas na pele a partir do quarto dia, dores musculares, dores articulares, dores de cabeça e coceira.

Os sintomas da Zika são febre baixa ou ausente, dores leves nas articulações, dor de garganta, manchas vermelhas na pele nas primeiras 24 horas, coceira, tosse e vermelhidão nos olhos.

São sintomas da chikungunya febre alta, dores intensas nas articulações, manchas vermelhas na pele nos primeiros dias, coceira e vermelhidão nos olhos.