Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 26 de novembro de 2021

Saúde

Cerca de 700 mulheres do Sertão são beneficiadas com a inserção do DIU em unidades de saúde

Método contraceptivo eficaz, a inserção do Dispositivo Intrauterino (DIU) vem sendo realizada de forma supervisionada nas unidades de saúde de pelo menos 17 cidades do Sertão de Pernambuco, segundo nota da SES-PE. A inserção do DIU de forma supervisionada teve início no Sertão a partir da segunda-feira, 05 de julho, e segue até 22 de julho. Ao todo, a expectativa é que 690 mulheres em idade fértil, até os 49 anos, serão contempladas nos municípios de Salgueiro, Verdejante, Serrita, Terra Nova, Belém do São Francisco, Mirandiba, Cedro, Araripina, Exu, Granito, Ipubi, Moreilândia, Ouricuri, Parnamirim, Santa Cruz, Santa Filomena e Trindade.

Postado em 07/07/2021 2021 16:54 , Saúde. Atualizado em 07/07/2021 17:20

Jornalista ,

 

Foto: Divulgação/SES-PE

De acordo com nota da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), no final de junho, equipes das VII e IX Gerências Regionais de Saúde (Geres), com sedes em Salgueiro e Ouricuri, respectivamente, participaram de abordagem técnica sobre o método contraceptivo, inserido em procedimento ambulatorial.

A inserção do DIU de forma supervisionada teve início no Sertão a partir da segunda-feira (05/07) e segue até 22 de julho. Nesta semana, até a sexta (09/07), serão beneficiados os municípios da VII Geres: Salgueiro (dias 05/07 e 06/07), Verdejante (05/07 e 08/07), Serrita (07/07), Terra Nova (07/07), Belém de São Francisco (08/07), Mirandiba (09/07) e Cedro (09/07). Na próxima semana, a partir do dia 13/07, e seguindo até 22/07, as atividades práticas ocorrerão em 10 municípios da IX Geres – Bodocó já teve ação realizada no início do ano.

Ao todo, a expectativa é que 690 mulheres em idade fértil, até os 49 anos, serão contempladas com o método contraceptivo, inserido em procedimento ambulatorial. As atividades serão realizadas com o acompanhamento da equipe do Termo de Cooperação da Organização Mundial da Saúde (TC/Opas/OMS) com a SES-PE, que tem atuado no fortalecimento das ações da rede obstétrica e neonatal em Pernambuco.

“Este projeto busca realizar atividades teóricas e práticas voltadas aos profissionais da atenção primária à saúde de Pernambuco, com o objetivo de promover a inserção do DIU nas unidades básicas de saúde. Essa ação irá contribuir para a efetivação de ações de planejamento reprodutivo no Estado, garantindo o acesso a este método tão eficaz e seguro”, afirma a assessora técnica do TC/OPAS/SES para obstetrícia, Hérika Dantas.

Divulgação

 

DIU tem potencial de eficácia de 99,3%

O dispositivo de longa duração, com duração média de 10 anos, não possui hormônio, é seguro e beneficia as mulheres que não desejam engravidar, pois o cobre liberado por ele interfere no número e no transporte de espermatozóides, além de dificultar a movimentação do óvulo pela trompa, impedindo a fecundação. Com comprimento de 2 a 3 cm, o DIU é inserido no útero da mulher, e tem o potencial de eficácia de 99,3%. O dispositivo também pode ser utilizado por adolescentes e mulheres que não engravidaram (o chamado DIU de intervalo). Já o DIU pós-parto é inserido na mulher logo após o parto.

DADOS – Com o trabalho permanente de conscientização das pacientes e capacitação dos profissionais de saúde, o número de inserções do dispositivo, entre 2015 e 2019, cresceu mais de 1.000% no Estado, saltando de 519 inserções em 2015 para 6.190 procedimentos no ano de 2019. Em 2020 foram mais de 3,4 mil, quantitativo que teve impacto pela pandemia do novo coronavírus. Ao longo de 2015 e 2020, foram mais de 17 mil mulheres beneficiadas com o método.


 


COOPERAÇÃO TÉCNICA – O termo de cooperação da SES-PE com a Opas, assinada em meados de 2019, propõe ações descentralizadas, intersetoriais e integradas de governança e estruturação do sistema; vigilância, controle, monitoramento e avaliação; promoção e prevenção; educação permanente e qualificação do trabalho no âmbito da Secretaria Estadual de Saúde, com foco na melhoria da rede de atenção obstétrica e neonatal precoce, na agenda de saúde sexual e reprodutiva e na prevenção e controle do câncer do colo do útero, em consonância com as Diretrizes do Plano Estadual de Saúde.

A atuação da Opas/OMS conta com consultores internacionais e nacionais que estão apoiando os processos de transferência de experiências e conhecimentos, e irão capacitar profissionais e gestores pernambucanos em todas as regiões do Estado. O projeto foi dividido em três módulos que ocorrem paralelamente: diagnóstico, intervenção e monitoramento.