Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 04 de agosto de 2021

Política

Ações estruturantes e inovação para o fortalecimento das cadeias produtivas no Sertão do Vale do São Francisco Por Aluísio Sampaio

O Vale do São Francisco é conhecido nacionalmente e internacionalmente como um grande produtor e exportador de frutas. Com apoio de políticas governamentais, são diversas culturas frutíferas desenvolvidas na região, por meio de perímetros irrigados, sendo a uva e a manga, as principais frutas produzidas no Vale.

Postado em 17/07/2021 2021 17:19 , Política. Atualizado em 18/07/2021 12:23

Colunista

Especialista em Gestão Pública, Aluísio Sampaio escreve quinzenalmente a coluna “Políticas Públicas”,

A Região Administrativa Integrada de Desenvolvimento do Polo Petrolina-PE e Juazeiro-BA, é composta por 04 municípios do Estado de Pernambuco e mais 04 do Estado da Bahia. São eles: Petrolina, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista e Orocó, os municípios pernambucanos e, Juazeiro, Sobradinho, Casa Nova e Curaçá, os baianos. Compreende uma área com cerca de 35 mil quilômetros quadrados e com uma população estimada em mais de 700 mil habitantes. Além disso, vale destacar que, todas essas cidades são banhadas pelo Rio São Francisco. Para se ter uma ideia da grandiosidade do desenvolvimento da região, de acordo com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF), no ano de 2020, foram produzidos mais de 4 milhões de toneladas de frutas em 99 mil hectares, gerados cerca de 280 mil empregos e movimentado a economia local em mais de R$ 3 bilhões.

 

Segundo polo vitinicultor do país

No que diz respeito a cadeia produtiva da uva, a região é considerada como o segundo polo vitivinicultor do Brasil, sendo a única do mundo a proporcionar até 03 safras de uvas por ano, sendo responsável por 99% da uva de mesa exportada pelo país, para Holanda, Reino Unido, Estados Unidos, Espanha, Alemanha, Canadá e Argentina. E ainda, produz vinhos, com uma produção anual de mais de 15 milhões de litros, premiados tanto nacionalmente, como internacionalmente. Em breve, será a primeira região produtora de vinhos no mundo a ser reconhecida com a Indicação de Procedência (IP), uma garantia quanto a origem do produto e suas qualidades e características regionais. Para fortalecer ainda mais as cadeias produtivas da região, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio das suas Rotas TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), Mangue Digital e Sertão Digital, apoia o Projeto “Plataforma Agritech.NE”, que tem como objetivo, expandir a produtividade da fruticultura, por meio de capacitações sobre a utilização de tecnologias da informação e comunicação, disponibilização de uma plataforma on-line para visibilidade e promoção de negócios e fomentar a criação de startups agrícolas (agritechs), que trabalhem com ferramentas inovadoras, voltadas para o aumento da produção dos fruticultores.

Projeto Agritech Nordeste

Com investimentos da ordem de R$ 1,3 milhões, do MDR, o Agritech.NE inicialmente terá como foco de atuação na RIDE Petrolina e Juazeiro, principais polos de fruticultura do Brasil, e que necessita de um ecossistema de inovação mais ampliado, para apoiar o desenvolvimento das cadeias produtivas. O público-alvo do Agritech.NE serão os setores produtivos do agronegócio, técnicos, estudantes, institutos de ciência e tecnologia, empresas de extensão e órgãos estaduais e municipais. O projeto é considerado piloto pelo MDR, com o intuito de ser expandido para outras regiões do nordeste e país. O Projeto Plataforma Agritech.NE é gerido pelo Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (CETENE), com sede em Recife, uma unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Também integram o projeto a CODEVASF, a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária para o Semiárido (EMBRAPA SEMIÁRIDO), a Universidade de Pernambuco (UPE), o Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IFSertãoPE), a Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), e a Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco.Uma ação importante, por parte do Ministério do Desenvolvimento Regional, com outras entidades, que irá contribuir bastante para a geração de oportunidades de emprego, renda, inovação tecnológica, fortalecimento e desenvolvimento das cadeias produtivas do Vale do São Francisco. 

 

“Quem é Aluísio Sampaio: Sertanejo Pernambucano, da Capital do Vaqueiro, Serrita, é Mestre em Dinâmicas de Desenvolvimento do Semiárido, pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). Especialista em Gestão Pública Municipal e Saúde, também pela UNIVASF. Possui extensão em Empreendedorismo pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), e Inovação e Difusão Tecnológica pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Graduado em Computação pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), e Administração, pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR). Técnico em Recursos Humanos pela Escola Técnica Estadual Professor Antônio Carlos Gomes da Costa (ETEPAC), e Logística, pela Escola Técnica Estadual Professor Agamemnon Magalhães (ETEPAM). Bolsista de Pesquisa e Desenvolvimento no Projeto “AGRITECH.NE”, na Embrapa Semiárido. Entusiasta do desenvolvimento econômico, social e ambiental. Instagram: @aluisio_sampaio E-mail: sampaioaluisio@hotmail.com