Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 04 de agosto de 2021

Educação

Contexto Educacional Pós-Pandemia

A pergunta que me é feita com mais frequência, aquela em que já fui provocado diversas vezes: Como ficará a “escola” pós-pandemia? Talvez por ser professor há mais de 20 anos, e principalmente por atuar na área de humanas, especificamente história, a sociedade vê o historiador como aquele que é capaz de prever o futuro. Ficou evidente que a pandemia acelerou processos na sociedade como um todo. Sofremos, resistimos, mas também criamos alternativas, meios, formas de enfrentar a vida. “A regra é a mudança” vivemos uma sociedade de incertezas, complexidade, com uma convicção que nunca mais será a mesma. 

Postado em 20/07/2021 2021 16:03 , Educação. Atualizado em 20/07/2021 16:02

Colunista

Prof. Diedson Alves Mestre em Ciência da Educação

 

Que as mudanças provocadas por crises gera desconforto social. Que não fomos planejados para viver o passado e sim o futuro. Sendo assim, o futuro diante de um contexto pandêmico é o que há de mais incerto, ou seja, mesmo para um historiador, prever o futuro de forma precisa, torna-se impossível.

O historiador francês François Harlog ratifica “Já não é possível prever o futuro. O horizonte se limita ao presente. O presente foi revalorizado”.

As relações com o tempo, evidenciando o presente, já vinham num curso de mudança desde a Revolução Francesa onde tudo torna-se  contemporâneo a partir de 1789. Com as Revoluções Industriais, as Guerras Mundiais e agora a pandemia aguçaram “a crise do amanhã”.

Isso é facilmente identificado quando analisamos a moda, a mídia, os impactos provocados pelo avanço tecnológico, como a pulverização da informação, computadores,  redes sociais onde tudo é instantâneo, rápido, veloz. Os processos se perderam diante do modo de vida fast.

Com isso a pergunta não cessa: Como ficará a “escola” pós-pandemia? De que forma a história, a partir dos seus mecanismos de pesquisa, análise, reflexão, projeta o chamado “novo normal”?

 

Vou estabelecer alguns horizontes, a partir de grandes eventos que marcaram a história. 

Tendemos a trabalhar mais, pois onde a máquina, efetivamente chegou, nossa vida ficou mais acelerada e passamos a dedicar mais tempo ao trabalho. Com isso, o home office tende a crescer. Professores que tinham a fama de levar atividade para casa. Isso só fez ampliar-se. Não existe barreira entre empresa e casa.



A quebra do monopólio religioso da Igreja e cultural do renascimento, quebrados na Europa no contexto moderno pela reforma religiosa e o surgimento da imprensa, respectivamente. E no contexto pandêmico, a quebra do monopólio pessoal e  institucional do conhecimento, hoje à disposição nos mais variados aplicativos, plataformas, canais fora do espaço físico. 

Estamos diante da tecnologia que invadiu os espaços escolares provocando nesse ambiente, como um todo, novos desafios, novos enfrentamentos, adaptações, ressignificação, ferramentas que potencializam o conhecimento significativo por meio do aperfeiçoamento dos mais diversos sentidos que a tecnologia pode proporcionar. 

Cabendo ao professor lidar, equilibrar, orientar e se aproveitar pedagogicamente daquilo que as empresas tem chamado de mutiple channels para atender seus públicos consumidores, ou seja, equacionar os diversos canais a favor de uma pedagogia, de uma didática que contribuam para aprimorar habilidades em prol de uma sociedade mais crítica, mais reflexiva, mais ética e mais bem preparada para o mercado de trabalho.

 

Quem é  Diedson Alves: Mestre em Ciência da Educação pela UDE – Universidade de La Empresa em
Montevideu URU (2012), convalidado pela UTP – Universidade de Tuiuti do
Paraná; Graduado em Licenciatura Plena em História pela UPE – Universidade
de Pernambuco (2001) – Especialista em Psicopedagogia pela FACINTER –
Faculdade Internacional de Curitiba (2002) e Ensino de Sociologia pela UCAM –
Universidade Cândido Mendes- RJ (2019). Docente em História pelo IF-Sertão
Pernambucano (Campus Petrolina) e da Rede Particular de Ensino da Região do
Vale do São Francisco. Palestrante por meio do projeto DIÁRIO DE UM
PROFESSOR – UM ESTALO DE RAZÃO .
e-mail: diedsonalves@yahoo.com.br
Instagram: @diedsonalves
Instagram: @serendstudios