Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de setembro de 2021

Política

Saúde do Trabalhador e Política de Saúde

Este artigo tem como foco a relação entre Serviço Social e Saúde do Trabalhador, a partir da perspectiva de prevenção e promoção da saúde. Para isso, partimos do entendimento de  que o processo saúde – doença está relacionado à forma como a sociedade capitalista se organiza, visto que, as relações sociais de produção, bem como as relações de trabalho postas pelo capital, além de reforçar a prevalência da ideologia burguesa nos processos de trabalho, tem interferência direta na saúde dos trabalhadores.

Postado em 23/07/2021 2021 10:45 , Política. Atualizado em 23/07/2021 17:50

Colunista

Bárbara Samapio Assistente Social

 

SERVIÇO SOCIAL E SAÚDE DO TRABALHADOR NA PERSPECTIVA DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE

O processo saúde/doença é condicionada por vários determinantes e variáveis presentes no conjunto das relações sociais, em específico as relações de produção, no atendimento às necessidades físicas, biológicas, dentre outras que permeiam o contexto sócio – histórico, no qual cada indivíduo está inserido.

Desse modo, percebemos que o processo saúde-doença é condicionado por diversos determinantes sociais, o que faz desse processo uma expressão da vida social e a saúde como uma das expressões da questão social.

Com isso, constatamos a necessidade dos Assistentes Sociais desenvolverem um olhar crítico diante da realidade que os usuários estão inseridos na busca de apreender as particularidades e complexos presentes nas demandas imediatas/institucionais, procurando identificar as demandas ocultas no que se refere à promoção e prevenção que, nem sempre, chegam explicitamente ao Serviço Social.



Na perspectiva de Marx  é notório que a saúde do trabalhador está associada às relações sociais de produção/reprodução e aos diversos determinantes sociais inerentes aos processos de trabalho. Desse modo, a saúde do trabalhador tem como eixo básico o processo de trabalho analisado a partir das unidades de produção, sob ponto de vista histórico e como determinante para o desgaste e até morbidade dos trabalhadores.

Serviço Social e Saúde do Trabalhador

Isso nos permite analisar e refletir que, ao tratar do Serviço Social e Saúde do Trabalhador, no processo saúde/doença, faz-se necessário compreender a relação do homem/trabalho, levando em consideração as relações de desigualdade social, de superexploração da força de trabalho em relação às condições gerais da produção capitalista.

A partir disso, os problemas de saúde dos trabalhadores são vistos e entendidos pelo Serviço Social como intrínsecos às relações capitalistas de produção, as quais se inserem nas relações contraditórias e desiguais entre capital/trabalho e saúde/doença. Vale ressaltar que, essa relação contraditória e desigual inerente ao processo de trabalho permeia as relações de trabalho e o ambiente em que essas relações se fazem presentes interferindo direta/indiretamente na saúde do trabalhador, o que nos revela o quanto o Serviço Social está interligado com a saúde do trabalhador na luta em favor da qualidade de vida e de trabalho.

Serviço Social no cotidiano

Dessa maneira, os profissionais do Serviço Social no cotidiano da prática profissional têm como uma de suas atribuições orientar os usuários com relação aos seus direitos e estimular sua autonomia para que eles busquem a concretização desses direitos, utilizando-se do que está presente na legislação, e nas políticas sociais.

Além dessa atribuição, a prática profissional dos Assistentes Sociais desenvolve outras atividades, tais como: Viabilizar informações, favorecendo o acesso aos direitos, através do atendimento individual e da promoção das ações coletivas, tais como: Encontros, Campanhas e Rodas de Diálogo; Realizar atendimento e acompanhamento interdisciplinar abrangendo as dimensões da vida profissional, social e emocional; Participar das reuniões semanais para avaliar o desempenho das atividades realizadas; Prestar serviços interdisciplinares de atenção à saúde, desenvolvendo ações coletivas na defesa dos direitos humanos e contribuindo para a qualidade dos cidadãos.

Portanto, seja no Serviço Social como em outras profissões faz-se necessário entender a problemática da saúde do trabalhador a partir da perspectiva da totalidade social, para que na mediação entre o singular e o universal, não se encontre respostas no âmbito imediato, mas sim respostas concretas que visem prevenir e promover a saúde dos trabalhadores, levando em consideração as determinações sócio- históricas.

 

Quem é Bárbara Sampaio: Graduada em Serviço Social – UFPE

Assistente Social da Secretaria de Assistência Social do município de Cabrobó;

Microempreendedora individual (MEI) – Bárbara Sampaio – Formação Social e Mentoria

Mestra em Serviço Social (UFPE)

Membro do grupo de estudo LAE-Rural (UFPE)

Autora do livro: Participação dos agricultores familiares no Conselho de Desenvolvimento Rural do município de Cabrobó-Pe

@mestrabarbarasampaio

barbarasampaioramos@gmail.com

 

mao