Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de setembro de 2021

Educação

CONHECE-TE A TI E EMPREENDE-TE A TI

Mas, como despertar o potencial que existe dentro de cada indivíduo a ponto de perceber o poder empreendedor que possui? Como minimizar ou neutralizar discursos que encaram a vida sem uma postura empreendedora? Presas ao ‘tanto faz’, ‘mais ou menos’, ‘acho que é’, ‘pode ser’, ‘tão dizendo que é’, em outras palavras, os que simplesmente, ‘copiavam e colavam’, presos à superficialidade a respostas prontas.

Postado em 24/08/2021 2021 17:36 , Educação. Atualizado em 24/08/2021 17:36

Colunista

Prof. Diedson Alves Mestre em Ciência da Educação

 

Para o verdadeiro sucesso, pergunte a si mesmo quatro questões: Por que? Por que não? Por que não eu? Por que não agora? James Allen

Alguns ingredientes são indispensáveis para superar uma crise. Inovação, criatividade, autonomia, capacidade de solucionar problemas e aprimorar ideias e principalmente coragem de arriscar. Por isso, empreender tornou-se uma palavra de ordem indispensável para a sobrevivência humana. Não é à toa que a disciplina de empreendedorismo estará presente no novo ensino médio.

Com isso, trago a seguinte reflexão, principalmente para aqueles que buscam inovar-se e reinventar-se, que devem levar em consideração a verdadeira essência da epistemologia do pai da moral, do pai da filosofia.

O precursor não apenas das boas ideias, mas daquele que refletiu sobre o que é aprender a aprender através da provocação filosófica que busca, por meio de perguntas, se autoconhecer.

Imagem Reprodução

 

Sendo assim, como elemento criativo e aguçador de ideias primadas pela filosofia socrática somada a minha realidade vivenciada em sala de aula, as abordagens não devem se restringir apenas ao conteúdo pelo conteúdo, ao tempo pelo tempo, a chamada pela chamada, aprovação pela aprovação é necessário algo mais, ou seja, contribuir para a formação de um sujeito ativo, protagonista, autônomo, reflexivo, ético, criativo, cidadão.

Mas, como despertar o potencial que existe dentro de cada indivíduo a ponto de perceber o poder empreendedor que possui? Como minimizar ou neutralizar discursos que encaram a vida sem uma postura empreendedora? Presas ao ‘tanto faz’, ‘mais ou menos’, ‘acho que é’, ‘pode ser’, ‘tão dizendo que é’, em outras palavras, os que simplesmente, ‘copiavam e colavam’, presos à superficialidade a respostas prontas.

A filosofia socrática

Daí a importância de aplicar a filosofia socrática a si mesmo, as atitudes, ao comportamento, aos próprios pensamentos, buscando uma reflexão profunda sobre o labirinto chamado ‘eu’ para que o autoconhecimento seja factual a partir da análise das minhas fraquezas, minhas virtudes, onde eu necessito melhorar, o que necessito melhorar, identificar meus pontos fortes, meus pontos fracos, pois empreender passa por esse processo profundo de reflexão.

Esse ato sinérgico que envolve todo o ser, iniciando pelo ato reflexivo redundando em resultados, liberta o indivíduo da letárgica vida de procrastinação de deixar para depois, de descansar na morosidade dos acontecimentos bons que nunca chegam. É um desperdício viver assim, esperando coisas! Reproduzindo receitas de sucesso “que não funcionam”, lamentando, se frustrando e se cansando. Se faz necessário ‘acordar para a vida’ libertar-se da ‘síndrome da Bela Adormecida’. E o despertar passa por um processo de reflexão profunda de si mesmo, sobre a própria existência configurando-se no DNA do homo sapiens. Um diálogo necessário entre situação e direção.  Onde estou? Onde quero chegar? Como farei para chegar onde almejo? Em suma, colocar em prática um dos ensinamentos socráticos mais conhecidos e menos aplicados a ironia e a mesma injetada na própria existência.

Esse diálogo crítico é o ponto de partida de uma vida empreendedora que culmina com o ponto básico de toda essa discussão ‘conhece-te a ti mesmo’ para desafiar-te; superar-te; empreender-te. Dessa forma,  esse mecanismo, que vai além do discurso, ratifica a convicção de que devemos utilizar nossas habilidades neurais ao nosso favor, nos aperfeiçoando, encontrando saídas, e nos melhorando a partir de processo ativo de autoconhecimento.