Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de outubro de 2021

Saúde

Como a alimentação pode contribuir para o tratamento da depressão

Um número crescente de pesquisas mostra que a alimentação não só tem um papel crucial em nossa saúde física como também na mental.

Postado em 19/09/2021 2021 06:58 , Saúde. Atualizado em 19/09/2021 02:31

Colunista

Letícia Menezes:  Nutricionista, graduada na Universidade de Pernambuco, Campus Petrolina. Atualmente atua na área de Nutrição Clínica e Esportiva,

 

A depressão é um transtorno psicológico que se caracteriza por uma triste intensa por um longo período de tempo, podendo surgir em qualquer idade, desde crianças até idosos. A depressão, porém o tratamento é demorado e pode incluir psicoterapia, medicamentos e algumas terapias naturais.

Alimentação é fundamental 

Já sabemos que alimentação saudável ajuda tanto na prevenção como no tratamento de doenças cardiovasculares, digestivas e endócrinas. Um número crescente de pesquisas mostra que a alimentação não só tem um papel crucial em nossa saúde física como também na mental. Se levarmos em consideração que a depressão é uma das doenças que se relacionam com a qualidade nutricional da dieta, a ideia de que a felicidade está no prato não é tão disparatada. Assim como algumas outras doenças, a depressão gera uma inflação sistêmica leve crônica em nosso organismo. Com isso, a alimentação saudável pode ser eficaz para corrigir a inflamação também nas doenças psiquiátricas e, em geral, para melhorar o prognóstico das pessoas que as sofrem.

Os alimentos

As funções cerebrais dependem, por exemplo, de triptofano tirosina, magnésio, vitaminas do complexo B e vitamina C, que são nutrientes que auxiliam na formação da serotonina, o neurotransmissor relacionado a sensações de prazer e bem estar. Podemos encontrar esses nutrientes em alimentos como a banana, abacaxi, laranja, tangerina, cacau, castanhas, amendoim, amêndoas, sementes como chia e linhaça, legumes e verduras, carnes, ovos, leite e derivados, dentre outros.

Reprodução net

 

Outra relação entre a doença e a alimentação é que um dos principais receios do paciente com depressão é engordar. A serotonina ajuda a regular a ingestão de carboidratos e a saciedade, como os pacientes com depressão apresentam deficiência de serotonina, possuem dificuldades para saciar-se e a vontade de comer fica mais acentuada. A maior parte de serotonina é produzido pelo intestino, por isso, este é considerado o nosso segundo cérebro. Logo, é de extrema importância que o nosso intestino esteja saudável.

 

Por fim, é importante lembrar que nenhum alimento faz efeito sozinho, que sempre o conjunto do todo que ajudará a fazer diferença. Além disso, outro fator importante que ajuda no tratamento da depressão é a prática de atividade física. Com isso, melhorar o estilo de vida ajudará no tratamento da depressão.