Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 22 de outubro de 2021

Economia

Procrastinação e Gestão do tempo. Por Tikinha Albuquerque

Uma das habilidades mais relevantes e valorizadas em qualquer área da vida é a gestão do tempo, e um dos fatores que mais impacta negativamente na produtividade é a velha e famosa procrastinação.

Postado em 27/09/2021 2021 22:07 , Economia. Atualizado em 27/09/2021 22:57

Tikinha Albuquerque Master Coach Escreve a Coluna Empreendedorismo para o JS Foto : Arquivo Pessoal

O hábito de procrastinar costuma ser danoso às pessoas, impedindo o funcionamento normal da rotina profissional ou pessoal. Quando as tarefas são tão negligenciadas ao ponto de prejudicar o futuro, a procrastinação pode gerar  estresse, ansiedade até sentimentos de depressão. Por isso, é importante aprofundar a reflexão sobre a tendência que temos em procrastinar, e assim ser possível agir preventivamente, afim de minimizar os efeitos negativos em nossa vida.

 

A procrastinação, embora muitos taxem como *“preguiça**, é bem diferente

 

O preguiçoso, normalmente, não sente vontade de fazer a tarefa, já o procrastinador tem a intenção de fazê-la, porém algo o impede de iniciar, ou até inicia sem sucesso na finalização.

*Procrastinação* é o ato de adiar ou prolongar uma atividade, criando obstáculos irreais ao longo do processo para que ela  seja concluída. É, portanto, aquele conhecido ditado: “deixar para amanhã o que pode e deve ser feito hoje.”

 

Motivos que nos levam à procrastinação

 

Existem diversos motivos que nos levam à procrastinar, somos seres facilmente atraídos por prazeres instantâneas, ou seja, é mais fácil e cômodo fazer aquilo que gostamos e que nos traz prazer imediato (assistir um filme, comer, sair) ao invés daquilo que nos exige maior empenho (estudar para aquela prova importante, fazer relatório da empresa ou ter aquela conversa importante com alguém). E, quando temos a atividade envolve algum tipo de insegurança, medo ou qualquer outro desconforto, fica ainda mais fácil postergar a ação. Temos outro motivo importante que envolve a procrastinação, quando a atividade a ser exercida não exige uma consequência imediata por deixar de ser realizada, quando não exige cobranças externas ou existe um prazo disponível para conclusão, deixando ainda mais desafiante dedicarmos nossa atenção, força de vontade e organização de tempo na realização com calma, qualidade e não deixar essa atividade entrar no roll das atividades mais que atrasadas. No dia a dia colocamos diversas atividades de baixo impacto no caminho das realmente importantes, acreditando que nosso “eu” do futuro irá conseguir dar conta de tudo aquilo que deixamos para *amanhã*. Na maioria das vezes, estamos enganados, e quando essa estratégia funciona, normalmente temos a tendência de cairmos na velha armadilha que da próxima vez farei bem feito.

 

Alguns motivos mais recorrentes que geram a procrastinação

 

*Procrastinar ações que geram conflito interpessoal*

Algumas pessoas possuem pouca habilidade ou disponibilidade para lidar com interações e conflitos interpessoais, e com isso, tendem a adiar ações relacionais. Entretanto, não percebem que essa atitude, apenas aumenta ou adia a ação que necessariamente deve ser executada, deixando a questão ainda maior para o futuro. 

 

Procrastinar o que gera desconforto pessoal

 

 

Você tem prestado atenção nas suas emoções?

O seu humor pode estar interferindo diretamente na sua capacidade de realizar suas tarefas do dia a dia. Por isso, identificar seus sentimentos e aprender a gerenciá-los são atitudes fundamentais para controlar a procrastinação. É comum, adiar ações que possam gerar desconforto interno, seja por considerá-las difíceis ou dolorosas. 

 

Procrastinar atividades mais complexas

 

Planejar e dividir as atividades em pequenos passos é o caminho mais assertivo. Algumas pessoas possuem a tendência de adiar o que considera mais complexo, devido exigir mais tempo, estudo ou observação, e assim priorizam as ações que consideram mais fáceis e simples de serem executadas, deixando o “mais difícil” para depois, comprometendo muitas vezes a análise do que realmente é importante e urgente a ser feito. Ficar pensando na tarefa completa pode parecer impossível ou inalcançável. 

 

Exemplo: 

 

Se você deseja começar a correr no parque todos os dias, primeiro coloque seu despertador para despertar mais cedo, levante da cama, vista a roupa de corrida, saia de casa, comece a caminhar devagar e gradativamente vá aumentando a velocidade. 

Viva cada um desses passos intensamente, sem pensar no próximo. Quando ver, já estará correndo.

 

Algumas reflexões são relevantes

 

O que está por trás da minha atitude de procrastinar?

Qual a minha visão de futuro que influencia a minha procrastinação?

Quais crenças limitantes que podem estar funcionando como obstáculo na execução das minhas atitudes?

Por fim, não existe varinha mágica para se alcançar resultados. Para romper o ciclo da procrastinação é necessário fazer o que precisa ser feito, (respeitando seus próprios limites), realizar ações planejadas, abrir mão dos prazeres instantâneos e enfrentar o desconforto gerado no momento presente, focando no resultado desejado, ou seja, alívio e realização no futuro, com as tarefas realizadas e os objetivos alcançados.