Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de outubro de 2021

Economia

A grande melhoria dos indicadores da pandemia no Sertão. Por João Ricardo F. de Lima

Os leitos de UTI ocupados, nas duas cidades, estão em percentuais baixos, indicando uma situação muito confortável quando se compara com alguns meses atrás, onde as cidades chegaram a ter fila de espera para internação e deslocamento de pacientes para outras cidades, inclusive Salvador/BA.

Postado em 28/09/2021 2021 12:21 , Economia. Atualizado em 28/09/2021 12:21

 

 

Economista João Ricardo de Lima Prof. da Facape de Petrolina, escreve quinzenalmente sobre Economia & Negócios para o JS.

As notícias em relação ao avanço da pandemia no sertão melhoraram muito em relação ao que se tinha no início deste ano e que gerou grande preocupação, inclusive com o retorno do fechamento de atividades comerciais. A vacinação tem avançado, Petrolina/PE e Juazeiro/BA próximas da marca de 1/3 da população com imunização completa, ou seja, com as duas doses ou dose única. As cidades têm procurado fazer mutirões de vacina e reduzindo a idade mínima para se poder vacinar, já contemplando os adolescentes sem comorbidades e a terceira dose de reforço para os mais idosos.

Isto impacta fortemente nos números dos principais indicadores: novos casos, casos ativos, leitos de UTI ocupados e novos óbitos. A semana passada encerrou com 35 novos casos de COVID-19 em Petrolina/PE e 48 em Juazeiro/BA. Foi uma redução de 45% em relação à semana anterior em Petrolina/PE e de 69% em Juazeiro/BA. Foi a menor quantidade de casos, somando as duas cidades, desde os períodos iniciais da pandemia.

Em relação aos casos ativos, Juazeiro/BA com 218 e Petrolina/PE com 178, juntas, representam o menor quantitativo desde o mês de julho de 2020, período em que o Colegiado de Economia da FACAPE começou a contabilizar esta informação. Para se ter uma ideia comparativa, cerca de 3 meses atrás o número de casos ativos só em Petrolina/PE era próximo de 4 mil.


 

 


Os leitos de UTI ocupados, nas duas cidades, estão em percentuais baixos, indicando uma situação muito confortável quando se compara com alguns meses atrás, onde as cidades chegaram a ter fila de espera para internação e deslocamento de pacientes para outras cidades, inclusive Salvador/BA.

 

E a melhor notícia é que se tem duas semanas completas sem novos óbitos nas duas cidades.

Uma informação que traz grande alento, sendo que Juazeiro/BA, inclusive, está próxima de atingir a marca de 1 mês sem novos óbitos dado que o último caso ocorreu em 30 de agosto. Em Petrolina/PE, os últimos óbitos ocorreram no dia 10 de setembro. Desde o início do mês foram 3 óbitos na cidade pernambucana. A título de comparação, em junho foram 81 óbitos em Petrolina/PE, ou seja, uma grande diferença.

Isto tudo mesmo com os avanços que estão ocorrendo em termos de relaxamento das medidas de isolamento social, inclusive em setores que geram mais aglomeração e com o avanço mundial de novas variantes. A vacinação e a manutenção de medidas importantes como a continuidade do uso de máscara e do uso de álcool gel estão ajudando a reduzir o avanço dos novos casos e de novos óbitos. Isto contribui muito para o processo de retomada da economia regional, que precisa urgentemente voltar a gerar emprego, renda para as famílias que tem sofrido com o desemprego elevado e a inflação que corrói o poder aquisitivo.

Assim, é fundamental continuar estimulando as pessoas a se vacinarem, completarem o ciclo vacinal, manter o uso de medidas de proteção como máscara e álcool gel para, sem dúvidas, podermos ter um final de ano muito melhor do que o de 2020.