Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 10 de abril de 2024

Bem Estar

O sofrimento e a nossa maneira de lidar com ele. Por Daniel Lima

Todo ser humano sofre, mais cedo ou mais tarde. Então a pergunta não é se vamos sofrer, mas do que vamos sofrer

Postado em 20/10/2021 2021 21:57 , Bem Estar. Atualizado em 20/10/2021 22:05

Daniel Lima – Teólogo, Filósofo e Psicanalista/GBPSF/ISFN. @daniellima.pe   


Uma questão importante é como tentaremos  aliviar o sofrimento, pois a resposta é :  quem determinará se vai aumentar ou diminuir o sofrimento. A maioria das pessoas passam a maior parte do tempo buscando evitar, fugir,  ou transformar o sofrimento,  sem entender quais são suas verdadeiras causas.   Pode-se sofrer por diversas razões: sofrer por causa do passado ou do futuro; sofrer por si ou pelos outros; sofrer pelo que tem ou não tem; sofrer por crenças, ou até descrenças; sofrer em busca  do amor, da arte, da ambição, entre outras razões. Todavia, há várias maneiras de lidar com o sofrimento: guardar para si, fugir dele, passar pra outra pessoa, dar um fim dentro de si mesmo ou transformar em alguma coisa útil.

 

Guardar o sofrimento para si próprio é uma estratégia nem um pouco ideal, porque é “sofrer em silêncio”.

 

 Isso ocorre pelos motivos mais diversos: por achar que falar e tentar entender não vai adiantar; por acreditar que o sofrimento pode trazer felicidade; etc. Quando sofremos em silêncio vamos sendo consumidos pelo sofrimento, de maneira que pouco a pouco vamos perdendo o interesse por coisas do cotidiano e assim vamos sumindo da nossa própria vida. Também tem pessoas que guardam o sofrimento para usar como moeda de troca, ou seja, ter benefícios  com o seu sofrimento como uma espécie de sofrimento de estimação.  Fugir do sofrimento também não parece ser uma medida prudente, porque breve vamos nos deparar com ele ou outros. Não se pode fugir dos próprios sofrimentos  a não ser enfrentando-o, compreendendo suas verdadeiras causas e removendo-as. As tentativas de fuga do sofrimento não só fracassam como costumam piorar o sofrimento, muitas vezes intensificando-o. Quem não deseja sofrer por alguma coisa precisa encontrar um modo de enfrentar e superar o sofrimento.

 

Passar o sofrimento para outra pessoa é uma estratégia comum, porém o sofrimento não é bola de futebol

 

Não se pode simplesmente passar o sofrimento para outra pessoa e livrar-se dele. Pelo contrário, fazendo isso pode se deparar com o efeito multiplicador. As pessoas que buscam envolver outras pessoas em seu sofrimento,  na verdade podem sofrer duas vezes mais. Primeiro pelo que realmente as incomoda desde o princípio. Segundo, pela ilusão de que envolver outros aliviará seus próprios problemas. Quando se tem uma doença no corpo,  logo quer tirar. Então, porque com o sofrer seria diferente? Parece ser mais difícil as pessoas terem que lidar com o sofrimento,  porque tem que aceitar a responsabilidade por seu conteúdo mental,  para dar-lhe fim dentro de si mesmas. É mais fácil, pelo menos a curto prazo, culpar os outros: “as pessoas são injustas comigo” ou, “ele me faz infeliz”. É difícil admitir que algumas crenças, ou até expectativas, funcionem contra nosso próprio interesse e, mais difícil ainda descobrir o que fazer a respeito. Se queremos dar fim aquele sofrimento,  é deixar de tê-lo, mas para isso temos que admitir que o temos.

 

O melhor que podemos fazer com o sofrimento é absorvê-lo e transformá-lo

 

 Mudar o que é doloroso para nós em algo útil para os outros. Mesmo que você não consiga remover o sofrimento, pode diminuí-lo ajudando outras pessoas a aliviarem oa seus sofrimentos. Claro que isso tem que ser feito sem  peso,  transformado o próprio sofrimento,  em algo que aliviará o sofrimento dos outros,  como uma das grandes a realizações que se pode aspirar na vida.

 

 

 

 

 


Quem é Daniel Lima Gonçalves: Psicanalista, Filósofo e Teólogo.
Membro do Grupo Brasileiro de Pesquisas Sándor Ferenczi – GBPSF; Membro da International Sándor Ferenczi Network – ISFN; Membro Emérito – Sociedade Pernambucana de Estudos Psicanalíticos – SPEP; Estudo Permanente em Psicanálise no Instituto Nebulosa Marginal – INM; Especialista em Psicanálise e Teoria Analítica – FATIN; Especialista em Filosofia e Autoconhecimento – PUCRS; Extensão em Certificação Profissional em Neurociências – PUCRS; Pós-graduando em Ciências Humanas – PUCRS; Cursando Formação na clínica psicanalítica com adultos – CPPLRecife.
@daniellima.pe    daniellimagoncalves.pe@gmail.com