Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 08 de agosto de 2022

Saúde

Meta de vacinação de crianças pernambucanas não é alcançada e campanha de multivacinação é prorrogada

A primeira prorrogação estendeu a campanha até o dia 29 de outubro. Agora a vacinação segue até o dia 30 de novembro

Postado em 03/11/2021 2021 10:23 , Saúde. Atualizado em 03/11/2021 10:24

Colunista
Jornalista ,

Campanha Nacional Multivacinação foi, mais uma vez, prorrogada por não atingir a meta de imunização do público-alvo. (foto: reprodução internet)

A imunização de crianças em Pernambuco segue abaixo da meta. Por isso, a campanha de multivacinação, que deveria ter sido encerrada em outubro, foi prorrogada para o dia 30 de novembro em todo o Estado.

Longe da meta

Segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde, o Estado obteve a cobertura vacinal de 72,13% da BCG, 68,65% da pneumocócica, 66,87% da pentavalente, 66,62% da poliomielite, 65,44% da meningocócica e 65,05% do rotavírus humano. Já da hepatite A a cobertura atual está em 62,89%, da tríplice viral D1 – 72,21% e  D2 – 44,03%, meningococo C – 66,32%, pneumocócica – 66,10%, poliomielite (1º reforço)  – 51,99% e 2ª reforço – 40,11%), dTp (1º reforço)  – 57,58% e 2ª reforço – 47,27% e a varicela  está em 63,87%.

No entanto, a meta de cobertura vacinal, segundo os parâmetros do Programa Nacional de Imunizações (PNI), é sw 80% para as vacinas contra o HPV e meningocócica C e  meningocócica ACWY em adolescentes, 90% para as vacinas BCG e rotavírus e 95% para os demais imunizantes indicados na rotina do Calendário Nacional de Vacinação – incluindo a vacina meningocócica C em crianças.

A campanha

A campanha de Campanha de Multivacinação tem como objetivo atualização da Caderneta de Vacinação de crianças e adolescentes menores de 15 anos. Vale destacar que as baixas coberturas vacinais proporcionam a existência de bolsões de não vacinados que podem ocasionar o aparecimento de novos casos de algumas doenças imunopreviníveis como poliomielite, hepatites A e B, tríplice viral, rotavírus humano e dTp, entre outras.

“A prorrogação da Campanha de Multivacinação é uma nova oportunidade de trabalharmos junto aos gestores municipais e estes com seus moradores sobre a importância da conferência dos cartões de vacina de seus filhos, sobrinhos e netos para que assim possam ficar protegidos das doenças evitáveis. Precisamos ainda aumentar nossas coberturas vacinais para evitar a reintrodução da poliomielite no país, e o surgimento de novos casos de sarampo e hepatites, por exemplo”, destaca a superintendente de Imunizações do Estado, Ana Catarina de Melo.