Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 24 de abril de 2024

Bem Estar

Seja você o que espera de 2022. Por Diedson Alves

Enquanto professor de história me encontro nas leituras traçadas em épocas, períodos, etapas, enfim, abertura e fechamento de ciclos, o diálogo entre começo, meio e fim.

Postado em 28/12/2021 2021 18:00 , Bem Estar. Atualizado em 28/12/2021 20:16

Colunista

Prof. Diedson Alves Mestre em Ciência da Educação

“A vida é a nossa grande mestra. Tudo o que nos acontece, está de algum modo nos favorecendo, seja para nos melhorarmos, seja pra nos despertarmos da nossa zona de conforto, ou mesmo para adquirirmos alguma habilidade ou mudarmos algum aspecto. O propósito é sempre o aprimoramento.” S. Rodrigues

Enquanto professor de história me encontro nas leituras traçadas em épocas, períodos, etapas, enfim, abertura e fechamento de ciclos, o diálogo entre começo, meio e fim. Nisso sinto a necessidade do ser humano de encerrar etapas, fechar ciclos. Conclusão de um curso, nova idade, final de mês e principalmente o findar de um ano.
A atmosfera é perceptível, grandes promessas, a pressa em que o ano em curso logo se encerre, pois as expectativas para o próximo ano são inúmeras. No entanto, o que esperar de um novo ano? Para isso é necessário fazer uma profunda reflexão sobre aquilo que é a diferença entre esperança e esperançar.

“Esperançar é almejar, sonhar, agir, buscar. É o contrário de esperar, apesar de muitos associarem esperança a esse verbo, Mário Sérgio Cortella (a partir da pedagogia freiriana) nos ensina que é preciso esperançar, olhar e reagir a tudo aquilo que não tem saída”. Portanto, esse é o primeiro ingrediente que deixo nesta última coluna de 2022.

O segundo ingrediente é aproveitar que estamos num processo de balanço pessoal profundo para avaliarmos nossos discursos, nossas práticas, nossas posturas, se queremos realmente encarar um novo ano de fato temos que lembrar da máxima de Albert Einsten “Loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exatamente igual”.

Aproveitar o contexto, ora vivida, para se reinventar, se reconstruir, aguçar a curiosidade na busca de novos prumos.
E não pode faltar nesta coluna uma reflexão sobre felicidade que é algo buscado de forma incessante por toda a humanidade. O querer ser feliz. Os pedidos e desejos por felicidade são os mais externados, manifestados em mensagens, abraços, nas redes sociais, enfim, rever a ideia de que felicidade não constitui necessariamente um horizonte mas aproveitar momentos simples, significativos como tão bem imortalizou o escritor Guimarães Rosa

“Felicidade mesmo, ser feliz como estado permanente, não existe. Acontece em raros momentos de distração”.
Portanto, desejo a cada eleitor, os melhores pensamentos para 2022, que possamos nos encontrar nas nossas linhas, nas nossas reflexões, nos nossos pensamentos. Que o esperançar seja efetivado, que as mudanças de rumo sejam um ato estratégico e sagaz de quem sabe onde quer chegar e a felicidade seja degustada numa segunda feira, no trabalho, num abraço, num café, ou seja, na nossa própria rotina. Muita luz! Nos encontraremos em 2022!