Na tarde do mesmo dia, com a realização da oficina Outros Sertões e o Minuto, ministrada pelas  realizadoras Mila Nascimento e Uilma Queiroz. Já nas exibições da noite, a programação começa com as mostras competitivas de curtas, médias e filmes experimentais, a partir das 19h, seguida pelo primeiro longa do Festival, o paraense Terruá Pará, de Jorane Castro.

O longa Terrua Pará será o primeiro da programação

O longa Terrua Pará será o primeiro da programação

A mostra competitiva de longas ainda conta com os títulos Diaspóricas (de Ana Clara Gomes), Marcos (de Filipe Codeço), Rama Pankararu (de Pedro Sodré), Além da Lenda (de Marília Mafé e Marcos França) e Fim de Semana no Paraíso Selvagem (de Severino). Igualmente diversa estão as programações de curtas e médias, se dividindo nas categorias curta e média-metragem pernambucano, dos Sertões, nacional e infanto-juvenil.

A programação ainda conta com uma visita guiada ao Theatro Cinema Guarany, realizada pelo coletivo CineRua e pela Mostra Judith Quinto, realizada pelo Sesc/Fecomércio/Senac, ambas no sábado. Sempre no dia seguinte, também serão realizados debates com os realizadores, na Praça do Avião.  Ao todo, o Festival de Cinema de Triunfo exibirá 43 obras de todo o país.  O Festival é realizado pela Secretaria de Cultura e Fundarpe, com apoio da Prefeitura de Triunfo, Secretaria de Turismo, Desenvolvimento e Lazer de Triunfo, Sesc, Fecomércio, Senac e Associação Comercial Municipal de Triunfo.

O curta pernambucano Sethico faz parte da programação

O curta pernambucano Sethico faz parte da programação

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO 14º FESTIVAL DE CINEMA DE TRIUNFO: 

SEGUNDA-FEIRA (28/08)

14h: Oficina Outros sertões e o minuto, ministrada por Mila Nascimento e Uilma Queiroz
Local: Fábrica de Criação Popular do Sesc-PE (Praça Dr. Arthur Viana Ribeiro, Triunfo)

18h30: Cerimônia de abertura

19h: Mostra competitiva de curtas, médias metragens e filmes experimentais

Invasão ou Contatos Imediatos do Terceiro Mundo (Documentário/Ficção, 21 minutos, 2023, PE, 10 anos), de Maria Gazal e Hugo Aquino
Acessibilidade: Legenda Descritiva.
Sinopse: Objetos Voadores Não Identificados são avistados sobre toda a Região Metropolitana do Recife. Uma invasão alienígena está ocorrendo e, diante do desconhecido, uma equipe de documentaristas decide sair às ruas da cidade, coletando depoimentos para compreender essa situação e o que ela de fato representa na vida da população.

Semente de Caruá (Documentário, 10 minutos, 2022, PE, Livre), de Laís Domingues
Sinopse: O minidocumentário “Semente de Caruá” conta um pouco dos processos de cura, reza e feituras artesanais com a fibra do Caruá do Mestre Audálio Diniz. Audálio vive na aldeia Malhador, na terra indígena Kapinawá localizada em Buíque, portal do sertão pernambucano.

Estampido (Ficção, 13 minutos, 2023, PE, 12 anos), de Djaelton Quirino
Acessibilidade: Legenda Descritiva.
Sinopse: Um som explosivo e seco faz um buraco na noite.

Azul Royal (Experimental, 3 minutos, 2023, PR, Livre), de Carlon Hardt
Acessibilidade: Legenda Descritiva.
Sinopse: Acorda da clausura, não aguenta/Foge o vestido azul royal.

20h15: Mostra competitiva de longa metragem nacional
Terruá Pará (Documentário, 100 minutos, 2023, PA, Livre), de Jorane Castro
Sinopse: Situado no meio da Amazônia, a música do Estado do Pará é sinônimo de leveza e alegria. O filme recria este espírito, desenhando uma estrutura em encenações. Terruá Pará registra o momento atual de efervescência cultural, propondo um olhar integrado aos movimentos artísticos no Pará.

TERÇA-FEIRA (29/08)

10h: Debate com os/as realizadores/as dos filmes exibidos na segunda-feira (28/08)
Local: Praça do Avião

14h: Oficina Outros sertões e o minuto, ministrada por Mila Nascimento e Uilma Queiroz
Local: Fábrica de Criação Popular do Sesc-PE (Praça Dr. Arthur Viana Ribeiro, Triunfo)

14h: Mostra Sesc de Cinema

18h30: Mostra competitiva de curtas, médias metragens e filmes experimentais
Samba de Latada (Documentário, 24 minutos, 2022, PE, Livre), de João Lucas Melo

Sinopse: Numa investigação sonora, o cantor Josildo Sá percorre um caminho entre a zona rural e a cidade de Tacaratu para no fim celebrar numa apoteose recriando um autêntico “samba de latada”.

Trans Nordestina (Documentário, 25 minutos, 2021, PE, Livre), de Rafael Costa
Sinopse: Numa região onde predomina o coronelismo, uma mulher jovem trans negra enfrenta as adversidades de uma estrutura patriarcal, transitando inclusive pelos espaços que a invisibilizam.

Nhãndê kuery mã hi’ãn rivê hê’yn – Não somos apenas sombras (Documentário, 12 minutos, 2023, Santos, SP, Livre), de Dino Menezes
Acessibilidade: Legenda Descritiva.
Sinopse: O filme ‘Nhãndê kuery mã hi’ãn rivê hê’yn’ (Não Somos apenas sombras) narra, em guarani, a história e os desafios atuais da aldeia indígena Paranapuã, localizada em São Vicente, no litoral de São Paulo, Brasil. O documentário propõe que indígenas se vejam em tela de cinema, como protagonistas da sua própria história.

Bucho de Peixe (Ficção, 10 minutos, 2023, RN, 16 anos), de Johann Jean
Sinopse: Uma família ribeirinha vive em um ambiente hostil, às margens da sociedade, e tem dificuldades de lidar com os mistérios que envolvem a lenda do boto cor-de-rosa e como isso afeta seus destinos.

La Caramella (Experimental, 9 minutos, 2023, PB, Livre), de Gian Orsini
Sinopse: Aos 86 anos, Giulio rememora episódios de sua infância quando sua família se refugiou no pequeno vilarejo de Collevecchio, na Itália, durante a segunda guerra mundial. “Uma infância de merda. Porém interessante. De merda, mas interessante”.

20h30: Mostra competitiva de longa metragem nacional
Diaspóricas (Documentário, 70 minutos, 2022, GO, Livre), de Ana Clara Gomes
Sinopse: Érika, Nina, Sonia e Lene narram a Música Preta Brasileira. Diaspóricas são mulheres negras em resistência que utilizam a música para existirem. Diaspóricas são mulheres em atravessamentos afromusicais que se reconhecem mesmo não se conhecendo.

QUARTA-FEIRA (30/08)

10h: Debate com os/as realizadores/as dos filmes exibidos na terça-feira (29/08)
Local: Praça do Avião

14h: Oficina Outros sertões e o minuto, ministrada por Mila Nascimento e Uilma Queiroz
Local: Fábrica de Criação Popular do Sesc-PE (Praça Dr. Arthur Viana Ribeiro, Triunfo)

14h: Mostra Sesc de Cinema

18h30: Mostra competitiva de curtas, médias metragens e filmes experimentais
Tornar-se Monstra ou Humana (Experimental, 19 minutos, 2023, Recife, PE, 14 anos), de Catarina Almanova
Acessibilidade: Legenda
Sinopse: Tornar-se Monstra ou Humana acompanha uma investigação surrealista através do sonho e pesadelo que se transformam em presságios, sons, mundos habitáveis, rotas de fuga e possibilidades imaginativas sobre uma necessidade de reação contra um CIStema que está armadilhado para humanas que tomaram a liberdade de existir.

Cabiluda (Ficção, 20 minutos, 2022, Recife, PE, 14 anos), de aColleto e Dera Santos – Pernambucano
Acessibilidade: Legenda Descritiva.
Sinopse: Dimitri está vivendo o começo de um romance quando as coisas começam a fugir de seu controle. A sensação de que algo está lhe perseguindo só faz crescer, mas a vontade de viver aquele romance é maior. Nunca antes os pelos femininos foram tão aterrorizantes.

Amor by Night (Ficção, 19 minutos, 2022, Recife, PE, Livre ), de Henrique Arruda – Pernambucano
Sinopse: Protagonizado pela primeira dama trans do Teatro Pernambucano, em sua estreia no cinema, após 40 anos de carreira, Amor by Night narra o dia a dia de uma locutora espacial em um futuro próximo onde o amor será frequência.

Amaná (Ficção, 15 minutos, 2023, Pedra Branca, CE, Livre), de Antônio Fargoni
Sinopse: Amaná é como água de chuva, vive em luto à procura de um ribeirão. Em sua vida de solitude, encontra Madalena e o caminho para o que lhe é essencial.

Cama Vazia (Ficção, 6 minutos, 2023, SP, 16 anos), de Fábio Rogério e Jean-Claude Bernardet
Sinopse: A máquina de morte precisa manter sua longevidade para expandir e lucrar.

Até que ponto? (Ficção, 20 minutos, 2022, RJ, 14 anos), de Ricardo Soares
Sinopse: Ao orientar os alunos da escola sobre relação abusiva, Marta se depara com André, um jovem enigmático que lhe trará desafios que mudarão sua vida por completo.

Controle (Ficção, 13 minutos, 2023, AM, 12 anos), de Ricardo Manjaro
Sinopse: Quando traumas do passado distorcem o senso de justiça de um aspirante a vigilante noturno, os domínios do controle atingem seus limites mais desconfortáveis.

Cru (Experimental, 8 minutos, 2022, Campinas, SP, 12 anos), de Diego Ruiz de Aquino
Sinopse: Egon não deseja mais nada, a não ser um bife… cru. Porém, ao conhecer uma Mulher Desdenhosa, ele volta a sentir raiva e amor. Juntos eles vão desvendar as camadas mais sutis da realidade, mas bastará para que encontrem, dentro de si, algo além da solidão?

20h30: Mostra competitiva de longa metragem nacional
Marcos (Ficção, 70 minutos, 2023, RJ, 14 anos), de Filipe Codeço
Sinopse: Marcos é um jovem de 22 anos que possui um transtorno de aprendizagem conhecido como discalculia que se caracteriza por uma inabilidade em compreender processos e tarefas que envolvam a dimensão dos números. Na obra um fato ficcional é criado – a morte de sua mãe – forçando Marcos a lidar com a principal questão da sua vida: como ter autonomia?

QUINTA-FEIRA (31/08)

10h: Debate com os/as realizadores/as dos filmes exibidos na quarta-feira (30/08)
Local: Praça do Avião

14h: Oficina Outros sertões e o minuto, ministrada por Mila Nascimento e Uilma Queiroz
Local: Fábrica de Criação Popular do Sesc-PE (Praça Dr. Arthur Viana Ribeiro, Triunfo)

14h: Parceria Alumiar – Cine Holliúdy (Ficção, 91 minutos, 2012, CE, Livre), de Halder Gomes
Acessibilidade: Audiodescrição (AD), Legenda para Surdos e Ensurdecidos (LSE) e Libras.
Sinopse: A chegada da TV no interior do Ceará, na década de 70, colocou em xeque os cinemas das cidades pequenas. Mas um heroi, chamado Francisgleydisson, resolveu lutar para manter viva sua paixão pela sétima arte, com criatividade e bom humor.

16h: Lucicreide Vai pra Marte (Ficção, 90 minutos, 2021, PE, Livre), de Rodrigo César
Sinopse: A sogra de Lucicreide é despejada e vai morar com ela. Abandonada pelo marido e sem condições de criar seus cinco filhos, ela deseja ir embora para bem longe. Com isso, Lucicreide aceita participar de uma missão que levará o primeiro homem a Marte.

18h30: Mostra competitiva de curtas, médias metragens e filmes experimentais
SETHICO (Experimental, 14 minutos, 2021, PE, Livre), de Wagner Montenegro
Sinopse: Seguimos por lugares que quase escondem o horror da tragédia colonial, que são o cenário do massacre de muitas vidas negras no Recife. Apesar de tudo isso, encontramos estratégias para sobrevivermos à feiura do mundo. Seth é o juiz, e Sethico, seu julgamento.

Das águas (Documentário, 17 minutos, 2022, PE, Livre), de Adalberto Oliveira e Tiago Martins Rêgo
Acessibilidade: Legenda
Sinopse: Das Águas” mostra o cotidiano de mulheres e homens que vivem da pesca no rio Capibaribe, em Recife, Pernambuco. A rotina dos pescadores e pescadoras, suas dificuldades para manter a tradição da pesca e garantir o sustento de suas famílias, as lutas e a relação com o rio, que é parte fundamental da sua identidade cultural.

Cantigas de Pai Francisco (Ficção, 21 minutos, 2021, PE, Livre), de Iyadirê Zidanes
Sinopse: Em meio a ditadura militar, Pai Francisco conta a cantiga da vida do seu filho. Zé Preto, um cantador apaixonado pelo coco de roda, é perseguido pela censura. Perde um grande amor, mas ganha um belo fruto.

Vão das almas (Ficção, 15 minutos, 2023, DF, 14 anos), de Edileuza Penha de Souza e Santiago Dellape
Acessibilidade: Legenda Descritiva, Audiodescrição e LIBRAS.
Sinopse: No Quilombo Kalunga, a profecia da Matinta corta o vilarejo-fantasma do Vão das Almas como uma corrente de ar gelado: “Existem vários tipos de Saci. Pererê é aquele menorzinho, que prega peça. Saçurá faz maldade…”.

Festejar São Benedito Pra Todo Ano Chover (Documentário, 19 minutos, 2023, BH, Livre), de Gabriela Fernandes e João Diniz
Sinopse: “Festejar São Benedito pra todo ano chover” é um documentário que investiga a fé e a emoção das promessas para o santo, a procissão e a levantação da bandeira. Como também o encerramento da sua festa, com a Marujada de São Benedito, que é Patrimônio Cultural Imaterial da Bahia.

Hiatos (Experimental, 7 minutos, 2021, Recife, PE, Livre), de Marcela Coêlho
Sinopse: Hiatos é uma vídeo-performance em que a melancolia é tratada como uma ferida colonial aberta. Caminhos de transcendência emergem das encruzilhadas de Exu, onde a lida com o corpo, vida e morte dançam numa temporalidade espiralar.

20h30: Mostra competitiva de longa metragem nacional
Rama Pankararu (Ficção, 98 minutos, 2022, PE, 12 anos), de Pedro Sodré
Acessibilidade: Legenda Descritiva.
Sinopse: Bia Pankararu, uma jovem técnica de enfermagem da saúde indígena, arrecada fundos para a reconstrução da escola de sua aldeia, que foi destruída durante um incêndio criminoso na noite do segundo turno das eleições de 2018. Paula, jornalista carioca, chega à aldeia para fazer uma reportagem sobre os ataques incendiários.

SEXTA-FEIRA (01/09)

10h: Debate com os/as realizadores/as dos filmes exibidos na quinta-feira (31/08)
Local: Praça do Avião

14h: Oficina Outros sertões e o minuto, ministrada por Mila Nascimento e Uilma Queiroz
Local: Fábrica de Criação Popular do Sesc-PE (Praça Dr. Arthur Viana Ribeiro, Triunfo)

14h: Mostra competitiva de curtas e médias metragens infanto-juvenis nacionais
Pomodora (Animação, 4 minutos, 2023, SP, Livre), de Rafael Silvério
Sinopse: Ana é uma estudante determinada a alcançar suas metas escolares, mas com grandes problemas para manter o ritmo. Em sua última tentativa de concentração, ela usa o método Pomodoro para melhorar sua produtividade, mas o mundo real deixa rastros, e quando a ansiedade invade seu refúgio, Ana precisa enfrentar o que mais a assusta até hoje.

Palavras Mágicas (Animação, 2 minutos, 2023, PR, Livre), de Carlon Hardt
Sinopse: “Palavras Mágicas” explora o poder das palavras e como elas podem evocar diferentes emoções, incentivando os espectadores a ouvirem seus corações quando ficarem sem palavras.

Filha da Mãe D’Água (Ficção, 20 minutos, 2022, AM, Livre), de Bruno Pereira e Siderlane Souza
Acessibilidade: Libras
Sinopse: No coração da mata Milena e Bené disputam frutos amazônicos em partidas de pênaltis. No caminho de volta, os sussurros da floresta se revelarão para o curumim.

Os Três Porquinhos (Animação, 4 minutos, 2023, PB, Livre), de Tamires Campos
Sinopse: Os porquinhos vivem uma vida pacata, mas o lobo quer mais do que isso, os espaços serão seus. Entre força e jeito, vamos acompanhar a trajetória do que é ser um porquinho em um mundo de lobos.

Ciranda Feiticeira (Animação, 8 minutos, 2023, PE, Livre ), de Lula Gonzaga e Tiago Delácio
Acessibilidade: Libras.
Sinopse: Janaina compartilha com sua mãe o ritual da pesca na Ilha de Itamaracá. Elas enfrentam a dor e a beleza dos ciclos da vida com sonho, poesia e música.

Os Guerreiros da Rua 2 – A Missão (Ficção, 15 minutos, 2023, PE, Livre), de Erickson Marinho
Sinopse: Recife, anos 90. Tudo estava bem até que o Olho chegou e se espalhou mais rápido que o sarampo. Agora o mundo inteiro estava dominado pelo medo e as crianças não podiam mais sair para brincar. Mas diz a lenda que três crianças poderosas e criativas vão partir numa aventura para derrotar o monstro e trazer a felicidade de volta.

15h30: Mostra competitiva de longa metragem nacional
Além da Lenda – O filme (Animação, 86 minutos, 2022, PE, Livre), de Marília Mafé e Marcos França
Acessibilidade: Audiodescrição, libras e legendas.
Sinopse: Um livro sagrado reúne todas as lendas do folclore brasileiro, e é mantido em segredo e escondido na Montanha Coração do Brasil, que só é revelada uma vez por ano. Numa brincadeira de criança, Comadre Fulozinha, Negrinho do Pastoreio e Curupira acabam perdendo o livro, que, meio por acaso, chega às mãos do garoto Lucas. Mesmo sem saber, o menino será o responsável por proteger parte do nosso folclore, o que acaba criando um forte laço de amizade entre ele e as lendas brasileiras.

18h30: Mostra competitiva de curtas, médias metragens e filmes experimentais
Dorme Pretinho (Documentário, 8 minutos, 2022, PE, Livre), de Lia Letícia
Acessibilidade: Audiodescrição.
Sinopse: Dorme Pretinho, filme da música de Lia de Itamaracá, faz um recorte poético da infância de Lia com sua mãe Matildes na Ilha de Itamaracá. A partir dessas memórias, o clipe navega pelo ofício das mulheres marisqueiras da Ilha que, por gerações, nutre seus filhos e a comunidade.

Mãe (Ficção, 22 minutos, 2023, PE, 14 anos), de Natalia Tavares
Acessibilidade: Libras, Audiodescrição e LEGENDA PARA SURDOS E ENSURDECIDOS (LSE)
Sinopse: Após ter sonhos estranhos e notar uma movimentação na casinha de ripa do quintal de sua casa, Luís começa a desconfiar que sua própria mãe está envolvida no desaparecimento de alguns homens do povoado.

Mergulho (Ficção, 12 minutos, SP, 2022, Livre), de Marton Olympio e Anderson Jesus
Sinopse: Durante os preparativos para um final de semana na praia, os sentimentos de uma família são confrontados a partir do retorno do filho mais velho, longe há dez anos. Mesmo sem querer todos vão mergulhar nas próprias emoções.

Céu de Lua, Chão de Estrelas (Documentário, 25 minutos, 2022, PE, Livre), de Camilo Soares e Orun Santana
Acessibilidade: Legenda Descritiva.
Sinopse: Dançando, Orun encontra corpos que o constituem. Dança também com o tempo, rodopiando lembranças e afetos, mas também a violência e o racismo que espreitam os caminhos.

Dente (Ficção, 20 minutos, PE, 2023, Livre), de Rita Luna
Acessibilidade: LDS, Libras e Audiodescrição.
Sinopse: Ana trabalha como diarista e é a única provedora do lar em que vive com os dois filhos e a neta. Raquel, a filha mais velha, está desempregada e cuida da sua filha, Letícia, e da casa. Alexandre, o filho mais novo, é um adolescente estudante de escola pública em ano de vestibular. O cotidiano de Ana é afetado após ela quebrar o dente.

A gente tava era com saudade (Documentário, 15 minutos, 2022, PB, Livre), de Vanessa Oliveira
Sinopse: O São João da AMORIL surgiu a partir do sonho da moradora (Volândia) da Rua Inácio do Leão comemorar o mês mais amado por ela e pelo povo sertanejo, na frente da sua casa. Esse documentário é sobre afetos, memórias, território, cultura, união, sobre uma das manifestações culturais mais linda do Brasil, e, sobretudo, do sertão paraibano.

A Jornada (Experimental, 3 minutos, 2023, PE, Livre), de Edvaldo Santos
Sinopse: Dois animais e um baterista entediado em uma jornada diária.

20h15: Mostra competitiva de longa metragem nacional
Fim de Semana no Paraíso Selvagem (Ficção, 108 minutos, 2022, PE, 14 anos), de Severino
Acessibilidade: Legenda Descritiva.
Sinopse: Rejane chega a um território de disputas desleais entre tubarões e peixes pequenos para tentar entender o que aconteceu com seu irmão, um exímio mergulhador encontrado morto em um mar cercado de sombras por todos os lados.

SÁBADO (02/09)

10h: Debate com os/as realizadores/as dos filmes exibidos no sábado (1º/09)
Local: Praça do Avião

14h: Oficina Outros sertões e o minuto, ministrada por Mila Nascimento e Uilma Queiroz
Local: Fábrica de Criação Popular do Sesc-PE (Praça Dr. Arthur Viana Ribeiro, Triunfo)

14h: Visita guiada ao Theatro Cinema Guarany com o CineRuaPE

18h30: Mostra Judith Quinto
Theatro Cinema Guarany: Uma longa história (Documentário, 22 minutos, 2011, PE, Livre), de Cineclube Caretas
Ser Mais que Cinza (Ficção, 19 minutos, 2014, PE, Livre), de Daniel Figueiredo e Cineclube Caretas
Quadrado (Documentário, 8 minutos, 2014, PE, Livre), Produção coletiva – Projeto Documentando coordenado por Marlom Meirelles
Cambindas (Documentário, 14 minutos, 2021, PE, Livre), de João Bosco Jr.

20h: Cerimônia de Premiação do 14º Festival de Cinema de Triunfo