Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 12 de junho de 2024

Economia

Cesta Básica apresenta deflação em setembro de 2023 em relação a agosto deste ano

A comparação do mês de setembro de 2023 com o mês de agosto de 2023 apresentou deflação de -6,21% em Juazeiro/BA e de -2,02%, em Petrolina/PE. Considerando as informações das duas cidades agregadas, a deflação no período foi de -4,04%.

Postado em 09/10/2023 2023 17:08 , Economia. Atualizado em 09/10/2023 17:21

Nos últimos 12 meses, os preços dos alimentos em Juazeiro/BA aumentaram 2,23% e em Petrolina/PE, 8,07%. No ano, houve uma queda de -3,92% em Juazeiro/BA e -0,16% em Petrolina/PE. Em setembro de 2023, a cesta básica em Juazeiro/BA custou R$ 489,52 e em Petrolina/PE, R$ 549,42, sendo R$ 59,90 mais barata na cidade baiana. Esses dados são resultado de uma pesquisa do custo da cesta básica realizada pelo Colegiado de Economia da FACAPE.

Os produtos com aumento no mês de setembro foram Banana (8,92%), Arroz (2,46%), Pão Francês (2,46%) e Óleo de Soja (1,38%). Os preços de banana divergiram em Petrolina/PE e Juazeiro/BA. O esperado era uma redução, como ocorreu em Juazeiro, devido os menores preços recebidos pelos produtores do Vale do São Francisco. Já o arroz subiu na duas cidades e segue o comportamento do mês anterior. Uma menor oferta e uma demanda constante faz os preços aumentarem. O óleo de soja tem uma deflação acumulada em 12 meses muito elevada. Porém, um crescimento da demanda por soja, inclusive para fabricar Biodiesel, reflete em redução da oferta da matéria-prima para o óleo e aumentam os preços. No caso do pão francês, a expectativa é de que o aumento tenha sido pontual, dado que os preços do trigo estabilizaram.

Em Petrolina/PE, o produto com a maior redução, pelo segundo mês seguido, foi o Feijão (-9,5%). O volume colhido, em grande quantidade, somado com as importações, fazem os preços caírem. Em seguida, com redução de -6,23% e -4,20%, estão os itens Leite Integral e Carne, respectivamente. O caso do leite reflete uma maior oferta, devido ao grande volume importado e uma menor demanda. No caso de carnes, os preços vem se reduzindo conforme a oferta está aumentando, inclusive ajudado por uma menor exportação, que favorece os consumidores do mercado interno.

João Ricardo F. de Lima
Coordenador da Pesquisa do ICB.