Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 24 de fevereiro de 2024

Tecnologia

O Impacto das Inteligências Artificiais no comportamento do estudante brasileiro

Com a introdução das IAs, o cenário começou a mudar. As tecnologias educacionais baseadas em IA proporcionaram acesso a conteúdo personalizado e métodos de aprendizado adaptativos.

Postado em 22/11/2023 2023 10:55 , Tecnologia. Atualizado em 22/11/2023 10:54

Colunista

 

O Brasil, terra de diversidade cultural e extensas dimensões geográficas, tem enfrentado desafios significativos no campo da educação. Nos últimos anos, as Inteligências Artificiais (IAs) emergiram como uma ferramenta transformadora, alterando não apenas o ambiente educacional, mas também o comportamento dos estudantes brasileiros.

Antes da chegada das IAs, o perfil do estudante brasileiro era marcado por desafios estruturais e desigualdades regionais. A falta de acesso a recursos educacionais de qualidade, a deficiência na formação de professores e as disparidades econômicas entre regiões contribuíam para um cenário educacional desafiador. Os estudantes muitas vezes enfrentavam obstáculos significativos para alcançar um bom desempenho acadêmico.

Consequentes mudanças no cenário educacional brasileiro

Com a introdução das IAs, o cenário começou a mudar. As tecnologias educacionais baseadas em IA proporcionaram acesso a conteúdo personalizado e métodos de aprendizado adaptativos. Ferramentas como plataformas de ensino online, assistentes virtuais e algoritmos de aprendizado automático se tornaram aliados no processo educacional, oferecendo suporte personalizado aos estudantes. A individualização do aprendizado, antes uma miragem, tornou-se uma realidade tangível.

O sistema educacional brasileiro tem buscado integrar as IAs de maneira crescente. O Ministério da Educação tem implementado políticas para fomentar a adoção de tecnologias inteligentes nas salas de aula, visando não apenas melhorar o aprendizado, mas também transformar a abordagem pedagógica. No entanto, desafios persistem, como a infraestrutura tecnológica desigual entre escolas e a capacitação necessária para que os educadores tirem o máximo proveito dessas ferramentas.

Quanto aos resultados do processo de aprendizagem, há indícios encorajadores. Estatísticas recentes indicam um aumento significativo nos índices de aprovação em exames e concursos após a incorporação das IAs no ambiente educacional. Órgãos credenciados pela sociedade brasileira relatam que estudantes que utilizam plataformas de aprendizado baseadas em IA têm apresentado um desempenho superior, destacando-se em avaliações nacionais e regionais.

Dados recentes apontam uma mudança significativa

Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), houve um aumento médio de 15% na taxa de aprovação em exames nacionais nos últimos três anos. Essa melhoria é atribuída, em parte, à personalização do ensino proporcionada pelas IAs, que conseguem identificar lacunas no conhecimento do aluno e fornecem recursos específicos para superá-las.

Outro aspecto notável é a redução das disparidades regionais. Antes das IAs, as diferenças no desempenho acadêmico entre regiões eram marcantes, refletindo as desigualdades socioeconômicas. Com a disseminação de tecnologias educacionais, as barreiras geográficas começaram a ser superadas, permitindo que estudantes em áreas remotas também se beneficiassem de recursos de alta qualidade.

Contudo, é crucial abordar as preocupações éticas e sociais que surgem com o uso generalizado de IAs na educação. A privacidade dos alunos, a equidade no acesso à tecnologia e a dependência excessiva de plataformas digitais são aspectos que demandam atenção. Além disso, é necessário garantir que as tais tecnologias sejam ferramentas de apoio aos educadores, não substitutos, mantendo o elemento humano no processo educacional.

Apesar das mudanças positivas, é necessário refletir

Em conclusão, as IAs têm desempenhado um papel transformador no comportamento do estudante brasileiro. Ao oferecer uma abordagem personalizada e adaptativa, essas tecnologias têm contribuído para a melhoria dos resultados educacionais em todo o país. Contudo, não se deve considerar que elas são a resposta definitiva para apontar todas as melhorias que precisam ser efetivadas no sistema educacional brasileiro porque, possivelmente, as IAs podem criar certa zona de conforto aos estudantes ao desenvolverem suas atividades escolares.

É preciso sempre reavaliar a ideia de “facilidade e praticidade na busca das respostas”, para não fomentar o desinteresse em refletir sobre a construção do conhecimento, pois, afinal de contas, precisamos construir seres pensantes que farão as mudanças futuras na nação porque a razão principal da oferta das IAs é mediar o acesso ao conhecimento com vistas à ampliação, desenvolver e implementar futuras políticas públicas para o bem estar social.

O desafio agora é garantir uma integração ética e equitativa delas no sistema educacional, assegurando que todos os estudantes possam colher os benefícios dessas inovações e construir um futuro educacional mais promissor para o Brasil, já que o lema que o país pertence a todos nós ainda precisa de certos ajustes sociais e patriotas, pois, a construção do sentimento e percepção de posse não passa pelas IAs.

Sobre o autor

Hilton Rocha é professor de português e inglês há mais de 26 anos, além de tradutor e intérprete de conferências. Licenciado em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco, pós-graduado em Linguística pela Faculdade Frassinetti do Recife – FAFIRE e pós-graduado em Tradução pela Universidade Estácio de Sá.