Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 29 de fevereiro de 2024

Educação

Brasil tem 25 milhões de compradores de livros

As principais razões apontadas para a compra de um livro são o crescimento pessoal e o lazer. Em relação às atividades de lazer, além da leitura, redes sociais (50,8%) e serviços de streaming (44,3%) foram os preferidos.

Postado em 07/12/2023 2023 11:36 , Educação. Atualizado em 07/12/2023 11:52

Uma pesquisa encomendada pela Câmara Brasileira do Livro mostra que o Brasil tem cerca de 25 milhões de consumidores de livros, dos quais 74% pretendem adquirir novos livros nos próximos três meses. O estudo ouviu 16 mil pessoas com idade acima de 18 anos e indica que 16% da população nessa faixa etária comprou pelo menos um livro nos últimos 12 meses. Além disso, 69% dos compradores adquiriram entre um e cinco livros no último ano, enquanto 8% compraram 16 ou mais.

As principais razões apontadas para a compra de um livro são o crescimento pessoal e o lazer. Em relação às atividades de lazer, além da leitura, redes sociais (50,8%) e serviços de streaming (44,3%) foram os preferidos.

Reprodução

Segundo Sevani Matos, presidente da Câmara Brasileira do Livro, a pesquisa Panorama do Consumo de Livros foi criada para analisar o perfil e os hábitos de compradores de livros no Brasil. Os resultados destacam a importância de ações que promovam a leitura e reforçam a necessidade de uma política eficiente para formação de leitores e fortalecimento do livro no país.

Hábitos de compra

55% dos consumidores de livros preferem fazer suas aquisições online, atraídos pelas ofertas e pela conveniência deste canal. Por outro lado, 40% dos consumidores ainda optam pela compra presencial, valorizando a experiência de ter o livro em mãos antes de adquiri-lo. Para estes, a capa do livro e as recomendações dos vendedores são aspectos importantes na hora de decidir pela compra. As datas especiais, como a Black Friday (21%) e a Semana do Consumidor (17%), também foram apontadas como bastante relevantes para os compradores.

“Em relação à produção de dados, o estudo coloca o mercado brasileiro do livro em patamar semelhante àquele observado em mercados mais maduros, pois a partir de agora teremos uma pesquisa focada na indústria, outra no varejo e outra no consumidor. É uma nova ferramenta para apoiar a tomada de decisão dos agentes da cadeia produtiva do livro”, disse Mariana Bueno, coordenadora de pesquisa da Nielsen BookData.

Nos últimos 12 meses, 54% dos consumidores compraram apenas livros físicos, enquanto 15% compraram apenas livros digitais. A maioria dos consumidores de livros digitais (81%) prefere o formato e-book, sendo que 50% dos leitores digitais usam principalmente o celular para leitura. 63% dos consumidores de e-books e audiolivros compram com desconto.

Em relação à última compra dos entrevistados, a pesquisa revela que a não ficção para adultos é o gênero mais popular, com 57,1%, seguido por científicos, técnicos e profissionais (18,9%), infantil (8,8%) e juvenil (8,1%).

Não compradores

O estudo revela ainda que para os não compradores, o hábito de leitura é uma atividade importante, porém a maioria aponta preço, ausência de loja e falta de tempo como os maiores fatores para desmotivar ou não efetuar a compra de livros.

Prêmios literários

Em relação à popularidade dos prêmios literários, 45,1% dos compradores de livros responderam que o Prêmio Jabuti, realizado anualmente pela CBL e que chega este ano à sua 65ª edição, é o mais conhecido no país. Entre os não compradores, 16,5% conhecem a premiação.

Quanto ao preço dos livros, os entrevistados responderam que consideram as promoções e descontos na hora de decidir pela compra de livros. Sessenta e três por cento relataram ter adquirido livros com desconto e 73% pretendem comprar livros nos próximos três meses.

Metodologia

Este estudo analisou o comportamento de compra de livros no Brasil através de uma metodologia envolvendo 16 mil entrevistas com pessoas maiores de 18 anos, cobrindo todas as regiões (Sudeste, Sul, Norte, Nordeste, Centro-Oeste) e estratos socioeconômicos (A, B, C, DE). O estudo, realizado entre 23 e 31 de outubro de 2023, incluiu tanto compradores quanto não compradores de livros, garantindo uma ampla representatividade com uma margem de erro de 0,8% e um nível de confiança de 95%.

Com informações Agência Brasil