Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 03 de março de 2024

Saúde

Começou hoje a 1ª Jornada Norte-Nordeste de Cannabis Medicinal

Jornada Regional da Cannabis Medicinal Norte Nordeste traz a ciência para comprovar o uso curativo da planta e desmistificar preconceitos

Postado em 08/12/2023 2023 09:44 , Saúde. Atualizado em 08/12/2023 10:17

Encontro acontece nos dias 8 e 9 de dezembro, no Mar Hotel, e vai reunir especialistas, cientistas e médicos que estudam a planta para fins de uso medicinal

Hélio Mororó (e); Breno Luz ; Lyane Menezes e Robson Freire, da Comissão da OAB-PE

O grande empenho de médicos, pesquisadores e professores que estudam e defendem o uso medicinal da Cannabis sativa estará em evidência na 1ª Jornada Regional da Cannabis Medicinal Norte-Nordeste (JRCMed), que começa nesta sexta-feira (8) e segue até o sábado, 9, no Mar Hotel, em Boa Viagem, Zona Sul da capital pernambucana.
Recife foi a cidade escolhida no Nordeste por abrigar um dos principais polos médicos do país, além de ser um centro de referência em pesquisas. A Jornada é o primeiro recorte regional da Conferência Internacional da Cannabis Medicinal (CICMed), realizada em São Paulo, em 2022, e, este ano, tem como objetivo desmistificar a planta, conhecida como maconha, que ainda é vista, pela maioria das pessoas, apenas como uma droga ilícita.
CONHECIMENTO E CIÊNCIA
“Convidamos 10 palestrantes especialistas que, em 22 palestras, irão diminuir o preconceito e mostrar a diferença do uso medicinal para o uso recreativo, hedônico ou adulto, da planta”, explica o presidente da Jornada, o médico Hélio Mororó, professor de Medicina da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap).

Hélio Mororó, presidente da 1ª Jornada Regional da Cannabis Medicinal Norte-Nordeste

Para Hélio Mororó, é preciso esclarecer a sociedade sobre as propriedades da maconha para tratar dores intensas e até doenças raras. “A cannabis, por si só, já é uma farmácia completa. Não podemos deixar de usar um recurso natural, fitoterápico, uma ferramenta de tratamento complementar que tem ajudado milhares de pessoas, em todo o mundo, a enfrentar doenças”, reforça o médico.
O ESTÍMULO AO USO FITOTERÁPICO
Entre as inúmeras doenças que podem ser tratadas com medicamentos à base da Cannabis Medicinal, Hélio Mororó cita o câncer, alzheimer, parkinson, o autismo, a epilepsia e a fibromialgia, além de doenças autoimunes.
Entretanto, sua aplicabilidade esbarra em desafios, como o desconhecimento pela maior parte dos profissionais no campo da saúde dos benefícios do óleo de canabidiol. Na odontologia, por exemplo, os cirurgiões-dentistas já são parceiros de longa data dos médicos que indicam o fitofármaco.
“A Cannabis é fantástica também na odontologia, desde a prevenção de cáries, de gengivite e na síndrome da boca ardente, além das dores orofaciais que podem não ter origem odontológica”, pontua o professor Hélio Mororó. Inclusive, a temática será abordada na aula proferida pelo professor Guilherme Martins (DF).
COMISSÃO DA OAB
Outros desafios abordados, desta vez, pelos representantes da Comissão de Direito da Cannabis Medicinal da Ordem dos Advogados do Brasil, em Pernambuco (CDCM/OAB-PE), que assessora pacientes e profissionais no campo da saúde, é ampliar o debate do uso medicinal para o Poder Judiciário.

Robson Freire, secretário geral da Comissão de Cannabis Medicinal da OAB-PE

Robson Freire, secretário geral da Comissão, avalia como essencial que o debate e o acesso ao conhecimento sejam ampliados em favor de salvar vidas. Neste sentido, o trabalho da Comissão é o de atuar prestando assessoria aos pacientes e também médicos para facilitar, por exemplo, na importação da medicação que, em geral, é produzida em países como os Estados Unidos e o Canadá.
CUSTOS ALTOS
“Os custos são elevados. Nas farmácias brasileiras existem 25 produtos, mas é preciso ter atenção e responsabilidade, porque somente os médicos, inclusive os veterinários, e os dentistas têm suas prescrições autorizadas. E, para cada paciente, a quantidade é específica, mediante acompanhamento médico”, pontua Freire.
Ele acrescenta que no Brasil só existem três associações autorizadas a elaborar os fitofármacos a partir da planta e vender os medicamentos: a Aliança Medicinal, em Pernambuco; a Associação de Cannabis Medicinal de Santa Catarina (Santa Cannabis) e a Abrace, na Paraíba, pioneira no Brasil. Nestas associações, o preço é bem mais baixo do que nas farmácias.
PRESSÃO
Criada em 2023, a Comissão da OAB-PE tem o objetivo de adequar a legislação atual e tornar o estado de Pernambuco o primeiro a ter um decreto governamental autorizando o cultivo da Cannabis medicinal, em convênio com a Universidade Federal de Pernambuco.
Para além deste embate, Robson Freire, acrescenta a pressão, quase que diária,  que os profissionais de Direito exercem sobre o atendimento dado às pessoas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Neste sentido, a Jornada da Cannabis Medicinal Norte-Nordeste vai reforçar o conhecimento de pelo menos 30 advogados que atuam com o direito canábico.
Jornada para profissionais de saúde
Direcionada a profissionais e estudantes da área de saúde, a Jornada traz ao Recife diversas abordagens sobre o uso medicinal da Cannabis sativa. “Não apenas sobre pesquisas científicas, mas também legislação e a inclusão dos medicamentos à base do canabidiol no SUS, além das descobertas de novas aplicações da planta em terapias e tratamentos que poderão fazer a diferença na vida de muitos pacientes”, adianta o presidente da 1ª Jornada Regional da Cannabis Medicinal , professor Hélio Mororó.
Segundo ele, o conhecimento sobre as indicações de uso, baseadas na ciência, é importante para qualquer profissional que atua na saúde, mesmo os que não podem prescrever medicamentos à base de Cannabis. “Fomos acostumados a ver a Cannabis como uma droga ilícita e, por isso, muitos colegas ainda têm preconceitos por desconhecer o poder de cura da planta, graças aos seus princípios ativos”, observa.
O médico ressalta que a Cannabis sativa deve ser usada em formulações de grau farmacêutico por ser um medicamento como outros extraídos de uma planta. “Precisa ter todos os cuidados que se têm com um antibiótico, um anticoncepcional ou um antiviral, e o mesmo nível de qualidade”, esclarece.
Breno Luz, coordenador geral da 1ª Jornada Regional da Cannabis Medicinal Norte-Nordeste

Breno Luz, coordenador geral da 1ª Jornada Regional da Cannabis Medicinal Norte-Nordeste

Para Breno Luz, coordenador geral da 1ª Jornada Regional da Cannabis Medicinal Norte-Nordeste, e sócio fundador da EVENTMED, maior empresa de Eventos Científicos da Cannabis Medicinal das Américas e organizadora da CICMED – Conferência Internacional da Cannabis Medicinal, o encontro vai reunir “especialistas do país que agregarão conhecimento por meio da ciência e, acima de tudo, motivar novos prescritores”.