Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 26 de fevereiro de 2024

Ciência e Tecnologia

Preparando estudantes para um mundo dominado por tecnologias inteligentes com foco em estratégias educacionais para o futuro

É essencial ainda cultivar uma mentalidade global e inclusiva. Em um mundo cada vez mais conectado, todos devem ser preparados para colaborar, comunicar e resolver problemas em contextos diversificados e interculturais.

Postado em 10/01/2024 2024 09:28 , Ciência e Tecnologia. Atualizado em 10/01/2024 09:28

Colunista

Hilton Rocha é professor de português e inglês há mais de 26 anos, além de tradutor e intérprete de conferências. Licenciado em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco, pós-graduado em Linguística pela Faculdade Frassinetti do Recife – FAFIRE e pós-graduado em Tradução pela Universidade Estácio de Sá.

 

Vivemos em uma era onde as fronteiras entre o humano e o digital estão se tornando cada vez mais tênues. A ascensão das Tecnologias Inteligentes, especialmente a Inteligência Artificial (IA), redefine rapidamente os paradigmas sociais, econômicos e culturais. Neste cenário dinâmico, surge um imperativo educacional: preparar nossos estudantes para prosperar em uma sociedade impulsionada por IAs.

Primeiramente, é crucial reconhecer que a preparação dos estudantes não se limita ao domínio técnico das ferramentas de IA, mas sim a uma compreensão profunda de seu impacto multidimensional. Isso implica não apenas em capacitá-los para utilizar tecnologias inteligentes, mas também em cultivar habilidades como pensamento crítico, criatividade, empatia e ética digital.

Um dos pilares dessa preparação é a integração curricular da IA como uma disciplina transversal. Ao invés de tratá-la apenas como uma matéria isolada, a nova ferramenta deve ser incorporada em diversas áreas do currículo, desde as ciências exatas até as humanidades. Por exemplo, ao estudar história, os estudantes podem explorar como está sendo utilizada para analisar vastos conjuntos de dados históricos ou simular eventos passados. Da mesma forma, em artes e literatura, ela pode ser uma ferramenta para explorar novas formas de expressão criativa.

Além disso, é fundamental promover uma cultura de aprendizado ao longo da vida, onde a adaptabilidade e a resiliência são valorizadas. O ritmo acelerado das mudanças tecnológicas significa que as habilidades e conhecimentos adquiridos hoje podem se tornar obsoletos amanhã. Portanto, os estudantes devem ser incentivados a desenvolver uma mentalidade de crescimento, abraçando a aprendizagem contínua e a adaptação às novas tecnologias e contextos.

Outro aspecto essencial é a ética e a governança da IA. Todos precisam estar equipados com as ferramentas e o conhecimento necessários para avaliar criticamente as implicações éticas, sociais e políticas das tecnologias inteligentes. Isso inclui entender questões como viés algorítmico, privacidade de dados, discriminação algorítmica e o impacto da IA na sociedade e na economia.

A colaboração também desempenha um papel central na preparação de todos para um mundo dominado por tecnologias inteligentes. A IA é, por natureza, interdisciplinar, exigindo uma abordagem colaborativa que integre múltiplas perspectivas e habilidades. Portanto, é vital promover projetos e atividades que incentivem a colaboração entre estudantes de diferentes áreas, estimulando a troca de conhecimentos, habilidades e experiências.

Além disso, é imperativo investir na formação e capacitação dos educadores. Os professores são fundamentais para mediação nesta jornada, atuando como facilitadores, mentores e modelos. Portanto, programas de desenvolvimento profissional, workshops e recursos educacionais devem ser disponibilizados para dar-lhes as habilidades, conhecimentos e recursos necessários para integrar efetivamente a IA no ambiente de aprendizagem.

É essencial ainda cultivar uma mentalidade global e inclusiva. Em um mundo cada vez mais conectado, todos devem ser preparados para colaborar, comunicar e resolver problemas em contextos diversificados e interculturais. Isso implica em promover a conscientização cultural, a empatia e a compreensão das complexas dinâmicas globais, preparando o contexto para serem cidadãos globais responsáveis e informados.

 

Finalmente, preparar um ambiente para um mundo dominado por tecnologias inteligentes é um desafio complexo, mas essencial. Requer uma abordagem holística que vá além do domínio técnico da IA, cultivando habilidades cognitivas, socioemocionais e éticas. Ao integrar a IA de forma significativa no currículo, promover uma cultura de aprendizado contínuo, desenvolver habilidades colaborativas e inclusivas, e capacitar educadores, podemos equipar nossos agentes do amanhã para prosperar e moldar um futuro mais justo, equitativo e sustentável na era da Inteligência Artificial.

 

Hilton Rocha é professor de português e inglês há mais de 26 anos, além de tradutor e intérprete de conferências. Licenciado em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco, pós-graduado em Linguística pela Faculdade Frassinetti do Recife – FAFIRE e pós-graduado em Tradução pela Universidade Estácio de Sá.