Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 16 de junho de 2024

Saúde

Saiba quais os fatores considerados na priorização da distribuição da vacina contra a dengue

Devido à escassez de doses, os municípios prioritários para receber a vacina serão os de grande porte e com alta transmissão, selecionados com base na análise das Regiões de Saúde.

Postado em 30/01/2024 2024 10:07 , Saúde. Atualizado em 30/01/2024 23:40

vacina.denguee.png

Saiba quais os fatores considerados na priorização da distribuição da vacina contra a dengue

Foto: Igor Evangelista/MS

O SUS será o primeiro sistema de saúde pública a oferecer vacinas contra a dengue, mas a produção limitada do laboratório exige critérios específicos para a imunização no Brasil, definidos em acordo com estados e municípios, com base nas recomendações da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (Ctai) e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A definição da estratégia foi feita a partir da análise da situação epidemiológica nas Regiões de Saúde do Brasil. Essas divisões correspondem às localidades formadas por municípios fronteiriços que compartilham identidades culturais, econômicas e sociais, redes de comunicação e infraestrutura de transportes. A finalidade dessas regiões é integrar a organização, o planejamento e a execução de ações e serviços de saúde.

Para a imunização, foram 37 Regiões de Saúde selecionadas, totalizando 521 municípios, atendendo a três critérios:

  • Possuir pelo menos um município de grande porte, ou seja, mais de 100 mil habitantes;
  • Alta transmissão de dengue registrada em 2023 e 2024;
  • Maior predominância do sorotipo 2 do vírus da dengue (DENV-2).

Com isso, 16 estados e o Distrito Federal têm municípios que preenchem os requisitos para o início da vacinação a partir de 2024. Acesse aqui a lista de cidades selecionadas.

O público inicial será composto por crianças e adolescentes de 10 a 14 anos, faixa etária que concentra o maior número de hospitalizações por dengue, depois de pessoas idosas – grupo para o qual a vacina não foi liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O esquema vacinal é composto por duas doses com intervalo de três meses entre elas.

A primeira remessa com cerca de 757 mil doses chegou ao Brasil no dia 20 de janeiro e está no Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde. O lote faz parte de um total de 1,32 milhão de doses fornecidas pela farmacêutica. A outra parte, com mais 568 mil doses, tem entrega prevista para fevereiro.

Vigilância constante

Além das ações de mobilização e conscientização contínuas, o Ministério da Saúde destinou recursos já no ano passado para apoiar estados e municípios nas medidas de prevenção e controle da dengue com o repasse de R$ 256 milhões. Parte desse recurso será destinado para fomentar ações de vigilância em saúde.