Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 18 de maio de 2024

Educação

Mais de 1.700 alunos com autismo recebem atenção especial em Petrolina

Além disso, a rede municipal oferta salas de recursos multifuncionais, onde são desenvolvidas várias estratégias pedagógicas. Esses espaços seguem as determinações da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (PNEEPEI) e as aulas realizadas duram, em média, entre 50 minutos e 1 hora.

Postado em 25/04/2024 2024 10:57 , Educação. Atualizado em 25/04/2024 11:18

Fotos: Deivid Menezes

A campanha Abril Azul, criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), tem como propósito conscientizar a população sobre o autismo, promovendo a visibilidade e a construção de uma sociedade mais inclusiva. Em Petrolina, mais de 220 escolas da rede municipal estão preparadas para acolher e oferecer um ensino humanizado aos mais de 1.700 alunos diagnosticados com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Nas salas de aula, esses estudantes contam com o suporte de assistentes educacionais, profissionais que auxiliam nos cuidados com higiene, alimentação, locomoção e socialização, sempre buscando formas de promover o desenvolvimento educacional e garantir a autonomia necessária de acordo com suas diferentes necessidades.

Os estudantes autistas também contam com os professores do Atendimento Educacional Especializado, que são os profissionais que auxiliam no desenvolvimento de habilidades durante os atendimentos dos discentes no contraturno ao ensino regular. Além disso, a rede municipal oferta salas de recursos multifuncionais, onde são desenvolvidas várias estratégias pedagógicas. Esses espaços seguem as determinações da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (PNEEPEI) e as aulas realizadas duram, em média, entre 50 minutos e 1 hora.

Periodicamente, a Prefeitura de Petrolina, por meio da Secretaria de Educação Cultura e Esportes, realiza aquisições de materiais pedagógicos para as salas de recursos, que são, em sua maioria, lúdicos e auxiliam os docentes no trabalho com os estudantes. São mesas interativas, quadro magnético, circuitos psicomotores, sacolas criativas, esquema corporal, rotinas para autistas, kits de desenhos adaptados, tangran, tapete sensorial, entre outros. Nas unidades que não possuem os equipamentos, os estudantes são remanejados para o Centro de Educação Inclusiva de Petrolina (CEIP).

Para que haja o processo de inclusão dos estudantes autistas, também é levado em consideração o respeito absoluto as características do estudante. A inclusão também é feita a partir da matrícula, que é prioritária na rede municipal de ensino. Outra ação importante é a oferta das adaptações razoáveis, ou seja, as provas e as atividades são adaptadas, tendo em vista as necessidades específicas de cada estudante autista. A educação inclusiva de qualidade tem sido uma das prioridades da atual gestão, que vem centralizando esforços, fazendo investimentos e capacitando os profissionais de educação para os estudantes tenham um progresso significativo no processo de aprendizado e desenvolvimento, levando em conta suas limitações, mas, sobretudo, valorizando suas potencialidades.