Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de maio de 2024

Saúde

Governo federal amplia recursos para saúde básica em Pernambuco

aporte financeiro também valoriza a função de coordenação desempenhada pelo ministério em parceria com os municípios, os quais têm a responsabilidade pela execução da atenção primária.

Postado em 15/05/2024 2024 04:08 , Saúde. Atualizado em 14/05/2024 19:17

O Ministério da Saúde planeja investir R$1,8 bilhão em 2024 em Pernambuco, um aumento de 30,7% em relação ao ano anterior, como parte de uma ação nacional para fortalecer os atendimentos primários. Isso representa um aumento de 28% em relação ao ano anterior, totalizando um repasse de R$35 bilhões para 2024. O objetivo é reforçar o atendimento nas Unidades Básicas de Saúde com mais recursos e equipes multiprofissionais.

Foto: Laísa Queiroz/MS

Essa medida é fundamental para melhorar a eficiência dos serviços prestados nas Unidades Básicas de Saúde em todo o território nacional, possibilitando que mais equipes alcancem áreas desprovidas de assistência e com critérios adequados de atendimento, reduzindo o tempo de espera pelos profissionais. O aporte financeiro também valoriza a função de coordenação desempenhada pelo ministério em parceria com os municípios, os quais têm a responsabilidade pela execução da atenção primária.

Com os recursos adicionais, poderemos estender o horário de atendimento até às 22h e resgatar a importância das visitas feitas em domicílio. Além disso, o objetivo do departamento é formar, anualmente, 2.418 equipes de Saúde da Família, 3.002 equipes de Saúde Bucal e 4.167 equipes com diferentes profissionais. A estimativa é alcançar, até 2026, uma cobertura de 80% na Atenção Primária.

Trabalho contínuo

A ampliação teve início ainda no primeiro ano de gestão, com a criação de 7.298 novas equipes englobando: equipes de saúde da família, de saúde bucal, de consultório na rua, multiprofissionais, UBSs Fluviais, eSF Ribeirinhas, equipes de atenção primária prisional e de atenção primária – todas elas compostas por profissionais de diferentes áreas do conhecimento, como médicos, enfermeiros, odontólogos, técnicos de enfermagem, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, pediatras, assistentes sociais e muitos outros. Entre 2019 e 2022, nenhuma equipe do tipo foi implementada no Brasil.

O programa Mais Médicos, retomado em 2023 após desmonte nos últimos anos, também segue em expansão. Hoje, 60% dos médicos dos municípios mais vulneráveis são do programa. Esse alcance foi possível porque o Mais Médicos agora conta com mais de 25,4 mil profissionais em atividade. O número é 85% maior que em 2022, quando só havia 13,7 mil médicos.