Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 19 de junho de 2024

Economia

Desemprego fica estável e ocupação com e sem carteira batem recordes

O número de trabalhadores com carteira assinada chegou a 38,188 milhões, o maior da série histórica iniciada em 2012.

Postado em 01/06/2024 2024 10:43 , Economia. Atualizado em 01/06/2024 10:58

Fonte: IBGE – Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua mensal

No trimestre encerrado em abril de 2024, a taxa de desocupação no Brasil ficou em 7,5%, sem variação significativa em relação ao trimestre encerrado em janeiro de 2024 (7,6%) e abaixo dos 8,5% registrados no mesmo período de 2023. Este é o menor índice para um trimestre encerrado em abril desde 2014, quando foi de 7,2%, conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, divulgada pelo IBGE.

Adriana Beringuy, coordenadora de Pesquisas Domiciliares do IBGE, destacou a tendência de redução da taxa de desocupação observada desde 2023. A população desocupada foi de 8,2 milhões, sem variação trimestral, mas com uma redução de 9,7% em comparação ao mesmo período de 2023. A estabilização da desocupação é atribuída à recuperação do comércio e ao aumento da ocupação no segmento da educação básica pública.

No trimestre encerrado em abril, o rendimento médio real das pessoas ocupadas foi de R$ 3.151, sem variação significativa trimestral, mas com um aumento de 4,7% em relação ao ano anterior. A massa de rendimentos atingiu um recorde de R$ 313,1 bilhões, estável no trimestre e 7,9% maior que no mesmo período de 2023.

De acordo com uma analista do IBGE, a massa de rendimento se manteve elevada devido ao aumento da população ocupada em alguns segmentos e à estabilidade do rendimento médio. Destaque para o aumento do rendimento dos empregados no setor privado com carteira assinada. O rendimento ficou estável em todos os grupamentos de atividade na comparação trimestral, mas registrou altas anuais em Indústria geral (8,5%), Comércio e reparação de veículos (4,6%), Transporte, armazenagem e correio (5,7%) e Administração Pública (4,0%).

A PNAD Contínua revela que a população ocupada no Brasil atingiu 100,8 milhões, um aumento de 2,8% (2,8 milhões de postos de trabalho) em relação ao mesmo período de 2023. O número de trabalhadores com carteira assinada chegou a 38,188 milhões, o maior da série histórica iniciada em 2012. Paralelamente, o contingente de trabalhadores sem carteira também bateu recorde, alcançando 13,5 milhões.