Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 11 de junho de 2024

Política

Os desafios de Daniel Coelho

Por mais que se saiba do favoritismo de João Campos, a oposição quer evitar uma vitória acachapante do socialista e consequentemente chegar ao segundo turno.

Postado em 07/06/2024 2024 05:20 , Política. Atualizado em 06/06/2024 22:21

Colunista

Considerado um excelente candidato nas duas vezes em que disputou a prefeitura do Recife, Daniel Coelho deixou a secretaria de Turismo para tentar pela terceira vez o comando da capital pernambucana. Por ser o nome escolhido pela governadora Raquel Lyra, Daniel terá a responsabilidade dobrada de ter um bom desempenho. Ele auferiu o apoio de partidos como PSD, PP, Podemos, PSDB e Cidadania, legendas que estão na base da governadora, garantindo-lhe um expressivo tempo de televisão.

Por mais que se saiba do favoritismo de João Campos, a oposição quer evitar uma vitória acachapante do socialista e consequentemente chegar ao segundo turno. No caso de Daniel, esse desafio se amplifica porque ele terá um adversário extremamente competitivo nesta tentativa de polarização com o prefeito, que é o ex-ministro Gilson Machado, pré-candidato do PL, que tentará atrair o eleitorado bolsonarista para a sua postulação.

Daniel Coelho já não é mais a novidade de 2012, quando quase trincava a hegemonia da Frente Popular, mas indiscutivelmente é um nome que não pode ser menosprezado. Caso atinja dois dígitos ou chegue ao segundo turno, ainda que não vença a disputa, poderá ter cumprido um papel importante para a governadora Raquel Lyra com vistas a 2026, defendendo as realizações do seu governo e tentando desmistificar o sentimento crescente de que João Campos realiza uma gestão acima da média na capital pernambucana.

Licença-paternidade – A Câmara dos Deputados instalou, ontem, a Frente Parlamentar pela Licença-Paternidade. O deputado federal Pedro Campos é o secretário executivo do grupo, que pretende avançar com a regulamentação da licença paternidade no país. O direito é previsto na Constituição Federal, mas há quase 36 anos não é efetivo aos brasileiros. Após provocação do Supremo Tribunal Federal em dezembro de 2023, através de Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão Legislativa, o Congresso tem menos de 18 meses para legislar sobre a questão.

Permitido – O Supremo Tribunal Federal (STF), por sete votos a quatro, negou o pedido feito pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) para que fosse declarada a impossibilidade de parentes de até segundo grau ocuparem, ao mesmo tempo, a Presidência das Casas Legislativas (federal, estadual, distrital e municipal) e do Poder Executivo local.

Anistia – A presidente da CCJ da Câmara, deputada Caroline de Toni (PL-SC), escolheu o deputado Rodrigo Valadares (União Brasil-SE) como relator do projeto de lei que trata da anistia aos condenados pelos atos golpistas de 8 de janeiro. De Toni destacou o conhecimento jurídico de Valadares e sua experiência com casos de condenados pela invasão das sedes dos três Poderes. Ela planeja pautar o tema na comissão antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho.

Próximo presidente – A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro disse desconfiar das “antecipações exageradas” sobre as eleições de 2026 que a colocam como favorita entre os eleitores de Jair Bolsonaro. Ela afirmou que Bolsonaro está “mais ativo do que nunca” e acredita que ele será o próximo presidente.

Inocente quer saber – Haverá anistia para os envolvidos no 8 de janeiro?