Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 04 de agosto de 2021

Cultura

A lenda do nego D’água Por Bruno Alexandre

Mais mistérios no velho Chico

Postado em 16/07/2021 2021 18:49 , Cultura. Atualizado em 16/07/2021 18:58

Jornalista , Editor Antônio José em Cultura

Bruno Alexandre
Professor e Escritor
Colunista do Jornal do Sertão

Como vimos na semana passada, as águas do velho Chico escondem muitos segredos e lá habitam criaturas misteriosas, a exemplo da mãe D’água e seus encantos. Existe outra criatura que marca presença nas águas do São Francisco e mexe com os medos profundos dos pescadores: o nego D’água.

 

O nego D’água

Quem pesca nas águas do velho Chico sempre tem muita história para contar. Há quem jure de pé junto que já deu de cara com uma das lendas mais famosas nas águas do rio Opará, seu nome indígena. Trata-se de um ser alto, preto, careca, escamas por todo o corpo e com mãos e pés de pato e que atormenta pescadores e banhistas que se atrevam a entrar no rio à noite. 

Segundo a lenda, o Nego D’água vira o barco daqueles pescadores que se negarem a lhe dar um peixe. Para isso, quem tiver coragem de navegar sobre as águas do velho Chico para pescar, é preciso levar uma garrafa de cachaça e jogar dentro do rio, para que não corra o risco de ter o barco afundando pela criatura.  

 

A imagem do nego D’água

Assim como do lado pernambucano, o lado baiano do São Francisco também abriga uma imagem que personifica uma das lendas mais populares no sertão banhado pelo Chico. A imagem já faz parte do cenário natural há muito tempo e além de ponto turístico. Sentado sobre uma pedra, o nego D’água observa o rio, enquanto mantém acessa no imaginário ribeirinho a cultura e tradição popular.

 

Bruno Alexandre. Licenciado em química e professor de ciências no ensino fundamental II, em Petrolina. Conta lendas, causos e histórias sobre o sertão no tik tok e no Instagram.