Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de setembro de 2021

Agronegócios

Agricultores familiares do Sertão terão oferta de serviços em unidade móvel da Univasf

Diversos municípios pernambucanos serão beneficiados com serviços, capacitações, certificações e transferência de tecnologia a partir de 2022.

Postado em 10/09/2021 2021 11:03 , Agronegócios. Atualizado em 10/09/2021 11:03

Jornalista , Editor Antônio José em Agronegócios

A partir de 2022, será iniciado o projeto de extensão da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) Agrotec Sertão, que pretende levar serviços, capacitações, certificações e transferência de tecnologia a agricultoresfamiliares de diversos municípios do sertão pernambucano, por meio de uma unidade móvel. Entre os objetivos estão melhoria da renda e da qualidade de vida das comunidades rurais.

Imagem PMA

O projeto está em fase de elaboração e busca parceiros na Univasf e em outras instituições de ensino, pesquisa e extensão rural para atuar no planejamento e na execução das ações. De acordo com o coordenador do Agrotec Sertão, o professor do Colegiado de Zootecnia (CZOO) Anderson Miranda de Souza, o processo para aquisição da unidade móvel já está em andamento. 

A iniciativa conta com R$ 500 mil em recursos provenientes da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), que é uma das parceiras do Agrotec Sertão, junto com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). A expectativa é que a unidade móvel seja entregue à Univasf até o final deste ano.  



Miranda informou que o projeto tem proposta multidisciplinar, envolvendo outras ações simultâneas como serviços relacionados a regularização de imóveis rurais, serviços de saúde, vacinação animal, serviços ambientais, educação sanitária e ambiental. As ações serão realizadas em parceria com prefeituras e outras instituições e são voltadas a associações, cooperativas, agricultores familiares e grupos não formais de agricultores rurais. “A expectativa é capacitar 500 agricultores e realizar 2 mil serviços durante os dois anos de duração do projeto”, afirmou o coordenador.

Ele destacou ainda que o projeto está aberto à participação de estudantes, docentes e técnico-administrativos (TAEs) da Univasf, assim como de outros órgãos e instituições que tenham interesse em contribuir com a proposta. Os interessados podem entrar em contato pelo e-mail anderson.souza@univasf.edu.br.