Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de outubro de 2021

Política

Programa nacional de alimentação escolar (PNAE): um grande aliado para o alcance de hábitos saudáveis nas escolas. Por Bárbara Sampaio

Vale ressaltar que, vários são os determinantes sociais, econômicos e políticos que refletem esses índices alarmantes de obesidade infantil.  Uma delas é a situação econômica de muitas famílias que encontra em extrema pobreza o que limita a alimentação adequada e saudável.

Postado em 08/10/2021 2021 06:03 , Política. Atualizado em 07/10/2021 13:15

Colunista

Bárbara Samapio Assistente Social

 

A alimentação é essencial para suprir as necessidades biológicas do nosso corpo. Logo, os alimentos que consumimos pode promover saúde e/ou adoecimento.

Size e Whitney (2003) ressaltam que a alimentação em qualquer fase da vida é um determinante importante para promover a saúde e prevenir doenças. Pois, através de uma alimentação balanceada e equilibrada o organismo obtém energia e nutrientes necessários ao seu desenvolvimento biopsicossocial e a aprendizagem dos alunos.

O que nos possibilita compreender que os benefícios de uma alimentação saudável são vários, tais como: qualidade de vida (mais saúde e energia) pois há a diminuição de riscos de doenças, cansaço físico e mental, além do aumento da imunidade.

Má Alimentação

Já uma má alimentação, ocasiona diversos prejuízos a saúde, tais como: sedentarismo, obesidade, doenças crônicas não transmissíveis, dentre outras.

A partir disso, atualmente, vem se discutindo o crescimento do índice de obesidade em crianças e adolescentes. Nessa direção, dados obtidos através do Instituto de Pesquisa e Estatística (IBGE) revela que  para cada 3 crianças 1 está em risco nutricional com incidência a obesidade (IBGE,2010)

Vale ressaltar que, vários são os determinantes sociais, econômicos e políticos que refletem esses índices alarmantes de obesidade infantil.  Uma delas é a situação econômica de muitas famílias que encontra em extrema pobreza o que limita a alimentação adequada e saudável.

Divulgação

Ao mesmo tempo, em populações de diferentes classes sociais, nota-se o consumo de alimentos pouco saudáveis, substituição de frutas por doces, o consumo de industrializados por serem mais práticos, no entanto, a pesquisa do IBGE(2010) vem para nos revelar que o prático vem sando “caro” para a saúde através dos níveis altos de obesidade e subnutrição.

Com isso, a escola é uma instituição e instrumento importante para disseminar a reeducação alimentar, pois é nesse ambiente que através da educação há a possibilidade de tornar os educandos protagonistas e consciente dos seus hábitos alimentares.A partir disso, é notório que o papel da escola na adoção de hábitos saudáveis deve ser dialogado e estimulado junto a gestão escolar, nutricionista, bem como demais profissionais da educação através das políticas e programas públicos.

Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE)

Dentre essas, destaca-se o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), cujo objetivo é fornecer uma alimentação escolar saudável durante o período de permanência do aluno na escola, contemplando também ações de Educação Alimentar e Nutricional (EAN).

Dessa forma, a alimentação escolar está instituída nas escolas públicas do Brasil pelo PNAE, criado em meados da década de 1950, com a finalidade de garantir aos alunos a oferta no mínimo de uma refeição diária durante o seu período de permanência na escola.

Logo, o PNAE também surge como uma possibilidade para o redimensionamento de estratégias na implementação de ações desenvolvidas na escola, que possibilitam mudanças das práticas alimentares dos escolares, além da segurança alimentar e nutricional dos alunos através da promoção do direito humano à alimentação adequada.

Desse modo, o PNAE contribui para o desenvolvimento sustentável, fortalece a agricultura familiar, gera renda e mobilização social, bem como conscientização para a prática da alimentação saudável através do conhecimento do aluno sobre a importância da ingestão dos alimentos saudáveis.

Isso porque os alimentos utilizados no contexto escolar nos cardápios permitem abordagens sobre alimentação relacionadas às tradições do local, de acordo com a aquisição de produtos da agricultura.