Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 04 de dezembro de 2021

Cidades

Reciclagem muda a realidade de famílias em Juazeiro, na Bahia 

Até o ano de 2010, antes da fundação da Cooperfiz, os catadores disputavam seu sustento entre animais mortos e urubus no lixão de Juazeiro-BA 

Postado em 14/11/2021 2021 09:13 , Cidades. Atualizado em 14/11/2021 09:13

Jornalista ,

 

A partir da reciclagem, catadores se organizam e transformam suas vidas/ Arquivo Cooperfiz

 

 Do trabalho desumano no lixão, no Raso da Catarina, no bairro José e Maria, em Petrolina, Sertão Pernambucano, José Ivo dos Santos encontrou no trabalho da Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis ​​de Juazeiro (Cooperfiz), inspiração para lutar pelo trabalho da reciclagem, mudando assim a sua vida e a de sua esposa Hilda da Silva, que também é cooperada, além de contribuir com a melhoria da vida de outras 14 famílias de catadores da cidade. 

José Ivo dos Santos é o atual presidente da Cooperfiz e luta para implantar em Juazeiro a coleta seletiva. No entanto, o município ainda não tem o plano de tratamento de resíduos sólidos, o que dificulta o trabalho, mas não o impede. 

“Seria mais fácil se o município já tivesse o plano de resíduos e trabalhasse com a coleta seletiva, mas enquanto não é uma realidade fazemos nossa coleta em empresas da cidade, no centro urbano e em escolas estaduais e municipais”, revelou. 

 

A Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Juazeiro (Cooperfiz) apoia o sustento de 14 famílias sertanejas/ arquivo Cooperfiz

Parcerias

A prefeitura de Juazeiro (BA), por meio do Serviço de Água e Esgoto (SAAE) oferece um apoio às famílias da cooperativa, oriundas do antigo lixão, hoje identificado como aterro sanitário de Juazeiro. O galpão, onde funciona a cooperativa, foi cedido pela prefeitura, uma concessão de uso por 10 anos. “O SAAE cedeu para o nosso trabalho um caminhão alugado, com motorista e uma pessoa responsável pela logística”, afirmou o presidente da Cooperfiz. 

 

Já o Governo de Pernambuco, a partir da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte entregou aos cooperados da Cooperfiz, neste ano, uma prensa hidráulica, carrinho elétrico e balança eletrônica, o que agregou ainda mais resultados positivos para a instituição, em termos de produtividade. 

 

“Além de kits de equipamentos de proteção individual, incluindo calças, bota, boné, pares de luvas, big bags, óculos de proteção, máscara facial com respirador e filtros para ajuste”, detalhou Ivo. 

Vida nova

Mesmo consciente que o trabalho de reciclagem ainda precisa de mais visibilidade e apoio de governos e sociedade civil, Ivo garante que as 15 famílias dos cooperados têm muito o que agradecer e comemorar.

 

 “No lixão, antes dividíamos o local com animais mortos e urubus, sem a mínima infraestrutura. Hoje, a cooperativa consegue tirar do meio ambiente cerca de 35 toneladas de lixo por mês e garante uma renda de no mínimo um salário por cooperado”, disse José Ivo dos Santos.

Essa alegria também é vivida por dona Maria Rosa da Silva, 60 anos, seis deles dedicados à coleta e reciclagem de lixo, na cooperativa. “Nunca fiz parte do lixão, nem imagino como eles viviam naquele lugar, mas posso afirmar que aqui na cooperativa vivemos em paz e ganhamos dinheiro para sustentar nossa família com dignidade”, declarou.

 

JS DIGITAL ED 224