Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 26 de fevereiro de 2024

Economia

Beneficiários do INSS terão aumento acima do salário mínimo

Índice de 3,71% segue o INPC; teto da Previdência sobe para R$ 7.786

Postado em 12/01/2024 2024 08:39 , Economia. Atualizado em 12/01/2024 08:40

Portaria é publicada com reajuste de 3,71% para benefícios do INSS acima do salário mínimo
A portaria que estabelece o reajuste de 3,71% para os benefícios do INSS acima de um salário mínimo foi divulgada na sexta-feira (12), pelo Diário Oficial da União. Esse aumento segue o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior e elevará o teto atual do INSS em R$278,52. Isso significa que, até 2024, o valor máximo do INSS passará de R$7.507,49 para R$7.786,01.

Josè Cruz

O INPC é usado para ajustar os benefícios e contribuições para a Previdência Social, que sobem conforme o salário. Os benefícios atrelados ao salário mínimo subirão 8,4%, de R$ 1.320 para R$ 1.412, seguindo a correção aprovada em agosto do ano passado, que prevê a reposição da inflação pelo INPC do ano anterior, mais o crescimento do PIB de dois anos antes.

O decreto com o valor do salário mínimo, que responde pela maior parte dos benefícios da Previdência Social, foi assinado no fim de dezembro pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O INSS começará a pagar os benefícios de janeiro no fim do mês. Para quem ganha um salário mínimo, o pagamento da aposentadoria, pensão ou auxílio será feito entre 25 de janeiro e 7 de fevereiro. Quem recebe além do mínimo terá o benefício depositado entre 1º e 7 de fevereiro.

A portaria que reajusta em 3,71% os benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) acima de um salário mínimo foi publicada nesta sexta-feira (12) no Diário Oficial da União.Com a definição do índice de reajuste – que segue o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano passado – o teto do INSS atual terá acréscimo de R$ 278,52, passando dos atuais R$ 7.507,49 para R$ 7.786,01 em 2024.

Fonte Agência Brasil